quinta-feira, 21 de abril de 2016

(Resenha) As Grandes Aventuras de Daniella - L. L. Alves








Sinopse: Bom, o que eu tenho a dizer sobre esta história maluca que estou prestes a contar? É simples: vocês não vão acreditar. Sério mesmo. Vai parecer loucura, com minha boca suja, dois pés esquerdos, noites inusitadas e quilinhos a mais (muito a mais, mas não vamos entrar em detalhes...). Mas vou fazer o quê? É a verdade. E eu vou contar para vocês porque... Sei lá. Na verdade, eu nem devia estar contando, alguns de vocês vão se chocar. Ainda está aqui? Bom, o risco é todo seu. Prepare-se.
Ah, é verdade, esqueci de me apresentar (típico). Meu nome é Daniella Fagundes, vinte e oito anos, namoro Thiago há dois anos e posso dizer que tudo está mais que perfeito! (xi, exagerei agora, né?). Também adoro comer e sou diferente de qualquer outra mulher que já tenha contado sua história para você. Por quê? Porque sou uma daquelas mulheres conhecidas como gordinha. Sabe como é? Eles não se referem a mim como a sagaz Daniella ou a superconfiante Daniella. Sou apenas a gordinha do grupo. Sempre tem que ter um, não é?
Bom, é isso aí, acho que deu para entender. Afinal, vocês estão prestes a conhecer as minhas aventuras de autoconhecimento e de... Comece a ler, ué. Não quer perder um segundo, quer?

Resenha:

Olá! Depois de dois meses o blog voltou =). É claro que ele vai ficar parado depois deste post, mas vou tentar voltar no mês que vem. Ou antes, quem sabe.

Hoje trago a resenha do livro “As Grandes Aventuras de Daniella” da autora L. L. Alves. Este é o segundo livro que leio da autora, e posso dizer que sua escrita amadureceu bastante.

Em “As Grandes Aventuras de Daniella” nos deparamos com Daniella, uma mulher fofinha, boca suja, atrapalhada e hilária. Daniella está começando uma nova fase em sua vida, está saindo de um emprego horrível para trabalhar com o namorado Thiago, que acaba de montar seu escritório de advocacia. Mas apesar do futuro promissor e do namorado perfeito, Daniella não consegue se aceitar. Por causa de seus quilinhos a mais, ela não se vê como realmente é, e não consegue controlar seu ciúme. (E acredite, Daniella, eu te entendo).

E por causa de todos esses elementos, o namoro que parecia perfeito começa a azedar e acaba chegando ao fim. Mas Daniella não se dá por vencida, e ao lado das amigas, vai de encontro as suas aventuras inusitadas e hilárias.

Como disse no início da resenha, a escrita da autora amadureceu e muito. Podemos ver que a autora soube como mostrar o drama e o que se passa na cabeça, de nós gordinhos. Eu também sou gordinha e me incluo. Muitas das situações em que Daniella se encontra, eu também já me encontrei. Já passei pela situação em que uma mulher mais esbelta do que eu, tentou roubar meu namorado na cara dura. Também cheguei a ser questionada do por quê meu namorado escolheu alguém tão gorda e nojenta como eu para namorar.

Mas ao contrário da protagonista, sempre me aceitei. Eu sei que aos olhos dos outros, sou feia e ridícula, mas isso não me entristece. Eu me amo do jeito que sou. Sempre estarei acima do peso, até porque já fiquei magra uma vez (Por causa de problemas de saúde) e odiei o que vi no espelho. Eu chorava ao me ver magra, como os ossos da minha clavícula aparecendo.

Mas apesar do livro ter sido escrito para gordinhos, os dramas da personagem também podem servir para os magros. Acreditem, eu já vi gente magra sofrendo o mesmo tipo de bullying que eu sofro por ser gorda.

As Grandes Aventuras de Daniella” tem uma trama gostosa de se ler, diverte, mas também mostra como a ditadura da beleza é.


