quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Fazendo Propaganda # 2

Meu último post do ano (Como se 2012 estivesse muito longe)

Guardians - Volume I - Luciane Rangel

O rabisco da autora, hahaha!

Marcadores de Página

Mais marcadores.

O Diário de Emily Christine - Luana Ciriaco

Em breve terei mais livros de outros autores independentes, e é claro, mais propaganda.
Um Feliz Ano Novo para todos e até 2012 ( Até parece que está tão longe assim).

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

(Resenha) O Diário de Emily Christine


Sinopse:
Depois de receber inumeras cartas anônimas, e ter sua irmã sequestrada. Emily é obrigada a correr contra o tempo, para salvar sua familia, e desvendar os segredos que rondam o seu nascimento.

Quando escolho um livro sempre sigo os seguintes passos: Leio o nome, a sinopse e se tiver, algumas resenhas. Nunca escolho um livro pela capa ou por ser escrito por alguém famoso. O único livro que já li de um escritor/apresentador/celebridade foi  "O Xangô de Baker Street" do Jô Soares, e só li porque vários amigos meus elogiaram.
Há três semanas estava navegando pelo site Clube de Autores vendo alguns livros, quando o nome de um chamou minha atenção.
Li a sinopse e comprei o livro "O Diário de Emily Christine da Luana Ciriaco.

A história é narrada pela protagonista Emily, uma adolescente de 15 anos, que mora com os pais e a irmã Sabrina. Emily é a típica adolescente que eu não fui. Nunca gostei do cara mais lindo da escola e não quis uma festa de 15 anos. O único detalhe que gostei em Emily foi o amor dela pela família.
O mundo de Emily começa a mudar quando no dia de seu aniversário, ela recebe uma carta anônima, e depois mais outra e outra. Então no dia em que ela vau a uma festa na escola, ela recebe uma ligação de irmã, mas não dá muita importância. Mal sabia que ao chegar em casa, ela descobriria que a irmã fora sequestrada.
É aí que a história começa a ficar legal. Telefonemas anônimos, pistas dadas pelo sequestrador e Emily jogada no meio de tudo isso.

O livro é muito bom e recomendo. Mas nem tudo é um mar de rosas. A autora cometeu três deslizes. Se eles não existissem a história seria perfeita.
Não gosto de puxar a orelha de outros escritores, pois apesar de ser também uma, não analiso o livro como escritora e sim, como leitora. E como eu vi que a Luana leva jeito para o suspense, vou dar umas dicas para ela deixar a história ainda melhor.

Deslize um: A autora não enrolou muito para fazer as cartas dois e três aparecerem. Estou reclamando porque ao receber a terceira carta, Emily tem um surto e se tranca no banheiro da escola. Eu adorei a cena, mas ela teria ficado melhor se a autora tivesse feito com que Emily fosse atormentada mais vezes antes desse acontecimento. Ficou meio Bum, rápido demais.

Deslize dois: Num determinado momento um personagem desaparece e aparentemente foi assassinado. Então fica aquele suspense Será que está vivo? Onde está o corpo? Mas isso não acontece, pois antes mesmo de você ficar com a dúvida, Emily menciona que o personagem desaparecido se casa com outro. E pela maneira que ela menciona, nem dá para você acreditar que o personagem fingiu a própria morte para fugir de alguma culpa.
O final ficou óbvio e para um livro de aventura/suspense não é legal.

Deslize três: Esse foi o deslize que menos me "irritou", mas como eu sei que há leitores muito chatos, que se encontram um erro de português começam a pintar a caveira do autor, vou citar os que encontrei, assim a Luana pode corrigi-los.

Acento no lugar errado. Capítulo tem acento agudo na letra I e não na letra A.
Confusão com as palavras Esta e Está
Esta é pronome demonstrativo
Está é verbo.
Erro ortográfico com a palavra Estante
No livro a autora escreveu Instante.

Não estou dizendo que a Luana é uma péssima escritora. Ela tem talento e muito, mas ela pode melhorar.

Onde Comprar: http://www.clubedeautores.com.br/book/49682--O_DIARIO_DE_EMILY_CHRISTINE

Blog da Autora: http://universo-liter.blogspot.com/

Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/208044

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

(Resenha) Ecos da Morte - Kimberly Derting


Sinopse:  Violet Ambrose tem dois problemas – o dom mórbido e secreto que carrega desde a infância e Jay Heaton, seu melhor amigo, por quem está apaixonada. Aos dezesseis anos e confusa com os novos sentimentos em relação a Jay, ela começa a ficar cada vez mais incomodada com sua estranha habilidade – Violet encontra cadáveres. Desde pequena ela percebe os ecos que os mortos deixam neste mundo. Ruídos, cores, cheiros. Mas não todos, apenas os das vítimas de assassinato. Para ela, isso nunca foi um grande talento. Na maioria das vezes, tudo o que encontrava eram pássaros mortos, deixados para trás pelo gato da família. Mas, agora que um serial killer está aterrorizando a pequena cidade onde mora e os ecos das garotas assassinadas a perseguem dia e noite, Violet se dá conta de que talvez seja a única pessoa capaz de detê-lo. Em pouco tempo ela estará no rastro do assassino. E ele, no dela.

Resenha:  Fiquei em dúvida se fazia uma resenha para esse livro ou não.
Eu sempre leio livros de autores estrangeiros e quase todos eles são voltados para o publico adolescente. E vou dizer uma coisa. Como tem porcaria por aí.
A maneira como os autores veem os adolescentes é triste, principalmente as meninas. Parece que elas só pensam em maquiagem, revista Capricho e Justin Bieber.
E como tia de dois adolescentes, isso me deixa louca. Meus sobrinhos têm opinião e muita.
Quando comecei a ler Ecos da Morte (O primeiro livro da série The Body Finder), pensei que seria mais um livro com uma garota songa-monga "apaixonada" pelo melhor amigo. Mas o livro me surpreendeu. Pela primeira vez uma autora consegue descrever a adolescência de uma maneira palpável.

O livro conta a história de Violet, uma garota capaz de encontrar pessoas mortas, que não receberam um enterro decente. Ela pode ver e ouvir o rastro deixado pelos mortos e não apenas isso, mas também o rastro deixados em seus assassinos.
As coisas começam a ficar feias, quando um serial killer aparece na cidade e começa a sequestrar e matar garotas jovens. Então Violet decidi usar suas habilidades para encontrá-lo.

