quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Sorteio Para Blogs Literários

Há mais ou menos um mês tive a ideia de fazer um Book Tour.
Mas tive receio de que meus livros sumissem por ai, assim como aconteceu com os livros de uma amiga minha, a escritora Josiane Veiga.

Não quero selecionar blogs, receber uma resenha e depois algum participante sumir com meus livrinhos.
O problema de alguns blogs literários é que eles pensem que como temos um livro publicado, estamos (com o perdão da palavra) cagando dinheiro.
Publiquei meus livros pelo Clube de Autores e estou há três anos batalhando para divulgar meu trabalho. Sou do tipo de autor faz tudo: Divulga, faz promoção, enche o saco de blogs para ver seu trabalho resenhado e por aí vai.
Como estou com um pouco de grana, decidi presentear três blogs com o primeiro livro da Série Lua Escarlate.

                                                    Lua Escarlate - Livro I -  Água/Vinho
Sinopse:
Lua Escarlate é uma série de três livros, que contam a história da Família Saint-Claire (Uma família de ex-vampiros), que foge da Grécia e se muda para a cidade de St. Helens, no estado do Oregon.

Os Saint-Claire desejam um novo recomeço, mas eles sempre são perseguidos pelo seu passado, que está à espreita pronto para atacá-los.

Grace Saint-Claire e sua família acabam de se mudar para uma nova casa, na esperança de esquecer o passado.
Ela, junto com sua família devem se adaptar a uma nova vida, ou melhor "tratamento", que devolveu a eles a possibilidade de envelhecer.
Mas existe um problema : antes de abandonarem seu antigo lar, os Saint-Claire desobedeceram a lei, pois eles se tornaram a água. E a água jamais deve saber da existência do vinho.

Para concorrer basta seguir as seguintes regrinhas:

1 - Ter endereço residencial no país
2 - Seguir o meu blog publicamente
3 - Me seguir no Twitter - @catterrassa (opcional)
4 - E deixar uma mensagem no próprio post, confirmando sua participação
5 - A mensagem deve incluir as seguintes informações:
Nome, nome do blog e o endereço

O sorteio será realizado no dia 29/03/2012


Algumas resenhas do livro:

Blog - Fic Lovers: http://fic-lovers.blogspot.com/2011/06/resenha-lua-escarlate-agua-e-vinho.html
Resenhas - Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/resenhas/158180
Recanto do Escritor - Sergio Carmach: http://sergiocarmach.blogspot.com/2012/02/resenha-lua-escarlate.html#more

E desde já, boa sorte!

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

(Resenha) Você Tem Meia Hora - Camila Nascimento Silva


Sinopse: Na noite de réveillon, Bia é abandonada por Arthur, o namorado de três anos com quem já morava há dois e pretendia se casar em um. À beira dos trinta, isso é uma tragédia, pois o que era para dar certo já tinha que ter dado e o que deu errado não dá mais tempo de consertar, ou seja se não se casar até os trinta, Bia estará condenada ao calabouço da solteirice, brigando pelo buquê nas festas de casamento e conhecendo homens que mentem a idade, o estado civil e a foto na internet. Mariana acha que a melhor amiga está exagerando, pois até um pé na bunda te empurra para frente. "Reiventar-se" é A palavra! Porém para isso, Bia precisa ir para o lugar onde todo mundo vai quando dá essas loucas. Londres. E concorrer à vaga de emprego mais disputada do século XXI. Mais será que uma mudança pode mesmo dar certo quando se leva na bagagem uma estória tão mal resolvida?

Sabe aquelas situações em que você deve sair da sua zona de conforto. Bem, é o que ando fazendo com os livros.
O tipo de literatura que amo é a fantástica. Então quando decidi ler o livro "Você Tem Meia Hora" da autora Camila Nascimento Silva eu sai na contra-mão feito uma motorista bêbada e com a carteira apreendida.

O livro da Camila poderia ser classificado como Chick-lit, embora algumas situações apresentadas na história já tenham acontecido com um amigo meu. Quando ele usou do elixir da beleza (Cerveja, batida, vodca) e catou a primeira que viu e deu um trato na mulher num canto escuro da boate. E depois que a bebedeira passou, ele viu o canhão que ele pegou.
Enfim, eu diria que o livro pode ser lido tanto por mulheres quanto por homens.

Já era o tempo em que os homens eram taxados como insensíveis e só curtem literatura erótica barata e filmes do Jean Claude Van Damme. Sou mulher, mas não consigo sair em defesa daquelas mulheres que taxam homens como trogloditas, ou pior, brinquedinhos sexuais. Com as belas frases "Homens são todos iguais" "Ah! Eu faço o mesmo que eles, uso e depois jogo fora"
Eu não gostaria de ser jogada fora, logo, não faria o mesmo. Todos nós somos humanos e não um pedaço de carne exposto no freezer de um açougue.

