domingo, 30 de dezembro de 2012

Último Chilique do Ano


Em 2012 vi vários absurdos envolvendo autores nacionais: Dono de editora gritando com autor/cliente no meio da Bienal, autor sendo expulso do estande - também na Bienal, autor sendo sacaneado pela editora a respeito dos direitos autorais, blog literário sumindo com livros de Book Tour. Enfim... A lista é enorme, mas nenhuma delas se compara a falta de consideração que alguns colegas tem com o nosso trabalho.

Ontem deixei o grupo Escritores Brasileiros (Facebook). Motivo: A chatice de alguns colegas que querem proibir a propaganda dos outros colegas.

Sempre digo que nós autores independentes estamos no mesmo barco e prejudicar o outro colega não nos torna mais inteligentes, legais, ou venderemos mais e teremos milhares de leitores. Pelo contrário, vai apenas nos prejudicar e nos deixar com a fama de frescos.

Para que meus digníssimos colegas entendam de uma vez por todas, vou me usar como exemplo:

Há dois meses (+ ou - ) lancei a promoção 100 curtidas da página do meu livro. Divulguei a promoção pelos grupos no Facebook, Skoob e Twitter. Meus amigos e familiares também divulgaram diversas vezes pelas redes sociais. Agora sabem quanta vezes a editora divulgou? Três.

Vou dar um desconto, afinal a editora é pequena e não deve ter tantos funcionários. Mas... E as outras, como por exemplo: Novo Século, que acredito tem mais funcionários.

E não estou querendo dizer que é apenas a editora que tem que divulgar. O trabalho de divulgação deve ser feito em conjunto. Entre autor e editora. Mas o que eu vejo é o autor com ele mesmo.

Neste mês comprei três livros de autores que publicaram pela Novo Século:

Adeus à Humanidade - Márcia Rubim
Eu, meu pai e meus outros amores - Lilian Reis
A Última Nota - Lu Piras e Felipe Colbert

Só conheci os autores porque eles divulgam em peso pelas redes sociais.
Sabem quantas vezes vi a Novo Século divulgar? Nenhuma

Agora imaginem  se proibirmos os autores de divulgar... Não vamos conhecer novas obras e elas serão mais difíceis de chegar ao público.

Tem muita gente que reclama da autora Lilian Reis. Até já vi alguns colegas dizendo que ela não tem semancol, por divulgar em demasia sua obra.

Olha, não é por nada não, mas isso tem um pinguinho de inveja. Inveja (Que eu também partilho, mas a minha é mais saudável) do tempo que ela disponibiliza nas suas divulgações, enquanto os outros autores só ficam reclamando por aí, que sua obra não vende e outras chatices.

Uma vez no próprio grupo "Escritores Brasileiros" vi o comentário de um autor dizendo que achava divulgações em massa falta de educação e que espantavam os leitores. Novamente, não é por nada não, mas divulgação pingada não funciona comigo (E com outras pessoas que conheço) Até porque não entro todo o santo dia no Facebook e acabo deixando algo passar. Agora as divulgações em massa são mais fáceis de se visualizar.

Concordo que propagandas repetitivas as vezes enche o saco (Depende da Propaganda), mas isso é a mágica da publicidade, fazer lavagem cerebral. Afinal, eu tenho certeza que esse cara que tanto reclama no grupo já comprou uma latinha de coca-cola ou guaraná, só porque viu ou ouviu a propaganda e de repente deu vontade de beber.
Atire a primeira pedra quem nunca comprou algo motivado por uma propaganda.

E para terminar: Não proíbam as propagandas. Elas são necessárias. Não limitem ainda mais o nosso espaço, que já é pequeno. 



sábado, 29 de dezembro de 2012

(Resenha) A Mão Esquerda de Deus - Paul Hoffman


Sinopse: (Da contra capa do livro, porque a do skoob entrega o ouro)

O Santuário dos Redentores é um lugar desolador. Um lugar onde a esperança e a alegria não são bem vindas. A maior parte dos meninos que habitam o lugar foi levada para lá muito nova e contra a vontade. Eles padecem sob o regime pressor dos Lordes Redentores, cuja violência e crueldade têm como único propósito honrar à memória do Redentor Enforcado - e passam suas vidas prisioneiros dos corredores labirínticos e tortuosos do Santuário, um lugar com séculos de histórias e segredos, e que ninguém conhece por completo.