O enredo lembra um pouco o filme "O Colecionador de Ossos". Ele tem um pouco de suspense, romance e dramas da adolescência.
Mas as minhas partes favoritas são:

A maneira como a autora trata o assunto "Apaixonada pelo melhor amigo". Violet e Jay são realmente amigos e realmente apaixonados. A amizade deles existe há anos e não há interesses egoístas.
Outra coisa que gostei foi a cena em que Violet vai até o cemitério para captar o eco de uma das garotas assassinadas. A forma como a protagonista se sente é como eu me sinto quando vou a um. Um lugar frio e cheio de vibrações estranhas.

O único ponto "negativo" do livro, é que não parece uma série de livros. Não fica nenhuma pergunta no ar.

Os outros livro da Série:

Ecos da Morte - The Body Finder
Desejo dos Mortos - Desire of the Dead
The Last Eco - Sem tradução para o português. O título pode ficar assim: O Último Eco.
O nome do quarto livro ainda não foi divulgado

Site da autora: http://kimberlyderting.com/

domingo, 18 de dezembro de 2011

(Sorteio) A Insígnia de Claymor - Resultado


Boa Tarde! Vamos ao resultado.
A vencedora é...

Aoyagi Ritsuka

Parabéns!
Agora peço a ganhadora que envie um e-mail para catalinabmx@gmail.com com o endereço para a entrega.
Por favor não demore, pois eu quero enviar o livro já na segunda ou no máximo terça-feira. Assim o seu prêmio chega antes do Natal.

Papai Noel existe!

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

(Resenha) Cartas de Siracusa

Sinopse:
Os maiores acontecimentos da humanidade sempre se iniciaram de forma sorrateira e calculada. Não seria diferente para Rachel Atkins desta vez. Quando um misterioso assassino invade toda a rede mundial de computadores divulgando cartas contendo segredos de Estado, Rachel se vê no centro de um macabro círculo de assassinatos e segredos seculares. Tendo como pano de fundo a Agência de Segurança Norte-Americana, paixões e perseguições internacionais, Cartas de Siracusa conta a história de Il Mittente, o homem que desafiou a humanidade e desvendou seu maior segredo: Sua própria história.

Antes de começar a resenha, tenho um pequeno comentário. Até agora dos livros do Circulo que já li, nenhum me decepcionou ou me causou algum incomodo. Pelo contrário, a cada segundo vejo que há ótimos autores no nosso país. Agora vamos a resenha.

Adorei Cartas de Siracusa. O livro tem um toque de Dan Brown ( Só espero que o autor não se ofenda a ser comparado com ele)

Se você gosta de uma boa investigação/ perseguição policial/ sequestros/ assassinatos e ainda um terrorista ligado em tecnologia, o livro é um prato cheio.

Logo no início ocorre um atentado contra o Papa. Com direito a explosão e o anel papal voando pelos ares. Apenas com essa cena o livro já aguçou minha "fome".

O atentado ocorre no mesmo dia em que o novo presidente dos Estados Unidos toma posse e um Cracker invade a rede mundial de computadores com uma carta, a primeira de três, que irão revelar a verdade.
Na primeira carta o terrorista chamado Il Mittente ataca em particular o Cristianismo, a biblia e Deus.

Como eu havia dito antes de começar a resenha, até agora nenhum livro me causou incomodo. Acredito em Deus, Jesus e não me senti ofendida com o que li. Talvez seja porque minha visão de Deus seja diferente. E nem vou explicar, porque ela diz respeito apenas a mim.

Não sou besta e sei que algumas pessoas podem ler o livro e acabar ofendendo o autor. Dizendo que ele é ignorante e que não estudou direito o assunto.
Mas não se esqueçam que é uma obra fictícia e que alguns fatos podem ser verdadeiros e outros não, e apenas foram colocados no livro para dar mais emoção a trama.

Outro fato interessante do livro é a disputa que acontece entre as agências do governo FBI, CIA, NSA, Pentagono. Todos eles querem pegar o terrorista e até estão dispostos a puxar o tapete um do outro para isso.

Cartas de Siracusa causou em mim uma certa frustração, porque eu queria continuar lendo, para descobrir a idêntidade do terrorista e minha miopia ficava no meio. Mas valeu a pena e MUITO!

Gostaria de contar mais detalhes, mas aí seria Spoiler.

OBS: Quando falei que pessoas podem se ofender, não estava falando do Circulo.

Blog do Autor: http://www.douglasautor.wordpress.com/
Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/131883

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

(Resenha) Escapismo


Sinopse:
O que há no coração de um escritor? Desse ser que "escapa" da realidade e encontra no papel e lápis um prazer tão grande que nem mesmo as palavras - suas eternas companheiras - conseguem descrever; que quando escreve fica completamente paralelo ao mundo e imune a todos os problemas que nele existe?

Um Universo. Um pequeno universo particular ao qual só ele tem acesso. Um universo de paisagens maravilhosas e criaturas fantásticas; onde aventuras, guerras, romances, intrigas e provas de verdadeiro heroísmo se desenrolam; a moradia de personagens que mesmo existindo apenas dentro de si, se tornam seus grandes amigos - mesmo quando são vilões; o lugar mágico no qual toda sua vontade é lei e o destino de tudo está em suas mãos.

Como conhecer um pouco desse Universo Particular? Quando “pedaços” dele são colocados no papel através de palavras e transformados em livros. Que ao chegar às mãos do Leitor, prometem uma grande viagem.

Rafaela Rocha Macedo reuniu seis pequenos "pedaços" de seu universo particular no formato de crônicas, na intenção de levar aos leitores alguns de seus personagens e um pouco de suas "vidas". Personagens que futuramente aparecerão nos próximos lançamentos da autora.

Resenha:
Se você é fã de literatura fantástica, deve ler este livro. Encontrei nele um pouco das minhas autoras favoritas: J. K. Rowling e Anne Rice. E devo confessar, desde  que a série Harry Potter acabou, eu não encontro um livro de literatura fantástica que preste. Estou lendo as séries Percy Jackson e os Olímpianos e Vampire Academy. Elas são boas, mas não conseguem despertar minha curiosidade e ansiedade.
Escapismo é a prova que literatura fantástica ainda tem salvação. Mas infelizmente as editoras deixam livros como este escaparem de suas mãos.

Agora vou falar um pouquinho de cada conto, sim só um pouco, não quero estragar a surpresa.