Onde Comprar
Skoob
Fanpage da Autora

domingo, 14 de fevereiro de 2016

(Resenha) Micaela & Maire - Luciane Rangel






Sinopse: Maire Goldsmith é irlandesa e cursa biologia na Universidade de Madrid. Linda, delicada, simpática, agradável, extrovertida e ambientalista ferrenha... Não é a toa que é chamada pelos amigos de "Garota-Perfeição".
Já a italiana Micaela Angeli seria o mais completo oposto: estudante de Engenharia da Computação, extremamente racional, além de não ser de muitas palavras nem o melhor exemplo de simpatia ou delicadeza. 
Além de tudo isso, outro fator as difere: Maire é homossexual; já Micaela, além de hetero, acabou de sair de um relacionamento turbulento. 
Nas páginas do primeiro extra de Guardians, descubra como ocorreu este primeiro encontro e como iniciou-se essa amizade que evoluiu para um romance proibido. 

Resenha: 

Guardians é a minha trilogia favorita e ter a oportunidade de ler uma nova história desse universo é simplesmente incrível. 

"Micaela & Maire" primeiro livro extra de Guardians nos mostra como esse casal se conhece antes dos acontecimentos na trilogia. Apesar de não possuir cenas de ação, o livro é uma delicia. 

Recheado de cenas hilárias, Luciane mostra que a teoria do "os opostos se atraem" faz todo o sentido.

De um lado temos Maire, vegetariana, sorridente, simpática. Alguém que gosta e tem facilidade em fazer amigos. 
Do outro lado temos Micaela, carnívora, séria, desconfiada e que se pudesse teria um carro como bicho de estimação. 

E apesar de todas essas diferenças, as duas se encontram e começam uma amizade, que com o passar do tempo evolui para outra coisa. 
Dei altas gargalhadad com o jeito alegre de Maire, que com muito custo consegue tirar sorrisos de Micaela, que num primeiro momento ficar surpresa com a capacidade da ruiva de sorrir logo de manhã cedo. 

"Micaela & Maire" é um livro com um romance entre duas mulheres, e em nenhum momento a autora forçou a barra. Luciane conseguiu pegar um tema  polêmico sem apelar para o pornográfico. 

E ao contrário do que muitos pensam, Luciane não criou as duas personagens para ficar rica, até porque nós, autores nacionais não vendemos rios de livros. Se fosse assim, todos os autores nacionais estariam nadando numa Caixa-Forte como o Tio Patinhas. 

Se você procura uma ótima aventura e ainda por cima de um autor nacional. Guardians é uma ótima opção. 

E se quiser começar a leitura pelo livro extra, não tem problema, ele não possui spoilers da trilogia.

Onde Comprar
SKOOB

sábado, 13 de fevereiro de 2016

(Resenha) Psedônimo Mr. Queen - Loraine Pivatto





Sinopse: Dia 21 de Dezembro, e a temida profecia Maia acaba de se cumprir. Cidades devastadas, ruas vazias. A população mundial bruscamente reduzida. E a história dos sobreviventes começa a ser contada.
Os escolhidos iniciam um novo mundo, baseado nas novas regras passadas através dos sonhos.
Agora serão 2 vidas. A primeira até os 70 anos, a segunda a pa
rtir dos 20 e até os 100. 150 anos no total.
Nenhum segundo a mais.
A sociedade começa a surgir. Sem desigualdade, sem dinheiro, sem doenças. Sem possibilidades de mortes prematuras. Exceto por uma maneira.
Uma única maneira de morrer, mas que não pode ser revelada.
Um segredo que precisa ser guardado, para salvar a sociedade de si mesma.