No meio de um desses corredores há um menino. Talvez ele tenha 14 anos, talvez tenha 15: ninguém sabe ao certo. Lá dentro é chamado de Thomas Cale. Seu verdadeiro nome, já esqueceu há muitos anos. Ele já esqueceu de tudo de sua antiga vida. 
Em breve, será testemunha de um ato horrendo. E é neste momento que comecará a sua extraordinária vida futura.

Resenha: 

A última resenha do ano e vou fechar em grande estilo com "A Mão Esquerda de Deus".

Certa vez tirei meu dia para ler resenhas e acabei escolhendo "A Mão Esquerda de Deus". Tinha acabado de ganhar de presente e queria ver a opinião de outros leitores - E devo dizer que essa foi a última vez que faço isso. Já, já vou explicar o por quê?

Após quatro resenhas, fiquei com a pulga atrás da orelha. Todas diziam que o livro deixou a desejar e que a trama era previsível.

Mas agora que acabei de ler só tenho uma coisa a dizer... Oh! Povo burro do caramba!

Se você escolheu um livro que faz parte e uma trilogia, é claro que algo vai ficar faltando ou acabar no meio de uma cena.
Gente! Usem seus cérebros. Ou então desistam de resenhas. Se você não entendeu a história ou não encontra palavras para compor sua resenha, não escreve nada.

Enfim vamos a trama:

"A Mão Esquerda de Deus" nos apresenta os Redentores (Homens religiosos), que vivem suas vidas para idolatrar e seguir os ensinamentos do Redentor Enforcado (Um homem que nasceu de forma milagrosa e que morreu para nos purificar).

Os redentores travam uma batalha contra os Antagonistas (Pessoas que não reconhecem o Redentor Enforcado como Salvador).

Num lugar conhecido como Santuário, que na verdade é uma prisão. Os Redentores treinam garotos para a guerra contra os Antagonistas. Garotos que sofrem humilhações, privações e violência, tudo isso para se tornarem puros e dignos de lutar na tal guerra santa.

O que mais chama atenção na trama é o detalhe da hipocrisia que cerda os Redentores e os segredos escondidos nas paredes do Santuário.

É a clássica história do que uma crença levada ao extremo pode fazer. Em alguns momentos no livro acabei recordando-me de cenas de hipocrisia que já testemunhei na minha religião.

E se pararmos para pensar religião é algo complicado. Ou melhor, as pessoas que a frequentam e ajudam na igreja são cheias de si e bestas.

Vamos ao trio maravilha da trama:

No meio desses garotos há três amigos: Henri Embromador, Kleist e Cale.

Henri Embromador, como o próprio nome diz, leva os Redentores no papo, e é o meu favorito.

Kleist é o pavio curto. Com ele é matar, bater e depois perguntar.

Cale o único do trio que mete medo. Sua frieza e a falta de medo são sua marca registrada.

Um certo dia o trio descobre uma porta secreta no Santuário, ao passar por ela, os três descobrem algo extraordinário. E paro por aqui, já contei muito, hahaha!!

"A Mão Esquerda de Deus" é bem escrito, detalhado. O autor não fica enchendo linguiça nas descrições. E fazia muito tempo que não lia um livro estrangeiro tão incrível.
A cada capítulo tinha uma surpresa, novos mistérios, respostas e personagens cheios de carisma. E incluo até aqueles que aparecem e do nada batem as botas.