Presente Noturno: No conto vemos a história de dois vampiros: Levi e Lórien. Uma história comovente, que mostra vampiros com sentimentos. Um aviso para todos aqueles leitores, que partem da premissa "Vampiros de verdade são aqueles que bebem sangue humano", devem ler este conto com atenção. Não é porque o vampiro bebe sangue de coelhinhos que ele é menos vampiro. Tudo depende de como o autor propõe a ideia. Coisa que a Rafaela faz muito bem.

Por Eternia: Dos seis contos é o meu favorito. Ele trouxe lembranças da época em que eu viajava pelo mundo de Hogwarts. No conto a personagem principal Atelas está se preparando para uma batalha épica, onde poderá ocorrar várias mortes.

Incondicional:  Este conto tem um toque de As Crônicas de Nárnia. Fala de dois mundos paralelos, ocultos pela magia.
Outro tema encontrado no conto é Reencarnação. Não sei se a autora é espirita, mas a forma como ela aborda o tema, parece que ela entende da coisa. Ou pesquisou muito sobre o assunto.

Pela Paixão. Pelo Sangue: Ele surpreende pela criatividade. Transformar os deuses gregos em vampiros foi genial. Novamente parabenizo a autora pela pesquisa. Pois enquanto eu escrevia meus livros fiz várias pesquisas sobre mitologia grega envolvendo vampiros, e Hades, o senhor dos mortos, um vampiro. Incrível!
No conto também vemos um triângulo amoroso entre Hades, Apollo e Caronte.

Venha. Envolva-me. Entregue-se: Neste conto vemos Caronte em dúvida sobre sua escolha. Ele começa a ter sentimentos por Atena e vice-versa.

Em Teus Braços: Novamente vemos Caronte, mas agora ele está enlouquecido com a ideia de ser trocado, já que Hades trouxe um belo rapaz humano para casa.

Outra coisa que me deixou fascinada pelo livro foram os trechos de músicas da banda Nightwish, que é uma das minhas favoritas.

Onde comprar: http://www.clubedeautores.com.br/book/16142--Escapismo
Blog da Autora: http://www.escapismo.xpg.com.br/
Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/94078

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

(Sorteio) A Insígnia de Claymor


Em parceria com a autora Josiane Veiga, no dia 18/12/2011, vou sortear um exemplar de A Insígnia de Claymor.
Para concorrer veja as regras.

1- Seguir o twitter da autora @JosianeVeiga
2- Seguir publicamente o blog http://www.catalinaterrassa.blogspot.com/
3- Seguir o twitter de quem sorteará  livro @catterrassa (opcional)
4- Ter endereço residencial no país
5- Postar no twitter a seguinte frase "Quero ganhar A Insígnia de Claymor de @JosianeVeiga, que @catterrassa vai sortear"
Você deve postar pelo menos uma vez por dia, até o dia do sorteio 18/12, às 11:00 da manhã. E ao meio-dia sairá o nome do vencedor.
6- Para terminar, deixe um comentário no post do sorteio, com seu nome, estado onde vive e que vai participar. Se por acaso o blogger não permitir o comentário, mande um e-mail para catalinabmx@gmail.com, para confirmar sua participação.

Para facilitar a vida dos participantes não haverá a necessidade de preencher formulários várias e várias vezes. Basta seguir as regras a cima.

E desde já boa sorte!

sábado, 26 de novembro de 2011

(Resenha) O Menino que Colecionava Sonhos


Sinopse:
O menino que colecionava sonhos conta a história de Antony, um garoto de oito anos, pobre, que sofre com o alcoolismo da mãe, Sophia, e a humilhação dos colegas de escola. Amigos ele só tem um, Tommy, um garoto que assim como ele sonha em ser feliz. Antony não tem brinquedos e nem perspectivas, mas ele tem um ótimo coração e a pureza que só as crianças têm. A mãe um dia lhe disse que ele não deveria se preocupar em realizar seus sonhos e sim ajudar as outras pessoas a realizarem os seus. E por que não? Antony descobre que ajudar aos outros pode ser muito mais divertido que ele pensara, e descobre que ver as pessoas felizes é a melhor maneira de sentir-se feliz. Venha aprender como ser feliz fazendo os outros felizes. Aprenda com Antony lições de amor, companheirismo e dedicação. Um livro emocionante, capaz de mudar o mundo em que vivemos.

"(...) Quem não lê bons livros não pode ter felecidade. Não existe nada igual a deitar-se em um lugar calmo e ler um bom livro. Existem livros capazes de nos tirar do mais profundo abismo e nos levar a lugares no quais nunca pensaríamos alcançar. Ler é regar o coração. Se deixamos de ler, deixamos de regar nossas emoções e vemos aos poucos nossos sentimentos murcharem e nossa felicidade morrer"

Decidi começar a resenha com um trecho do livro. Um livro que me emocionou. A maneira como o autor narra a história foi maravilhosa.
Vemos a história de duas maneiras (Calma, não há dois narradores). Vemos o mundo pelos olhos de uma criança, que apesar das dificuldades, ousa sonhar e não só isso, mas realizar o sonho de outras pessoas.
Vemos também o olhar adulto. Aquele que já perdeu a esperança e não acredita que sonhos se realizam.

Agora vamos aos personagens principais:

Antony, um menino incrível. Seria maravilhoso se encontrássemos mais como ele, com certeza o mundo seria bem melhor. Ele vive com a mãe enfrentado dificuldades financeiras. É frequentemente humilhado pelos colegas de escola e pelos professores. E tudo por sua condição social. Mas ele não se importa, pois é rico em espirito. Ele ama a mãe e sofre com seu vício.
Antony é meu favorito, pois me idêntifiquei com ele. Também passei dificuldades financeiras, era humilhada na escola, por colegas e professores. Mas sempre que deixava àquela câmara de tortura, encontrava alegria em casa.

Tommy, o amigo leal, que está sempre por perto, seja para brincar ou para maquinar planos. E assim como Antony também enfrenta dificuldades.

Sophia, uma mulher que já sofreu diversas ilusões. Ela tenta encorajar o filho a ter sonhos, mas no fundo, ela já perdeu a esperança. Ao decorrer do livro você vai torcendo para que ela se livre do vício.

Christine (Mãe de Tommy) Ela é o oposto de Sophia. A mulher também comeu o pão que o diabo amassou, mas ela ainda tem esperança. É ela que cita o trecho do livro no início da resenha.

O Menino que Colecionava Sonhos mostra o mundo cheio de dificuldades, mas no meio de toda a tristeza aparece um menino cheio de esperança, e que com seu olhar inocente te emociona e faz com que você queira ter sonhos e realizar o sonho das pessoas.
 O livro é ótimo, e ele já entrou para minha lista de "Livros que vou comprar".
Parabéns, Darlan.