Bem, agora que já expus minha filosofia de barraquinha de pastel da esquina, vamos a resenha.

"Você Tem Meia Hora" conta a história de Bia, uma aeromoça que leva o pé na bunda do noivo de três anos, na véspera de ano novo. Após a separação Bia entra num estado profundo de depressão, com direito a bebedeiras, sujeira no apartamento, choro compulsivo e sexo com estranhos em boates.
Então sua melhor amiga, Mariana sai em seu socorro, com a ideia de que Bia precisa se candidatar a uma vaga de emprego em Londres.
Não precisa nem dizer que Bia reluta, já que ela tem a esperança que seu noivo - Arthur - vai aparecer e tudo vai voltar a ser como antes.
Após muita insistência de Mariana, Bia topa e acaba conseguindo a vaga. Ela se muda para Londres e vai viver com seu amigo Olli e de quebra ao lado de um vizinho gostosão - Dyllan. Pelo jeito que ele é descrito, eu imaginei o ator Jared Padalecki (Bem, eu acho o cara gostoso). Pra quem não conhece o ator, ele interpreta o Sam da Série de Tv Sobrenatural.
Bia e Dyllan se envolvem e começam um relacionamento quente, mas cheio de neuras por parte de Bia, que fica o tempo todo com o pé atrás, esperando o momento em que vai levar outro pé na bunda.

Agora vamos aos personagens:

Bia - Devo confessar que no começo não gostei muito dela. Afinal, eu não suporto mulheres que ficam sofrendo por causa do marido, noivo ou namorado. Acabou, acabou, levanta a cabeça e parte pra outra. Mas no final ela ganhou alguns pontos.

Mariana - Ela é a amiga do peito, pronta para dar aquela levantada na moral, mesmo que ela tenha evaporado. Eu me vi um pouco nela. Também tenho uma amiga de infância igual a Bia. Todas as vezes que ela levava um pé na bunda, eu aparecia e fazia igual a modelista do desenho "Os Incríveis", pegava um jornal, batia na cara da minha amiga e dizia "Para com isso mulher!" É! Eu sou um poço de delicadeza.

Olli - O cara é uma figura. Dei altas gargalhadas com ele.

Dyllan (O gostosão) - Ele assim como a Bia não me cativou no começo. mas conforme a história ia passando deu para ver que ele não era só gostosura, também tinha senso de humor, simpatia e luta pelo que quer.

Arthur - Ao contrário do que deveria, não o odiei. Ele terminou com a Bia, pois o pavor da responsabilidade caiu como uma avalanche. E atire a primeira pedra quem nunca teve um frio na barriga quando viu seu relacionamento ficar sério ou cair na mesmice. Só achei que ele foi muito besta em aparecer depois de tanto tempo e querer perdão.

Outro assunto que a autora aborda na história, é o pavor de entrar na casa dos trinta.
Eu tenho 31 e pra mim 30 é só um número. Não fiquei neurótica, sei lá não consigo entender a neurose dos 30 anos, que não só acomete as mulheres, mas os homens também.

"Você Tem Meia Hora" não é o meu tipo de literatura favorito, mas eu devorei as páginas com o mesmo entusiasmo que devoro os livros mágicos e cheios de mistério.

Onde Comprar: http://www.oficinadelivros.com.br
Skoob:  http://www.skoob.com.br/livro/174789

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Fazendo Propaganda #4

Finalmente vou cumprir a promessa feita a autora Luciane Rangel.
Foto com seus livros para o novo site.
Além dos livros dela também tirei uma foto com o livro Rendição da autora Josiane Veiga.

Guardians Vol 1, 2 e 3 - Luciane Rangel

Rendição - Josiane Veiga


Lembrando que vou ler primeiro Rendição e logo na sequência Guadians Vol 2 e 3.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Livros que vou ler em breve

Muitos me perguntam "Você nunca lê livros de autores estrangeiros?" E eu respondo "Sim!" "Mas dou prioridades aos livros de autores nacionais.

Para provar tirei fotos de quatro livros que pretendo ler no mês de março. Dois de autores Nacionais e dois de autores estrangeiros.

Livros Nacionais:


Rendição - Josiane Veiga


Neverending Shadows - Lana Lewis



Autores Estrageiros:



Tormenta - Lauren Kate /  Radiante - Alyson Noël


Em breve haverá novidades.