Vale a pena adicionar a sua lista de livros para ler.


quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Os Melhores dos Melhores, e Com Louvor

No mês passado o blog completou um ano de existência. Pensei em fazer uma lista com os melhores livros até aquele momento, mas infelizmente não consegui fazer. Então aproveitando o final de ano decidi escolher os melhores dos melhores de 2012. E não foi uma tarefa fácil. Todos os livros que li este ano foram magníficos, com exceção de três (50 Tons de Cinza, Strange Angels e Crepúsculo Vermelho), que só me deram raiva. E o engraçado é que apenas 50 Tons de Cinza ganhou resenha, os outros foram ignorados por mim, pois se eu fizesse uma resenha o negócio ia feder. Muito mais do que fedeu com 50 Tons.

Como eu disse a tarefa não foi fácil, escolher os melhores entre os melhores me tirou o sono, tanto que só consegui dormir as seis da manhã.

Separei os livros em duas categorias:

A primeira categoria engloba os gêneros Fantasia - Sobrenatural - Ficção Científica.

A segunda categoria são os romances. É a categoria que tem menos livros, já que eu leio muitos livros de fantasia, sobrenatural e de ficção científica.

PRIMEIRA CATEGORIA: Fantasia - Sobrenatural - Ficção Científica:

1º  Guardians Vol 1, 2 e 3 - Luciane Rangel - Editora Lexia
Sim, não consegui escolher um único volume, então vai a trilogia completa. Guardians me devolveu o entusiasmo que eu tinha ao ler Harry Potter. Aquela sensação única de encantar e que não é qualquer autor que consegue.

2º  Neverending Shadows - Lana Lewis - Editora Clube de Autores
Durante muito tempo fiquei revoltada com os livros de vampiro. Era uma vergonha ver alguns autores tentando fazer algo melhor ou igual a Crepúsculo, e a única coisa que eles conseguiam era fazer mais (Com o perdão da palavra) merda. Então quando já havia perdido as esperanças aparece a Lana ou Gabi Brito e me presenteia com Anise e Caleb.

3º  Immortales - Roxane Norris - Editora Baraúna
Depois do livro da Lana algo magnífico aconteceu... Os livros sem noção sobre vampiros deram uma trégua e sangue novo apareceu. Foi o caso do livro da Roxane, que soube misturar como ninguém vampiros com detalhes históricos.

4º  A Estrada da Noite - Joe Hill - Editora Arqueiro
Este livro tirou minha virgindade dos livros de terror. Nunca tinha lido o gênero, mas me encantei.

5º  O Anjo Poeta - Eddy Khaos - Editora Literata.
Tá aí outro livro que me salvou. Sempre procurei livros de anjos como os filmes Constantine e Legião, mas só me deparava com anjos garbosos e príncipes encantados. Comprei O Anjo Poeta com o pé atrás, mas quando acabei, fiquei com o pé na frente e de boca aberta.

6º  Os Dragões de Titânia - A Batalha de Argos - Renato Rodrigues - Editora Escala
Com humor, criatividade e um grupo nada comum de amigos, Os Dragões de Titânia me proporcionaram muitas risadas, principalmente o centurião chegado a uma birita de nome nada sutil - Alambique.

7º  Redenção - Lívia Lorena - Editora Dracaena
Mais um livro da nova safra de livros vampirescos. A autora pegou um detalhe aqui, outro ali e acrescentou seu toque particular, misturou tudo e conseguiu dar uma nova cara a um ser - como alguns costumam dizer - Saturado.

8º  Os Livros de Esteros - As Crônicas de Fedors - Aldemir Alves - Editora Baraúna
Pegue anjos, deuses, elfos, orcs, anões, criaturas vinda da sua cachola e big-bang. Jogue-as numa folha e misture bem. E o que você vai ter? Um livro recheado de aventura, coisas doidas, mas que no final todas elas fazem sentido.

9º  A Hospedeira - Stephenie Meyer - Editora Intrínseca
Não gosto de Crepúsculo, mas sempre achei que Stephenie Meyer tinha potencial para escrever algo bom e único. E foi isso que ela fez com A Hospedeira. E volto a dizer... Espero que ela não faça uma continuação, pois acho que ela não é uma escritora de séries.