Blog do Autor: http://www.darlanhayeksoares.blogspot.com/
Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/159461

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Fazendo Propaganda

Tem gente que duvida que eu compro livros de autores independentes.
Para que não reste mais dùvidas, tirei algumas fotos.
PS: Não liguem para minha cara de doida. Não sou fotogênica.

                                                         Escapismo da Rafaela Rocha Macedo.
                                           A Insígnia de Claymor da Josiane Veiga.
                                               A Rosa entre Espinhos da Josiane Veiga.

Resenhas no Skoob

Lua Escarlate - Livro I - Água/Vinho
http://www.skoob.com.br/livro/resenhas/158180

Lua Escarlate - Livro II - Amargo/Doce
http://www.skoob.com.br/livro/resenhas/158182

Perguntas Frequentes

Post original do blog Lua Escarlate - Série
Publicado dia 14/11/2011

Semana passada foi a mais louca e gostosa (Não pensem bobagens) da minha vida.
Recebi diversos e-mails com perguntas, criticas, elogios, dúvidas, pedidos e propostas.
Como algumas perguntas eram parecidas e continuam a se repetir. Decidi colocá-las no blog.

Primeiro as perguntas técnicas:

1- Onde os livros estão à venda?
No site Clube de Autores e Bookess

2- Só posso comprar os livros pela internet?
Sim.

3- Os livros estão disponíveis para download?
Sim. Você encontra os links no blog do lado direito da tela.

4- Você tem interesse de fazer um Book Tour da Série Lua Escarlate?
Sim, mas virtual. Posso enviar o arquivo dos livros em PDF.

5- Sou dono (a) de um blog e gostaria de entrevistá-la. Tem interesse?
Sim.

6- Também sou escritor (a) independente. Você poderia ler meu trabalho e avaliá-lo?
Sim. É só mandar o arquivo do livro (de preferência PDF) ou dizer onde posso comprá-lo. Sim, eu compro. É melhor.

7- Você faria parceria com outros blogs?
Sim.

8- Tem interesse em parceria com outros escritores?
Se for para escrever algo, então a resposta é não, mas se for para divulgar trabalhos, sim.

Agora perguntas/comentários sobre os livros (Sim, ainda tem gente criticando por coisas que já expliquei aqui no blog. Mas vou repetir).
Sobre o primeiro livro:

1- Por que você criou uma família de vampiros? Já não basta aquela autora ridícula de Crepúsculo fazer isso.
2- Por que algumas características físicas dos seus vampiros são iguais aos de Crepúsculo?
3- Por que tem um médico vampiro? E por que ele morava em Forks?
4- Eu adoro a Grace, mas você não podia ter criado um cara mais legal pra ela?
5- O relacionamento da Grace e do Paul é muito Bum. E as vezes parece que ela é fria com ele.
6- Lucas tem medo de sangue. É igual a Bella.

Respostas: Quase todo mundo que faz a primeira pergunta não leu o livro ou tem aquele pensamento antiquado dos leitores da Anne Rice (De um vampiro "solitário"). E que fique bem claro, amo Anne Rice. Mas tem gente que lê o trabalho dela e acha que é a "realidade". Eu também achava, até começar a pesquisar material para meus livros, e descobri coisas incríveis. Como por exemplo: Na idade média as pessoas viam o vampiro como um zumbi (feio, sujo), nada de cara lindo e gostosão. Essa imagem foi criada pelos primeiros escritores no século XIX. Para vender livros.
Eu quis criar uma família, porque o motivo de eu querer ler a Série Crepúsculo foi pelo fato de haver uma família de vampiros e até aquele momento nunca tinha aparecido. Mas infelizmente a autora de Crepúsculo não deu a ênfase adequada aos Cullen. A única coisa que eles fazem é proteger a Bella, que nem é da família. É apenas a namoradinha do filho.
E foi por isso que criei os Saint-Claire, queria uma família de verdade.

As perguntas 2 e 3 não posso responder, pois a resposta está no 2º livro, e é uma parte importante.

***
Paul é o personagem mais odiado. O por quê? Sei lá. Paul é bom moço, cuida da irmã, tem um emprego decente. Talvez seja porque ele é muito espontâneo e a mulherada prefere um cara lindo, maravilhoso, gostoso e mais um monte de "oso".
O relacionamento deles é bum, porque quem narra a história é a Grace. A primeira versão que fiz do livro era do Paul narrando. O livro ficou legal, mas tive medo que as pessoas o comparassem com a Bella. E isso eu não queria.
Depois de escrever 15 capítulos com ele narrando, joguei o material fora e reescrevi com a Grace narrando. Na versão do Paul ficaria mais claro o por quê ele corre atrás da Grace feito um idiota e, também não haveria a lacuna de 3 meses que há na versão definitiva.
Para quem leu o 1º livro existe um espaço de mais ou menos 3 meses, desde a inauguração da loja dos St. Claire. No capítulo seguinte ao da inauguração, Grace encontra Paul no centro da cidade e eles se beijam. Na versão definitiva parece repentino, mas durante 3 meses Paul faz planos e mais planos de como encostar a Grace na parede.
Com relação a Grace ser fria, vou resumir em algumas palavras: Grace foi vampira, ela tem mais de 100 anos, viu diversas coisas. Não é uma menina de 17 anos que fica suspirando ao ver um cara bonito. Grace, apesar de amar Paul, dá mais importância a sua família.

Lucas e seu medo de sangue: Admito que retirei esse detalhe de Crepúsculo (Mais um de vários), mas há uma diferença entre ele e Bella.
Em Crepúsculo, a autora faz um drama com o fato da Bella ver sangue e passar mal. O que é (desculpa) besta! É normal um humano ter medo de ver sangue e passar mal.
No caso do Lucas, ele foi vampiro e tem no corpo um implante que o mantém humano. Na hora que ele vê sangue, ele pensa que o implante parou de funcionar, mas depois ele percebe que tem medo ou repulsa à sangue. E o por quê fica explicado no segundo livro.

Perguntas sobre o 2º livro:

1- Por que você disse que lobisomens não existem?
2- Você é a favor da pedofília?(todas as vezes que vejo perguntas assim, eu morro de rir)

Quando disse que lobisomens não existem, foi para fugir do clichê: Vampiros X Lobisomens.
Não tenho nada contra lobisomens, mas o assunto sobre a disputa entre as duas espécies já cansou. E achei que era hora de fazer algo novo.