Resenha: Olá! Após quase um mês de ausência estou de volta. A resenha de hoje é para o livro "Pseudônimo Mr. Queen" da autora Loraine Pivatto. Recebi este livro através de um book tour realizado pela própria autora.
"Psedônimo Mr. Queen" conta a história da família Brandão, mais precisamente de três mulheres: Regina, Larissa e Vitória.
Regina é uma mulher bem sucedida e aparentemente bem casada. Porém, no dia de seu aniversário (21 de Dezembro) ela descobre que o marido vinha dando seus pulinhos com sua melhor amiga. E num momento de raiva,  Regina comete um assassinato. Após tal evento o mundo chega ao "fim". A tal profécia Maia se cumpre.
Regina comete o assassinato, o mundo acaba, ela desmaia e quando acorda tudo está mudado.
Algumas construções desaparecem, assim como as pessoas e apenas algumas de elas permanecem neste novo mundo: os escolhidos. São eles que dirão através de sonhos como essa nova sociedade deve funcionar.
Sociedade essa que é perfeita. Sem desigualdade, disputas, doenças ou mortes. Mas é claro que nem tudo é um mar de rosas e logo a humanidade faz o que faz de melhor que é... Estragar o sistema. E eis que surge o TUV (Tabela Universal de Valores). As pessoas passam a postar todos os seus feitos em redes sociais para subir na pontuação do TUV.
E sim, autora faz uma critica ferrenha a máfia dos "likes" e a celebridades ultramente cultuadas e seus fãs enlouquecidos. Esse detalhe tem um quê de youtubers e suas fãs.
"Pseudônimo Mr. Queen" é uma distopia, mas ao contrário das distopias atuais não possui ação. A trama fica mais focada em explorar o mistério e o comportamento humano.

domingo, 17 de janeiro de 2016

(Resenha) Sussurros da Alma - Mandy Porto





Sinopse: Brooke Watson é uma novata na Universidade de Jericho e ela pensa que tudo que sua vida seria a partir daí - era estudar. Então ela conhece Danny Garcia, um garoto arrogante que começa a atormentar sua vida.

Tudo muda quando Brooke descobre que ele foi assassinado e que é a única que consegue ver seu fantasma. Brooke o detesta ou acha que o odeia, mas os dois deverão trabalhar juntos para descobrir quem é o assassino que acabou com a vida de Danny - um Serial Killer que está atacando especificamente garotos da universidade.

Brooke pode não ser o alvo, mas ela logo se torna um por correr atrás de respostas. Danny está morto, mas será que ele poderá salvá-la? Ou melhor, como os dois poderão se salvar do amor que cresce a cada momento que estão juntos?

O amor é algo engraçado, ele pode nos pegar em momentos que menos esperamos.


Resenha: 

Este é o segundo livro que leio da autora. O primeiro foi "Diário de Um Anjo" que apesar da ideia interessante, não conseguiu me agradar. O livro tinha uma escrita amadora, muito parecida com de uma fanfic. 

Porém, com "Sussurros da Alma" vemos a evolução da autora. Sua escrita melhorou bastante, mas mesmo assim ainda há alguns deslizes. 

Avaliei o livro no Skoob com 4 estrelas. E o motivo é este: o serial killer criado pela autora foge da mesmice. Até mesmo as vitímas fogem do lugar comum. 

Em livros com assassinos em série, normalmente as vitímas são sempre mulheres. Foi legal ver uma mudança. 

Mas não posso negar que o livro me decpcionou em dois momentos. 

O primeiro foi a falta de investigação feita pela protagonista. Pensei que Brooke iria usar sua "influência" no necrotério da universidade atrás de provas. Também pensei que ela tentaria usar os pais, que são advogados para conseguir alguma informação da polícia, e nada. 

Brooke apenas passa metade do livro se questionando se deveria amar ou não um fantasma. 

E o segundo foi o final. Gostaria de dar mais detalhes, mas seria um baita spoiler. 

Mesmo assim recomendo o livro. Ele tem altos e baixos. No geral, uma leitura agradável.


Onde Comprar
SKOOB

(Resenha) Kinshi Na Karada - Josiane Veiga


Sinopse: Japão, 2 Guerra Mundial.
Apesar do começo promissor, o exército japonês, um dos mais bem armados e fortes de sua época, viu-se acuado, pronto para a derrota. Na terra do imperador, o medo parecia acompanhar, como um guardião, cada habitante do país. Nas ruas, a Kempeitai - Corpo de Soldados da lei - impunha sua vontade com brutalidade e até a morte.

O Japão iniciava a década de 40 dividido entre a esperança e o medo dos dias vindouros.

Shiromiya Kazue cresceu nas ruas, órfão, acompanhado do irmão que o vendia a troco de arroz. Desde pequeno sua aparência feminina contribuia para que o preço de sua carne fosse o bastante para que ambos pudessem sobreviver aos dias cruéis. Porém, num ambiente em que sobravam pessoas famintas e faltava dinheiro, ser jovem e bonito já não bastava. Foi assim que ele precisou se transformar em mulher.

