Almas

Em 2010 surgiu a vontade de escrever algo mais sombrio, e é claro, uma história para o público adulto. Mas não estou falando de um livro recheado de cenas de sexo, não. Estou falando de um livro com mais ação, investigação, mistério e menos piadas.

Pra quem conhece meus trabalhos anteriores (Lua Escarlate e A Chave Mestra), sabe que humor é minha marca. Praticamente todos os capítulos possuem uma piada ou cena inusitada.

Com Almas a coisa seria diferente, mas nem tanto. Ainda coloquei algumas piadas e ao invés de cenas bizarras, quem fazem o leitor rir, coloquei cenas um pouco macabras, como: Duas cenas de suicídio.

A trama gira em torno de Susan, uma jovem de 21 anos, que descobre que a irmã mais velha Meredith cometeu suicídio. Conforme a trama vai se desenvolvendo, Susan vai descobrindo segredos da irmã, de sua família e sobre si mesma.
E assim como meus outros livros, Almas possui criaturas sobrenaturais. Desta vez dou lugar a anjos, demônios, nefilins e outros. Vou explicar...

Quando comecei a escrever Lua Escarlate, que como sabem era um livro sobre vampiros. Eu queria criar um universo onde todas as criaturas que saíram da minha cabeça iriam interagir entre si (Calma, não é nada tipo Os Vingadores).

Pra quem já leu os três livros de Lua Escarlate, sabe que no final do 3º livro, é mencionado que bruxos desapareceram e foram parar num mundo paralelo. Essa era uma pequena mostra de que A Chave Mestra estava prestes a existir.

É claro que A Chave Mestra é uma série exclusiva para bruxos, criaturas mágicas e deuses. Os vampiros serão apenas mencionados.
Agora em Almas vou fazer a sala mista que desejava. Os outros que mencionei serão vampiros e deuses.

Não pensem que o livro é uma cópia de Os Instrumentos Mortais, pois não é. Em Almas não há objetos mágicos capazes de causar o apocalipse e nem um conselho que dita regras e alguém que quer destruí-lo.

Almas como o próprio nome diz é sobre vender a alma para obter o que se deseja. Seja poder, um amor perdido, salvar a vida de alguém ou vingança.

Curiosidades:

Levei três anos para terminar o 1º volume da trilogia. Cheguei a “terminar” o primeiro livro em 2012 e até postei os sete primeiros capítulos no Bookess. E então aconteceu uma coisa...

Li o que havia escrito e comecei a ficar decepcionada. Motivo: Dois personagens que criei não ficaram como eu queria.
Quando crio um personagem, suas características físicas, temperamento, normalmente consigo visualizar seu rosto na minha mente. É por isso que é difícil montar o tal “Elenco dos sonhos” como muitos autores fazem. Para monta-lo sempre recebo ajuda dos meus beta-readers.

De todos os personagens que criei em Almas, os únicos que não conseguia visualizar o rosto eram Thomas e Noah. E por esse motivo ambos ficaram sem graça.

Cheguei a pensar em jogar o livro no lixo e desistir da trilogia, e foi aí que algo surgiu.

Isso que vou mencionar já aconteceu com Lua Escarlate e A Chave Mestra. Um belo dia estou sofrendo com a falta de inspiração e fico olhando para a página no caderno, com algumas frases e várias outras rabiscadas, quando de repente, o rosto de algum ator surge na minha cabeça. E não adianta tira-lo de lá. O bendito parece criar raízes e não sai nem sob decreto. Resultado: Ele acaba se tornar material de inspiração para um personagem.

Acreditem, não curto isso. Acho bizarro, afinal, não sou do tipo fã fanática. O máximo que sei sobre meus atores favoritos são seus filmes e data de nascimento. Vida pessoal é algo que não me interessa. Então, usar um ator como inspiração é doido. Mas às vezes a doideira provoca coisas inusitadas. Como por exemplo, criar um diálogo para o personagem e descobrir meses mais tarde, que o ator que foi usado como inspiração falou a mesma coisa numa entrevista.

E sabe de uma coisa... Isso aconteceu com Lua Escarlate, A Chave Mestra e com Almas a coisa foi ainda mais bizarra.


Criei uma característica física para meu personagem Noah, inspirado numa anomalia genética que vi sobre olhos. Uma coisa sobre a pigmentação da íris. Enfim, achei esse troço louco e disse... Noah terá olhos bizarros, meio mágicos. Dois meses após terminar o livro (E até publicá-lo) o que eu descubro? Que o ator que inspirou o personagem também possui essa anomalia. E por essas e outras que eu ainda vou jogar na mega sena.

Sinopse e Capa:






Susan acabou de se formar na universidade. Aos 21 anos e recém-formada, ela está cheia de planos. Mas na manhã seguinte a sua festa de formatura, ela recebe a notícia que sua irmã mais velha morrera.
No início Susan pensa que ela sofrera um acidente, assim como a mãe das duas, que morrera atropelada. Mas não, sua irmã tirou a própria vida.
Susan não acredita. Ela está convencida que a irmã seria incapaz de tal ato. Então ela parte para uma investigação, que não só revelará a verdade, mas irá jogá-la no meio de uma disputa que se iniciou há mais de seis mil anos.

FANPAGE

Onde Comprar:

AMAZON - E-BOOK
CLUBE DE AUTORES - VERSÃO IMPRESSA



Sinopse -  Após vender a alma para salvar a vida de sua amiga, Susan acredita que o Coletor cumprirá com a promessa de mantê-la em segurança. Porém, uma invasão a sua casa e um ataque, a fazem pensar que talvez há coisas piores a caminho. Afinal, o Coletor não é o culpado pela compra de sua alma.

Quem poderia ser o responsável? Quem é o demônio que invadiu sua casa? E o que ele poderia querer?

Com apenas seis meses e dez dias de vida, Susan decide se unir a última pessoa em quem confiaria – Noah – e que a cada segundo a deixa mais e mais confusa.

Enquanto Noah promete procurar por respostas, Susan parte em busca da única coisa que pode ajudá-la... As lembranças da alma. Só assim ela poderá descobrir quem realmente é e por que Noah e Thomas estão sempre a rondá-la? 


Nenhum comentário:

Postar um comentário