Não sou a favor da pedofília. Vou explicar o por quê recebi essa pergunta.
No segundo livro há um personagem que é casado com uma moça de 17 anos, e por causa disso ele é motivo de piada.
Num determinado ponto do livro um personagem faz uma piada "maldosa" e com isso ele acaba cuspindo para cima, e o cuspe cai bem no meio da testa. O personagem critico acaba se apaixonando por alguém ainda mais jovem.
Criei esse detalhe para fazer mais piadas, que é a marca registrada da série.

Por enquanto acabou.
Tchau e beijos!

(Resenha) A Insígnia de Claymor


Sinopse:

Europa, Idade Média



Jehanie Claymor é uma jovem Lady que cresceu protegida pelo amor incestuoso do irmão Alexei. Sem conhecer os perigos e maldades da época, ela foi mimada e amada ao extremo. Mas, em uma viagem em que abandona o castelo de seu pai para ir de encontro ao seu noivo Garreth, vê todas as suas ilusões românticas chegando ao fim.


Sir Daniel Trent só busca vingança. Sua irmã mais jovem foi seduzida pelo cavaleiro Alexei Claymor, e abandonada por ele após engravidar. Sem esperança, a jovem matou-se, deixando Trent com a incumbência de limpar sua honra. No entanto, seu destino muda completamente ao encontrar uma jovem que perdeu a memória.


...E assim, sem saber, ele acaba se apaixonando pela irmã de seu maior inimigo...

Antes da resenha algumas considerações.

Sempre que faço uma resenha sobre um livro acabo levando puxões de orelha das leitoras mais apaixonadas pela história ou por um personagem.
Muitas das nossas opiniões vem das nossas experiências de vida e ensinamentos que recebemos dos nossos pais.
Quando tinha 15 anos aprendi três coisinhas com a minha mãe.
1- O amor é um sentimento nobre e bom, mas se levado ao extremo se torna perigoso.
2- Se você um dia sofrer algum tipo de violência ou for alguém que você ama, não adianta se vingar, torturar ou fazer justiça com as próprias mãos, porque no final você se sentirá igual. Matar o criminoso não vai trazer de volta quem você ama, pelo contrário, você estará se igualando ao bandido.
3- Existe o mal necessário. Quando por exemplo, você mata por legítima defesa. Não quer dizer que é certo, e acredite, você não vai se sentir melhor, porque matou alguém.

Agora a resenha:
Adorei o livro. Ele prende a sua atenção da primeira página a última. E conforme o tempo passa, você vai admirando ou odiando alguns personagens.
Eu adorei a Jehanie, Richard e Adam.
Normalmente eu odeio as mocinhas dos livros, mas não as da Josy. Elas têm personalidade e carisma.
Vejo que muita gente se derrete pelo Alexei, mas eu adorei o Richard. Ele tem defeitos, mas na medida certa.
Adam... Bem, um padre ateu é demais.
Agora vou falar do caroço da azeitona: Alexei.
Sei que tem um monte de leitoras que amam o cara. Não estou dizendo que elas são loucas e que precisam de remédios por gostar do cara, afinal cada um tem seu gosto e ninguém pode meter o pau.
Mas EU não gostei do cara.
Admito, ele é um vilão incrível, mas não entendo o porquê a mulherada ama tanto o cidadão.
Não acho o amor que ele sente pela irmã bonitinho, lindo, gracioso. É um amor doentio.
Ele é louco e não é porque ele quer comer a irmã (desculpa!). Ele leva o amor ao extremo, tanto que vira doença. Sim, doença.
Se você ama alguém de verdade o que você mais quer é ver essa pessoa feliz, mesmo que não seja ao seu lado.
O problema é que o Alexei não tem bom sendo. Ele quer que todas o amem e fiquem ao seus pés.
Enfim, Alexei é o vilão número um da história. Agora vamos ao "vilão" número dois: Daniel.
Alexei é mau? Sim. Não vale o que come? Sim. Merece sofrer? Sim. Mas ele seduz as mulheres por esporte. Uma espécie de hobby. É errado? Sim. Mas ele não faz por vingança, já o Daniel...
Ele passa o livro em conflito. Me vingo ou não? E o pior, ele quer fazer a mesma coisa que fizeram com a irmã dele.
Já quase no final do livro ele descobre a verdade sobre a Jehanie, mas ao invés de esquecer, não, ele se vinga. O que o torna pior que o vilão número um: Alexei não amava Rianna, já Daniel ama a Jehanie, mas o desejo de vingança é tão forte, que ele não consegue tomar a atitude certa.

Em resumo: Adorei! Adorei!
A Insígnia de Claymor é uma história envolvente cheia de... Polêmica, mas a Josy consegue dar o tempero necessário para a história não ficar um tédio.
Parabéns!
Agora quero ler a continuação. Quero ver se o Alexei vai sofrer nas mãos da Claire ou vai ser o contrário.

Onde comprar: http://www.clubedeautores.com.br/book/34152--A_Insignia_de_Claymor
Blog da Autora: http://www.fic-lovers.blogspot.com/
Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/139590

Post original do blog Lua Escarlate - Série
Publicado dia 07/11/2011

Lua Escarlate - Livro III - Perda/Esperança

Post Original do blog Lua Escarlate - Série
Publicado dia 03/11/2011

O último livro já está disponível nos sites Clube de Autores e Bookess.
Iria publícá-lo na semana que vem, mas como minha sobrinha conseguiu consertar o problema com a numeração, decidi logo colocá-lo à venda, antes que aconteça um imprevisto.

Link no do livro no Clube de Autores:
http://www.clubedeautores.com.br/book/105087--Lua_Escarlate

Link do livro no Bookess:
http://www.bookess.com/read/10389-lua-escarlate-livro-iii-perdaesperanca/

E para aqueles que possuírem página no Skoob, podem adicioná-lo.
http://www.skoob.com.br/livro/200023-lua-escarlate

Em breve ele estará disponível para download no site 4shared.

Resenha "Legal"

Lua Escarlate - Resenha - Por Joana Black
Comunidade - Twilight Lovers ( Não sei qual das existentes)

Gente, quando acho que já vi tudo, aparece uma debi mental (Isso mesmo, debi mental)
Estava lendo uns livros na Bookess, quando vi um livro chamado Lua Escarlate. Eu fiquei animada com o nome e a sinopse.