Minha Saída do Círculo de Autores Leitores

 OBS: O texto está longo, por isso paciência.


Isto é apenas mais uma rabugice minha e também para contar um pouco sobre meu ingresso ao Círculo de Autores e os motivos que me levaram a sair.

Ano passado fui convidada pelo autor Sergio Carmach a participar de um círculo de autores leitores com o intuito de reunir autores independentes a lerem os livros uns dos outros e fazer resenhas.

Eu adorei o convite e a iniciativa. Afinal, estou na luta para divulgar meu trabalho há três anos.

Uma das primeiras regras do círculo era enviar para todos os participantes um arquivo do livro por e-mail. O arquivo podia ser em PDF ou Doc. E foi aí que começou os problemas.

Uma das participantes não concordou com a regra e saiu, mas aceitou fazer parcerias individuais. Bem, eu entrei em contato com a autora e perguntei onde poderia comprar seu livro. E em breve farei a resenha. Eu tive todo esse trabalho em entrar em contato com ela, porque eu fiz uma promessa a mim mesma quando aceitei entrar no círculo: Vou ler os livros de todos e tentarei analisar a obra e sem colocar meus gostos literários e preconceitos na frente.

A autora errou em não mandar o arquivo do livro para todos? Sim! Mas como minha mãe dizia “Cada um sabe onde o calo aperta” Eu até agora não entendi direito a saída dela, por isso não posso criticá-la.

Pensei que os problemas acabariam por aí, mas isso não aconteceu.

As rodadas começaram e as primeiras resenhas apareceram. Algumas maravilhosas, mas outras foram feitas de muita má vontade, ou o resenhista colocou suas neuroses na frente ao invés de avaliar corretamente o livro.

A primeira resenha mal feita foi para o livro Escapismo da autora Rafaela Rocha, feita pela autora Valentine Cirano.


 
Na resenha a autora elogia os três primeiros contos do livro, mas para os outros três a autora diz que ver deuses gregos vampiros e homossexuais causou nela incomodo. Afinal, ela também pesquisa sobre deuses gregos e foi difícil para ela vê-los assim.
Se ela faz pesquisa, ela deve fazer que nem o rabo (Desculpa!)

Eu escrevo livros sobre vampiros e quando pesquisava material para meus livros, encontrei muitas coisas sobre mitologia grega envolvendo vampiros e rituais gregos de necromancia. E é claro o senhor dos mortos, Hades.

Ao ler o livro da Rafaela, fiquei embasbacada com o conto “Pelo amor, pelo sangue”. Eu jurava de pé junto que a autora fizera a mesma pesquisa que a minha. E para deixar o conto ainda mais incrível, ela colocou homossexualismo. Vou explicar porque é incrível.

Em 2004 saiu o filme Alexandre com o ator Colin Farell. Lembro como se fosse hoje os especialistas de História, ou que se dizem, reclamando do relacionamento homossexual entre Alexandre, O Grande e seu amigo de infância. Na época estava fazendo faculdade de Letras e minha professora de Linguística mencionou o livro, e é claro, alguns alunos perguntaram o que ela achava da boiolice. A professora disse “Semana que vem vou trazer um documentário falando sobre isso”

No documentário haviam as opiniões de alguns Historiadores dizendo que não era assim tão absurdo dizer que Alexandre, O Grande gostava da fruta, já que na Grécia antiga era normal nobres comprarem jovens rapazes para seu deleite. E que a ideia de dois homens juntos não era visto como pecado, alguns até acreditavam que era digno, nobre e até uma forma de se aproximar dos deuses.
Acho que não preciso dizer mais nada.
A autora/resenhista não é obrigada a gostar de gays, mas ela podia pelo menos ter avaliado melhor o livro da Rafaela. Pra quem lê o conto vai acredita 100% que a Rafaela fez uma pesquisa animal para o livro. Não importa se ela colocou gays na história. O que deve ser avaliado é a criatividade do autor.

Eu pensei que depois desse episódio, as resenhas sem noção acabariam, mas me enganei.

A próxima vítima foi o livro “A Insígnia de Claymor” da autora Josiane Veiga.


Não escondo de ninguém o quanto eu adoro esse livro. É um dos meus favoritos, e foi com muita dor no coração que vi e li na resenha do autor Douglas Marques dizendo que o livro da Josy estava historicamente mal ambientado.

Novamente não se pode escrever um livro de vampiros sem pesquisar detalhes históricos. E eu estou quebrando minha cabeça tentando descobrir onde foi que a Josy errou.

