quarta-feira, 15 de maio de 2013

(Resenha) As Crônicas de Nárnia - C. S. Lewis


Sinopse: Viagens ao fim do mundo, criaturas fantásticas e batalhas épicas entre o bem e o mal - o que mais um leitor poderia querer de um livro? O livro que tem tudo isso é O leão, a feiticeira e o guarda-roupa, escrito em 1949 por Clive Staples Lewis. Mas Lewis não parou por aí, Seis outros livros vieram depois e, juntos, ficaram conhecidos como As crônicas de Nárnia.

Nos últimos cinquenta anos, As crônicas de Nárnia transcenderam o gênero da fantasia 'para se tornar parte do cânone da literatura clássica. Casa um dos sete livros é uma obra-prima, atraindo o leitor para um mundo em que a magia encontra a realidade, e o resultado é um mundo ficcional que tem fascinado gerações.

Esta edição apresenta todas as sete crônicas integralmente, num único volume magnífico. Os livros são apresentados de acordo com a ordem de preferência de Lewis, cada capítulo com uma ilustração do artista original, Pauline Baynes. Enganosamente simples e direta, As crônicas de Nárnia continuam cativando os leitores com aventuras, personagens e fatos que falam a pessoas de todas as idades, mesmo cinqüenta anos após terem sido publicadas pela primeira vez.


Resenha:

Antes de falar sobre a série, vamos a um dado curioso que aconteceu na minha casa.

Em 2005  eu fiz uma pequena lavagem cerebral na minha sobrinha ( Livia ou Lilly como muitos a conhecem) a transformei numa Potterhead. Eu a contaminei com o meu amor pelos livros da Série Harry Potter.

Seis ou sete anos depois foi a vez dela tentar me contaminar. Ela é fã de As Crônicas de Nárnia e sempre ficava na minha orelha dizendo para eu assistir aos filmes com carinho (Aqui em casa nós temos o sistema... Faça o infeliz ver o filme e depois esfregue o livro no nariz dele). Lembro que na época vivia passando os dois primeiros filmes de Nárnia na tv a cabo e a minha sobrinha só buzinando.

Depois de muita luta, decidi assistir aos filmes... Achei legal, mas não me apaixonei.
Não satisfeitas (Sim, plural. Porque a outra sobrinha também entrou na parada) me disseram para assistir A Viagem do Peregrino da Alvorada. E novamente fugi. Até que um belo dia Mariana (a outra sobrinha) praticamente me obrigou a assistir dizendo "Ah, tia, senta aí! Você vai gostar, tem um dragão!".


Assisti e por incrível que pareça, esse me agradou. O que chega a ser irônico, já que boa parte dos fãs detestou.


Enfim... Mês passado eu estava à toa no quarto das minhas sobrinhas e meu olho bateu no volume único da série, que aliás está lá na estante dela há anos. Olhei para o livro e disse para mim mesma "Quer saber... Vou ler!". Peguei o livro emprestado e li.

Poderia falar um pouquinho de cada livro, mas aí a resenha vai ficar muito maior do que já está, e vou acabar soltando algum spoiler. Então vou falar o que achei da série em geral.

Até agora estou me perguntando "Por que eu não li antes?". Sério! Os livros são incríveis. Não são chatos e nem ficam cansativos na maior parte e terminam de forma espetacular. Não estou dizendo que o final de cada um não seja espetacular, o que eu quero dizer é que sempre ouvi o seguinte "O começo é chato, o meio é mais ou menos e o final é show de bola. Não sei porque o autor enrola tanto".

E agora eu fico me perguntando igual ao professor Kirke "O que ensinam nas escolas hoje em dia?". Sério, a cada dia vejo que os jovens ficam mais e mais tapados. É como se por o cérebro para funcionar fosse causar o fim do mundo. 

Dos sete livros os meus favoritos são: O Sobrinho do Mago, A Viagem do Peregrino da Alvorada, A Cadeira de Prata e A Última Batalha.

Os outro livros: O Leão, a feiticeira e o guarda-roupa e Príncipe Caspian são legais, gostei bastante, mas os outros têm um lugar especial.

O único que eu gostei mais ou menos foi O Cavalo e Seu Menino. O livro não é ruim, mas o achei meio lento. Os calormanos são um saco e também a Rainha Susana. Oh, mulher frouxa, enquanto está todo mundo na batalha, ela fica em Cair Paravel chorando as pitangas, e o pior, a briga é por causa dela.

Ah, outro detalhe... Como eu assisti os filmes e depois li os livros, fica um pouco difícil visualizar os personagens como são descritos. Por exemplo... Eu não consigo visualizar o Príncipe/Rei Caspian loiro. E olha que eu tentei.

Agora acho que minha sobrinhas vão me deixar em paz. Elas finalmente me transformaram num narniano. E para terminar.... POR NÁRNIA!!!

(Resenha) Finitus - Juliana Walker



Sinopse: Nunca entendi bem o que era alma gêmea, duas almas vivendo em um só corpo, conectada eternamente por uma força inexplicável. Afinal, o que seria isso? Como podemos ter uma alma que é nossa, mas vive em outra pessoa? Ouvi falar que podemos encontrar essa alma em um amigo, um irmão, na família, mas o que é mais falado é que nossa alma gêmea é nosso companheiro eterno, aquele com quem dividiremos nossa vida, aquele que entenderá tudo sobre nós sem abrirmos a boca. É aquele que sentamos lado a lado, em silencio, sem precisar dizer uma palavra, e ainda assim, sabemos que não estamos sós, que temos um amigo, alguém que sempre nos entenderá, não importa o quão difícil nossa vida possa ficar. Uma vez senti que o encontrei, essa parte de mim jogada no universo, mas ele não estava a minha procura, e nem eu a procura dele. Essa é a historia de como eu encontrei um homem, aquele que pôde ter sido meu melhor amigo, meu irmão, meu amor, mas creio que essa resposta só ele pode me dar...

Resenha:

Se eu pudesse escolher uma palavra para definir o livro, eu diria que ele é uma "pegadinha", das boas, é claro.

Como boa viciada em livros sempre que tenho uma grana, fico navegando pelos sites de editoras e foi assim que encontrei "Finitus", lá no site da APED. Li a sinopse e achei que se tratava de mais um livro sobre reencarnação e amores eternos. Só sei que quebrei a cara. O que foi bom é claro, já que adoro uma surpresa. Ou como disse no começo "Uma pegadinha".

Em "Finitus" vemos Liana, uma jovem apaixonada por livros e que prefere os romances das páginas. Afinal, os do mundo real são ruins e chatos. Então, numa bela noite um estranho bate em sua janela. Primeiro ela acha que o cara é um maníaco ou psicopata. Mas com poucos minutos de conversa, ela descobre que o estranho é... Estranho... Meio bipolar.

Liana concorda em ajudá-lo e combinam de se encontrar no dia seguinte na universidade, onde ela estuda, o problema é que o bipolar não aparece.
Seis anos se passam desde o primeiro encontro e então, quem aparece de repente? O bipolar! Christopher aparece novamente na vida de Liana com um missão e que ela deve ajudá-lo. Ela concorda mais uma vez. Todas as vezes que eles se encontram para alguma missão, vemos brigas, risadas e romance.

"Finitus" é uma mistura de romance com ficção cientifica ou como agora o povo gosta de chamar... Distopia.
Apesar das poucas páginas, o livro vale a pena. Especialmente o final, que foge do lugar comum.

Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/288205

Site da autora: http://www.julianawalker.com.br/