Sinopse:
Lua Escarlate é uma série de três livros, que contam a história da Família Saint-Claire (Uma família de ex-vampiros), que foge da Grécia e se muda para a cidade de St. Helens, no estado do Oregon.

Os Saint-Claire desejam um novo recomeço, mas eles sempre são perseguidos pelo seu passado, que está à espreita pronto para atacá-los.

Grace Saint-Claire e sua família acabam de se mudar para uma nova casa, na esperança de esquecer o passado.
Ela, junto com sua família devem se adaptar a uma nova vida, ou melhor "tratamento", que devolveu a eles a possibilidade de envelhecer.
Mas existe um problema : antes de abandonarem seu antigo lar, os Saint-Claire desobedeceram a lei, pois eles se tornaram a água. E a água jamais deve saber da existência do vinho.

Como vocês viram tem uma família de vampiros, apesar deles serem ex-vampiros, resolvi ver como era essa coisa.
Li os 1º s cinco capítulos sem problema, até tava legal, mas então a autora começa a chamar Crepúsculo de livro "infame", sendo que ela copiou coisas na cara dura.
Exemplos: Tem uma vampira que nasceu em 1900 - Só faltou um ano para ser igual ao Edward. Tem famílias de vampiros, tem um cara que toca piano e faz uma música para a protagonista, os vampiros não dormem, tem um personagem que tem medo de ver sangue e tem um vampiro médico.
Como muito sacrifício eu li o livro todo, mas tá na cara que a autora é hipócrita. Fala que Crepúsculo é infame e copia o livro todo. Tem cada uma.

Agora meu comentário:

Sim, meu livro tem muitas coisas em comum com Crepúsculo, mas se essa abençoada tivesse lido os agradecimentos, saberia que os livros de Lua Escarlate foram inspirados a partir de uma pergunta.

"Se vampiros existissem, o que eles diriam sobre livros, filmes e séries de Tv inspiradas neles?"

Só de ler a pergunta já dá para ver que o livro se baseia:  Ficção versus Realidade.
Lua Escarlate é como se fosse a realidade, como seria o mundo se vampiros existissem. E as piadas com Crepúsculo é mais ou menos assim: Se o vampiro existisse e ele pegasse Crepúsculo para ler, o que ele diria? Seria, que legal ou que monte de bobagem?

Quanto as semelhanças, eu já expliquei aqui no blog. Para aqueles que não leram é só procurar pelo post - Respondendo ao Fábio. Lá tem algumas respostas.

Se mesmo assim ficar alguma dúvida, pode mandar um e-mail com a sua pergunta ou critica. Vou responder com todo o prazer. Talvez demore um pouco para responder, mas a resposta vai chegar.

É isso! Não se estressem por minha causa,  sou apenas uma mulher "doida e desocupada"

Último Livro da Série

Post Original do blog Lua Escarlate - Série
Publicado dia 29/07/2011

Oi! Para aqueles que leem os livros pelo Clube de Autores ou Bookess. Tenho uma notícia sobre o último livro.
Ele já está concluído e agora está sendo revisado. Se tudo continuar no ritmo atual, o último livro da série sairá daqui a três meses. E novamente estará disponível no Clube de Autores (Versão impressa) e na Bookess (Versão on line) e o melhor é grátis.
Muitos dizem para mim que não deveria disponibilizar uma versão gratuita do livro, para vender mais. O problema é que ainda não sou muito conhecida e os preços no Clube de Autores são caros.
E tem muita gente que não quer pagar caro por um livro de uma autora Zé Mané.
O que é preconceito, pois já comprei livros pelo Clube de Autores e os que comprei valeram cada centavo.
Enfim, Lua Escarlate - Livro III - Perda \ Esperança estará disponível a partir do dia 31\10\2011.
É! Ele sairá no Halloween. Bem vampiresco

Nova Resenha

Post Original do Blog Lua Escarlate - Série
Publicado dia 20/06/2011

Lua Escarlate recebeu mais uma resenha.

http://www.fic-lovers.blogspot.com/

Sempre que recebo comentários positivos, fico feliz. Significa que fiz algo que preste.
Mas também gosto dos negativos. Eles são bons para rir.

Comentário Sobre a Entrevista

Post original do blog - Lua Escarlate - Série
Publicado no dia 17/03/2011
Como assim manerar nos comentários? Só porque eu critiquei a entrevista quando você me mostrou.
Eu só disse que você deveria ter acrescentado mais algumas perguntas. Mas você disse que seria Spoiler. E como você sabe muito bem, eu não tô nem aí, haha!
Caramba! Eu comecei e nem me apresentei. Eu sou Fábio e Co-proprietário do blog.
Quem estiver lendo isso aqui deve estar pensando "Que cara chato". pois é eu sou às vezes.
O motivo de postar esse "comentário" é porque eu e Lillian brigamos por causa das perguntas. Eu pedi a ela para incluir as seguintes perguntas:

Por que você criou uma vampira de 100 anos?
Por que existem tantas semelhanças com Crepúsculo?

Como eu disse antes, Lillian as considerou Spoiler. Mas o que eu queria era fazer com que as pessoas, que tanto enchem o saco da Catalina através do site Bookess entendessem de uma vez por todas, que ela não está tirando barato de Crepúsculo para ficar famosa e que apesar dela brincar com alguns fatos da série da Stephenie Meyer, ela na verdade, quer dizer que apesar dos pesares, Crepúsculo não é tão ruim.
Mas infelizmente, as pessoas são muito tapadas e mesmo que você explique, explique, entra por um ouvido e sai pelo outro.
E por favor, Catalina responda as perguntas que não foram incluídas. Pois assim quem sabe as pessoas finalmente entendam.
Ah, e não fique zangada comigo

Entrevista

Este post é original do blog - Lua Escarlate - Série.
Foi publicado no dia 15/03/2011

Olá! Demorei para postar coisas novas. Mas espero que agora possa manter o blog um pouco atualizado.
Há algumas semanas mandei via e-mail à autora algumas perguntas e ela as respondeu e as enviou de volta. Agora vamos conferir as respostas.


1 - Nome Completo?
Maria Catalina Aquino Terrassa

2 – Profissão?
Professora de Inglês, tradutora e escritora nas horas vagas.

3 – Autores Favoritos?
J. K. Rowling, Anne Rice, Richelle Mead, L. J. Smith, Dan Brown, Stephen King, Markus Zusak, Becca Fitzpatrick e Lauren Kate.