Ryo era um poderoso comerciante, dono de uma frota de barcos pesqueiros viveu o período turbulento com relativa calma. Comprava a paz que necessitava, assim como o corpo daquelas com quem queria se deitar. Mas a vida ainda haveria de ensinar-lhe que, nem sempre, o coração de alguém está á venda e nem tudo é o que parece.

Kazue e Ryo se cruzam num momento difícil de suas vidas e não sabem o que fazer perante o que entre eles surge. Como Kazue, acostumado á dor e ao abuso poderia entregar o coração a alguém que o via apenas como mercadoria? E como Ryo poderia amar um homem?

Kinshi Na Karada pode ser traduzido como o Corpo Proibido para o português, e a história retrata a sociedade japonesa da década de 40. A honra e a vergonha se cruzam, mostrando o que, de fato, existe em cada um de nós, humanos.

Resenha:

Sempre que me perguntam "Qual autor nacional você indica?" Minha resposta é sempre essa "Josiane Veiga". Ler algo que essa autora escreve é ser transportado para o mundo podre, mágico e desafiador que é a humanidade. 

Sei que muitos leitores gostam de livros que não tem nada a ver com a realidade, mas esse tipo de leitura acaba sendo por muitas vezes enfadonha. Livros podem ter o lado fictício, é claro, mas para serem convincentes precisam de algumas doses de realidade.

E com Kinshi Na Karada, a Josy mostrou que seu talento não tem limites.

Adoro histórias ambientadas na Segunda Guerra, mas até pouco tempo as únicas que li ou assisti estão focadas na Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos. Muito pouco no Japão. O único filme que vi até hoje foi "Cartas de Iwo Jima". Então quando soube que a Josy iria escrever um livro ambientado no Japão e durante a Segunda Guerra, pirei na batatinha.

Kinshi Na Karada gira em torno de Kazue, um jovem que desde cedo conheceu a maldade humana. Foi diversas vezes violentado. Seu irmão mais velho o vendia a troco de migalhas, mas seu destino muda, quando encontra Aiko, dono de um prostibulo, que o acolhe e com a promessa de que nunca mais terá que vender o corpo. 

O mundo de Kazue volta a se iluminar. Fora das ruas e da violência. Agora o rapaz ganha a vida se vestindo de Gueixa e entretendo os clientes da Casa Ai, com sua beleza e dança.

Mas como o mundo não é perfeito, logo entra em cena Ryo, um homem rico que acha que pode conseguir tudo com dinheiro. Ele se encanta e ao mesmo tempo tem nojo por Kazue. Ryo passa a viver um conflito interno, mas seu preconceito muitas vezes passa do limite, causando ainda mais dor a alma já tão frágil de Kazue. 

Sim, Kinshi Na Karada é um romance LGBT e ao contrário do que muita gente pensa, não só putaria (desculpem pelo palavrão). O livro tem cenas de sexo, mas os personagens não batem o olho um no outro e pulam na cama. Não. 

Josiane mostra o relacionamento com seus altos e baixos. Existe cumplicidade entre os personagens. Afinal, relacionamentos de verdade são complicados. Não é fácil confiar e se entregar logo de cara. 

Vamos aos Personagens:

Kazue: Fragilidade seria a palavra que melhor o descreve, mas conforme a trama avança, mostra que tem força e muita coragem. 

Ryo: Rico, mimado, arrogante. Um verdadeiro nojo. Josy, eu posso matá-lo, por favor?

Aiko: Apesar de seu bom coração, vive preso a segredos e a um amor sem futuro. Shin não serve. Ele tem que acabar com o Jiro. 

Shin: Esse é outro que eu quero matar. O cara é bipolar, só pode.

Jiro: É o único do grupo que é um pouco normal. Pelo menos é realista e se importa com os outros. Ele é perfeito para o Aiko.

Kinshi Na Karada é incrível em todos os sentidos. Um livro que vai deixá-lo arrebatado e pedindo por mais.