Eu desconfio que o autor não encontrou nada de errado, mas como a Josy publicou o livro pelo Clube de Autores, ele, em sua mente insana, disse “Eu preciso encontrar um defeito, não posso elogiar esse livro, afinal, não é um livro. Foi publicado pelo Clube de Autores”

Ah! Tenho que falar um detalhe sobre o autor. Ele escreve livros parecidos com os Dan Brown. E que fique claro, eu adorei o livro dele, mas como resenhista, ele deixa a desejar e daqui a pouco vou falar mais sobre isso.

Agora vamos a outro fato que ocorreu.

O círculo já havia começado, quando mais duas autoras decidiram sair. Não estou dizendo que elas estavam erradas, pelo menos elas avisaram que iam sair, ao contrário de alguns que continuam e nem postam suas resenhas.

Uma das autoras – Camila Prietto – saiu porque conseguiu fechar com outra editora e seu livro não podia mais ser resenhado. Tudo bem, sem problema.

A outra autora – Cynthia França – saiu porque parece que ela não teriam tempo de postar as resenhas em dia, então para não sacanear ninguém, ela pegou suas coisas e picou a mula.


Elas saíram por motivos especiais. Agora têm dois autores que estão recebendo resenhas para seus livros, mas não retribuem o favor.

Por esse motivo comecei a me desiludir com o círculo e a vontade de abandoná-lo crescia, mas não o suficiente. Mas tudo mudou no dia 04/02.

Estão lembrados do autor que resenhou o livro da Josy, então ele atacou de novo.

Agora sua nova vítima foi a autora Valentine Cirano. Agora vocês se perguntam, mas ela não detonou o livro da Rafaela, Vai defender a mulher? Sim! Ela errou com o livro da Rafaela? Sim!, mas o que o cara sem noção disse me deixou doida.

O livro se chama “Impacto Fulminante”, ainda não terminei de ler, estou na metade, mas a parte que ele criticou eu já li.


Na resenha ele disse que achava um absurdo ver uma parte do livro ser ambientada no Brasil. Quando eu li pensei “O quê?” “Como assim?” O cara é brasileiro, vive no Brasil e a editora que publicou o livro dele é brasileira. É a mesma coisa um negro olhar-se no espelho e dizer “Sou albino”

E outra, não tem como não ambientar uma parte do livro no Brasil.

Na trama aparece um pintor holandês que visitou o Brasil em meados do século XVII e pintou algumas obras muito valiosas. E agora uma sociedade secreta está atrás das tais pinturas, pois elas guardam uma mensagem subliminar.

A história do livro começa com o assassinato de um ex-membro da sociedade secreta, que esteve inúmeras vezes no Brasil atrás das obras, e deixou tudo anotado num diário, que vai parar na mão de dois historiadores, que acabam se envolvendo com a investigação de assassinato.

Agora vamos usar a lógica: Se você está atrás de obras de um pintor que visitou o Brasil, o cara assassinado também visitou o Brasil e há indícios sobre o Brasil no diário da vítima. Onde você vai começar a investigação? Brasil, é claro!

Se eles começassem pelo Nepal, aí eu entenderia a revolta do autor/resenhista.

A impressão que dá. É que como a autora faz o mesmo estilo literário dele, o cara ficou bravo e sentiu a necessidade de detonar o trabalho da coitada. Como se apenas ele e o Dan Brown têm o direito de escrever livros de investigações e sociedades secretas.

Por essas e outras na última sexta entrei em contato com o autor Sergio Carmach  e me retirei do círculo. Sai antes que o autor sem noção resenhasse meu livro. Eu aceito criticas negativas, até porque faz parte. Só não aceito criticas por burrice ou preguiça.

Posso ser uma autora amadora, mas procurei ao máximo fazer uma pesquisa decente. E não gostaria de ver uma besta dizendo coisas sem noção.

É com muita dor no coração que saio do Círculo. Afinal o Sergio teve uma ótima ideia, pena que os outros não levaram a sério.

Aos autores que eu ainda não li o livro: Valentine, Camila Nascimento, Camila Prietto e Cynthia França, não se preocupem vou ler os livros de vocês. Sai do círculo, mas vou cumprir a promessa que fiz a mim mesma.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

(Resenha) O Segredo dos Colt - Kel Costa


Sinopse:
Uma faculdade, uma adolescente extremamente comum e um respeitado grupo de jovens bem peculiares.

Em um mecanismo de narrativa dupla, "The Colt's Secret - O Segredo dos Colt" é contado ao mesmo tempo por Madison Foster, a garota que de um dia para outro tem sua vida mudada e Christopher Colt, o misterioso galã que esconde um precioso segredo.

Se você não acredita em vampiros, talvez seja melhor reavaliar suas crenças.