4 – Livros Favoritos?
Série Harry Potter, Entrevista com o Vampiro, O Código Da vinci, The Body, Vampire Academy, Diários do Vampiro 1, 2, 3, A Menina que Roubava Livros, Fallen e Sussurro.
5 – Sempre quis ser escritora?
Não. Meu sonho era me formar no curso de Jornalismo, mas larguei por falta de dinheiro. Acabei me tornando “escritora” meio que de brincadeira.

6 – Quando começou a escrever?
Em 2006. Escrevia fan-fics sobre Harry Potter.

7 – Como surgiu a ideia?
Foi depois de ir ao cinema e assistir Crepúsculo. Na volta para casa, minha sobrinha apontou para uma revista, que tinha na capa os atores do filme e disse... “Tia, se vampiros existissem, o que eles diriam sobre isso? É claro que achei a frase doida, mas dois dias depois escrevi um diálogo entre dois irmãos vampiros, que discutiam sobre Crepúsculo. E foi assim que começou.

8 – Por que você transformou os personagens principais em humanos?
Quando tive a ideia, a primeira coisa que veio na minha cabeça foi que eu queria fazer algo diferente, ou pelo menos tentar. Não tenho nada contra livros que tocam no tema: Vampiro se apaixona por humana. Mas como já existem livros falando disso, decidi que teria que me livrar do clichê, sim, porque já virou clichê. Tive a oportunidade de mostrar meu livro a uma editora no início de 2010 e eles queriam transformá-lo em um segundo Crepúsculo. Tudo bem que meu livro tem várias coisas em comum, mas, não quer dizer que eu o queria idêntico. Em resumo, recusei a oferta.

9 – Qual é o seu personagem favorito? De onde veio a inspiração?
Essa é difícil! Gosto de todos, mas meus personagens favoritos (no plural) é a família Saint-Claire, pois eu me inspirei na minha família.

10 – De onde você tira a inspiração para as situações no livro?
Para ser honesta, não sei. Às vezes fico dias sem ter ideias para o que vai acontecer, e então, de repente, enquanto escuto uma música ou assisto a um filme, as ideias voltam e pego meu caderno e escrevo.

11 – Como (pra você) funciona o processo de escrita?
Sento na sala, ligo meu MP3 ou Tv, Ás vezes os dois. Pego meu caderno, releio o que escrevi e se a inspiração vem, mando bala.

12 – Fábio me contou que você postou o seu livro primeiro numa comunidade no Orkut. Por quê?
Quando tive a ideia, a primeira coisa que pensei foi “Vou escrever, depois vou reler e se eu achar que está bom, vou mostrar para alguém”. Mas depois de escrever seis capítulos, os mostrei para minha sobrinha e ela disse que deveria continuar. Depois contei a uma amiga no msn e ela ficou curiosa.
Como a história não era muito “convencional”, achei que seria melhor mostrar de forma gratuita e foi por isso que escolhi o orkut, ao invés de uma editora.

13 – O que você acha do Site Clube de Autores? (Pergunto por causa dos preços).
Clube de Autores é uma boa alternativa, para qualquer escritor mostrar seu trabalho de uma forma impressa e sem custos para o próprio. Só você entrar no site e se cadastrar e não precisa esperar seu trabalho ser aprovado.
É claro que ele seria ainda melhor se os preços fossem menos salgados, mas acredito que o máximo que eles podem fazer é diminuir uns seis reais. Afinal, eles imprimem livro a livro, sem tiragem.

14 – Não tem como deixar essa pergunta de fora, mas... o que você acha da Saga Crepúsculo?
Cara! Eu não gosto de responder esse tipo de pergunta, mas... Eu gosto muito do primeiro livro, mas a partir do segundo livro, tive a impressão que a autora começou a se descuidar da história. Lua nova começa bem, tem o climax e quando está chegando na reta final, a autora tropeça na pedra. E a mesma coisa acontece com Eclipse e Amanhecer. Com a diferença que a autora tropeça no início de Eclipse, no meio e no final, ela fecha com chave de ouro, quando o Jacob desaparece.
Mas apesar disso a história tem seus bons momentos. A autora fez algo diferente, criou uma família de vampiros, eles interagem mais com os humanos e os vampiros não viram pó. É claro que ela poderia ter feito outra coisa, porque um vampiro que brilha é tosco. Desculpa!
E outra coisa, foi graças a série que agora podemos encontrar uma grande variedade de livros sobre o tema e autores incríveis. Como: Charlaine Harris, Richelle Mead, L. J. Smith, P. C. Cast, J. R. Ward e por aí vai.

15 – Você publicou os seus livros de forma independente, mas você tem interesse de vê-los publicados por uma editora?
Quem não quer ver seu livro numa livraria ao lado de outras obras. Eu gostaria muito, mas já enviei para várias editora, depois daquela que quis destruir meu trabalho, mas até agora não tive sorte. Mesmo assim vou continuar o que comecei. Para isso existe Clube de Autores, Bookess e Orkut.

16 – Depois que Lua Escarlate acabar, o que você pretende fazer?
Tenho várias ideias. Já tenho o primeiro livro de uma nova série, que vai contar sobre uma guerra entre vampiros e caçadores. Também tenho dois livros prontos de uma série de seis, que contam histórias de personagens que apareceram em Lua Escarlate. Fora os 15 contos curtos que são narrados por diversos personagens e que poderão ser lidos aqui no blog.


Espero que vocês tenham gostado, porque eu gostei.
PS: Fábio manera nos comentários.

Respondendo ao Fábio

Post original do blog Lua Escarlate - Série
Publicado dia 28/04/2011

Depois de várias semanas finalmente tive tempo para responder.
Bem, vou tentar responder as perguntas sem deixar nenhum spoiler.
As duas perguntas podem ser respondidas com uma única resposta (Que é bem longa).

No início de 2009, eu comecei a escrever o primeiro livro. Desde que comecei, decidi que o primeiro livro contaria mais sobre a família Saint-Claire, e que os vampiros ficariam para o segundo e terceiro.
Enquanto escrevia o primeiro, eu pesquisava material para os outros dois. uma coisa que eu já tinha decidido, que Grace foi transformada aos 22 anos e que ela era casada e com um filho. E antes de ser transformada, ela viu a família sendo morta por vampiros. Mas não tinha determinado em que ano isso aconteceu.
Acreditem ou não, eu pesquisei muito e descobri coisas incríveis. E a cada descoberta, eu percebia como algumas criticas a Série Crepúsculo eram exageradas, burras e preconceituosas.
Uma coisa que pouca gente sabe, é que eu adoro ver os comentários esdrúxulos encontrados no Orkut. Lá é o site número um em concentração de gente burra e que se acha inteligente só porque lê autores renomados.
Enquanto pesquisava, entrei em 3 comunidades: Vampiros (É a maior comunidade, com mais de 50.000 membros) Vampiros antes de Crepúsculo e Twilight Haters.
Na primeira comunidade (Vampiros) encontrei o tópico "Se vampiros existissem, eles não seriam como os de Twilight" (Não sei se o tópico ainda existe).