Resenha:

Eu, como apreciadora e escritora de livros de vampiros, finalmente farei uma resenha sobre um.

 À primeira vez que me deparei com “O Segredo dos Colt” foi em 2009, quando publiquei meu primeiro livro no Clube de Autores.

 Um dia visitei o site e procurei por outros livros de vampiros. Li a sinopse de “O Segredo dos Colt” e fiquei com vontade de ler, mas devido a problemas com grana, só consegui comprá-lo no mês passado.

 O livro conta a história de Madison Foster, uma garota de 18 anos, estudante e que acaba de ingressar na faculdade. E é lá que ela conhece um grupo com seis jovens muito belos, misteriosos e de quebra, vampiros. Não preciso nem falar que ela se apaixona por um deles.

 Já sei o que você vão dizer “É igual a Crepúsculo”. Bem, o livro têm três coisas em comum com Crepúsculo.

1 – Vampiro e humana se apaixonam
2 – Há uma família de vampiros
3 – Eles não dormem

Mas as semelhanças acabam por aí.

Apesar do livro ter três semelhanças com Crepúsculo, a autora Kel Costa conseguiu desenvolver a história com muito mais ritmo.

Isso prova uma teoria minha: Não são os elementos que fazem Crepúsculo uma droga, foi a incapacidade da autora de manter um bom ritmo e é claro, criar uma protagonista chata pra burro.

Voltando a resenha:

O livro é narrado em primeira pessoa e por dois personagens: Madison (A humana) e Christopher (O vampiro). O que dá a possibilidade de ver dois lados da mesma história.

Quando a Madison narra, vemos a história com um olhar cor-de-rosa, meio conto de fadas. Quando é a vez do Christopher, vemos sangue, briga, humor negro e sarcasmo. Por mim, o livro deveria ter sido narrado somente por ele. Eu sempre digo que um livro de vampiro deve ser narrado pelo próprio.

Meu personagem favorito é o Christopher. Também gostei de sua família, e dou os parabéns para a autora por não ter feito os Colt seguranças da Madison (Como os Cullen). Eles não estão nem aí para a Madison, se eles pudessem fariam um lanchinho com ela.

O único detalhe que eu não engoli foi a história de amor. Pra mim é um pouco difícil aceitar que um vampiro seja capaz de amar um humano, que é seu alimento.

É como diz o Felipe Neto naquele vídeo sobre Crepúsculo “Um vampiro se apaixonar por uma humana é a mesma coisa que você se apaixonar pela vaca”. E olha que eu não gosto do cara.

Pra mim a única autora que quase conseguiu criar uma história de amor entre um vampiro e uma humana, foi a Stephenie Meyer – Agora senti um dor no coração por dizer isso.
Vou explicar:

Os livros podem mudar a imagem do vampiro, mas tem um detalhe que não pode mudar: A urgência por sangue.

Sangue é tudo para um vampiro. É como diz Lestat em Entrevista com o Vampiro (O filme, não o livro) “A dor é terrível para você, sente-a como nenhuma outra criatura, porque é um vampiro” “Então faça o que manda sua natureza fazer e vai sentir-se como quando estava com a criança nos braços.”

No livro da Kel Costa os vampiros são tradicionais, com presas, bebem sangue humano e até torturam um pouco suas vítimas. E por causa desse tradicionalismo é que eu não consegui engolir a história de amor.

Agora vocês devem estar se perguntando “E por que Crepúsculo é aceitável?” Simples, eles não bebem sangue humano.

É difícil saber o que se passa na cabeça do Edward, afinal o livro é narrado pela Bella. Mas em alguns momentos parece que o Edward não bebe sangue humano porque ele sente falta de sua humanidade. É como se ele não aceitasse sua natureza e faz de tudo para fugir dela.
Enquanto os outros da família só não bebem sangue humano por respeito ao Carlisle.

Pra quem leu todos os livros sabe que os outros membros da família Cullen se casaram com seres de sua espécie. Já o Edward teve a oportunidade de pegar vampiras, mas não quis. É mais um exemplo de como ele foge de sua natureza. Por isso quase dá para aceitar a história de amor. Eu só não engulo por completo, porque ele escolhe a garota mais songa-monga da escola.

Apesar de um detalhe não ter me agradado, recomendo “O Segredo dos Colt”, o livro tem ritmo, é bem escrito e tem um pouco de humor.
Espero que a autora continue a escrever a história de Madison e Christopher. Quero ver mais momentos em que Christopher é brucutu com a namorada.

Onde Comprar: http://clubedeautores.com.br/book/9602--The_Colts_Secret__O_Segredo_dos_Colt
Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/64101