Enfim, como eu me inspirei numa pergunta parecida, eu comecei a pensar "Será?" "Será que tudo que a autora criou é um absurdo?" E foi por isso que criei o personagem Viktor.
Na segunda comunidade "Vampiros antes de Crepúsculo" encontrei três pérolas. A primeira foi "Um vampiro de 100 anos é ridículo" "Ele não viu nada". Quando li, pensei "Como assim?" "E as duas guerras mundiais?" "Um vampiro de 100 anos viu muita coisa". E por isso que Grace nasceu em 1900 e foi transformada em 1922.

A segunda pérola foi "A autora é muito burra, ela criou um vampiro que brilha e nem explicou". E eu pensei "E por que eles queimam?".
Depois desse comentário, passei a pesquisar sobre onde surgiu esse negócio de queimar. E descobri que antes de Bram Stoker escrever Drácula, não havia uma resposta. Sempre diziam que os vampiros não saíam durante o dia, mas nunca disseram o porquê. Bem, até Bram Stoker dar uma resposta.
Ele deu uma resposta fictícia para as lendas que existiam há séculos. Assim como Stephenie Meyer criou uma resposta fictícia para as lendas. É claro que ela escolheu algo tosco, mas ela não merece ser queimada na fogueira por isso.
Todos os autores que apareceram após Bram Stoker "roubaram" a ideia dele.
Em 1922 saiu o filme "Nosferatu" e o diretor decidiu que seu vampiro não queimaria no sol e sim, ficaria transparente, pois ele tinha medo de ser processado por usar a ideia alheia.
A terceira pérola "Os vampiros da Stephenie Meyer não são vampiros, são mutantes com todos aqueles poderes".
OK! Eu não li Drácula, apenas vi o filme (Aquele dirigido pelo Coppola e com o Gary Oldman).
Tem uma parte no filme quando Drácula descobre que Mina deixou a Inglaterra para encontrar o noivo na Romênia. Drácula fica tão furioso que começa a controlar os ventos. Se é para ridicularizar que tal "Drácula não é vampiro e sim, a Tempestade do X-Men".
Há outra série de vampiros chamada Vampire Academy (E que fique bem claro, eu adoro a série). Mas se é para tirar barato, eles não são vampiros. São a personificação dos personagens do desenho Avatar. Afinal, há vampiros que podem controlar os elementos Água, Fogo, Ar e Terra. E a Lissa é o Aang e quando ela cura a Rose, ela está no seu estado Avatar.
Eu não vejo nada demais em encrementar os vampiros. Aliás, eu adoro. Sou fã de inovações e não gosto de repetições.
Agora a última comunidade "Twilight Haters". Ah! E eu guardei o melhor para o final.
Eu não tenho nada contra pessoas que odeiam determinadas coisas. O que não dá para engolir é gente burra.
O nome o tópico era "Por que vcs não gostam?", e infelizmente ele foi excluído. Acho que o dono viu o absurdo que foi postado e excluíu.
Enfim, houve várias respostas, mas as mais legais foram:
"Crepúsculo é um livro machista, pois a Bella tem que largar tudo para ficar com o macho dela" "Edward é machista, pois proibe a Bella de ir visitar o Jacob".
Primeiro, se eu não li errado, em nenhum momento o Edward diz "largue tudo para ficar comigo". Ele, pelo que eu entendi, quer que ela espere para se tornar vampira. Ele quer que ela vá para a faculdade e quem não quer é a bendita da Bella.
Ah, e quanto a ele ser machista. É claro que ele tem que ser. Se quem vive criticando tivesse lido um pouquinho de história americana, saberia que nos anos de 1917 a 1920, havia um movimento nos Estados Unidos para que as mulheres tivessem direito ao voto. E o personagem principal da série Crepúsculo viveu bem nesse período. Os homens daquela época eram criados para ser donos da esposa, a palavra deles era sempre a última.
E segundo as autoras mais cultuadas sobre livros de vampiros Anne Rice e Charlaine Harris, o vampiro sempre cultiva a personalidade da época em que foi transformado. Então se o Edward é machista, é mais do que normal. O problema é que os Haters metem o pau, mesmo quando a autora acerta.
Agora a melhor pérola "Crepúsculo é horrivel" "A autora repete as palavras o tempo todo e ela comete erros terríveis de Português". O quê? Erros de português? Eu não sabia que Stephienie Meyer escrevia em português. Ela não é americana?
Se existem erros de português, a culpada é a tradutora, não a Stephenie Meyer. O pior de tudo, é que depois que a criatura postou isso, um monte concordou com ela.

Enfim, depois de analisar todas as pérolas, decidi integrar algumas ideias da autora no meu livro. Pois nem tudo que ela escreveu pode ser jogado fora. Ela cometeu erros? Sim. Ela exagerou na história de amor, tanto que deixou a história tão grudenta, que o livro pinga mel. Os vilões são muito frouxos. E é claro, ela criou uma protagonista fraca e que a autora desesperadamente tenta transformar em heroína.

PS: Fábio, agora você já pode postar o que queria.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

O Porquê Criei Outro Blog

Olá! Depois de alguns problemas, decidi criar um blog só para mim.
O blog dedicado a Série Lua Escarlate não pertence a mim, e sim, a Lillían. Ela o criou para divulgar a série. Eu e o Fábio (que somos colaboradores do blog) também queríamos usá-lo para divulgar o trabalho de outros escritores e realizar promoções fora do mundo de Lua Escarlate. Nós dois pensávamos que a Lillían também queria a mesma coisa, mas nos enganamos.
No último sábado, eu e o Fábio contamos a Lillían sobre uma promoção de Natal, mas ela não aceitou muito bem nossa ideia, e nem ao fato de eu ter usado o blog para postar uma resenha sobre um livro de outra escritora.
O blog da série vai continuar a funcionar, mas só com a Lillían.

Aqui no MEU blog, você encontrará informações sobre meus trabalhos, promoções e trabalhos de outros autores.

Fiquem ligados, na semana que vem já tem uma promoção no pedaço.

Tchau e beijos!