10º  A Mão Esquerda de Deus - Paul Hoffman - Editora Suma das Letras
Embora ainda não tenha feito uma resenha para o livro, ele entra para a lista dos melhores, pois esse foi mais um livro injustiçado. Vi diversas resenhas dizendo que ele era previsível demais. Ou o povo é xarope. Ou burro demais? Porque até agora estou à procura do previsível.

SEGUNDA CATEGORIA: Romance

Ela tem apenas seis livro, já que é o estilo literário que menos leio, mas tudo vai mudar no ano que vem.

Empatados em primeiro lugas estão:

1º Para Sempre Ana - Sergio Carmach - Editora Caravansarai e Redenção - Josiane Veiga - Editora Clube de Autores.
Quebrei minha cabeça tentando decidir qual merecia o primeiro lugar, mas não deu. Ambos tem um lugar especial no meu coração.
Para Sempre Ana me libertou do preconceito e dos traumas que eu tinha com a literatura nacional.
Já Redenção mostra que num relacionamento nem tudo é um mar de rosas, temos pedras no caminho, mágoas, mas no final, continuamos amando a pessoa ao nosso lado. E esse turbilhão de sentimento só a Josy consegue por no papel.

2º Rendição - Josiane Veiga - Editora Clube de Autores
Com este lugar não estou dizendo que o primeiro livro da Saga Jishu é ruim ou não mereça o primeiro lugar, mas ele nos mostra o início de um relacionamento, onde tudo é perfeito. Então vamos dizer que ele é "previsível" pela falta de uma melhor palavra.

3º Senhora Liberdade - Márcia A. Canivello - Editora Clube de Autores
Tenho o pé atrás com romances (Os ditos Chick-lit), principalmente porque eles em sua maioria são escritos por mulheres, que quase sempre nos dão uma protagonista besta, que por amor se rebaixa e fica deslumbrada. Mas a Márcia conseguiu criar uma protagonista apaixonada, mas que não esquece de seu amor próprio.

4º Ser Clara - Janaína Rico - Editora Underworld
Um chick-lit que tem culhões (Mesmo que seja puramente fictício, já que a protagonista é uma mulher muito da doida).
Com Ser Clara dei altas gargalhadas e até paguei alguns micos no ônibus por conta das minhas gargalhadas escandalosas.

5º Você Tem Meia Hora - Camila Nascimento Silva - Editora Subtítulo
Esse foi o primeiro chick-lit que li. Sou mais chegada na literatura fantástica  mas Você Tem Meia Hora me proporcionou bons momentos, mesmo quando quis socar a cabeça da protagonista na parede porque ela não conseguia esquecer o ex-noivo - Um sujeito muito do indeciso. Mas a cada página e capítulo que passava a Bia foi amadurecendo e ganhou minha simpatia.

Espero que vocês tenham gostado e que 2013 venha com mais livros.

sábado, 22 de dezembro de 2012

Livros e Mais Livros

Olá! O blog está novamente parado, mas tenho bons motivos para isso.

Nos últimos dias ando passando a limpo o primeiro livro de A Chave Mestra - Passar a limpo não é revisar, estou apenas selecionando o que entra ou não no primeiro livro. Eu tenho um sistema muito maluco na hora de escrever, hahahaha!!

Acho que na semana que vem tem resenha nova do livro A Mão Esquerda de Deus. O livro está muito bom e estou tento quase um treco para descobrir o que vai acontecer com Cale e Cia.

E como uma boa viciada em livros, também ando aumentando minha lista de livros. Agora tenho nove livros para ler. E todos de autores nacionais.

Vamos a eles: 

Eu, meu pai e meus outros amores - Lilian Reis
Adeus à Humanidade - Márcia Rubim
A Caçadora - Viviane Fair
Jardim de Escuridão - Bianca Carvalho
Os Dragões de Titânia Vol. 2 - Renato Rodrigues
A Última Nota - Lu Piras e Felipe Colbert
A Fada - Carolina Munhoz
Kaori - Giulia Moon



quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

(Resenha) O Anjo Poeta - Eddy Khaos





Sinopse: Porque as pessoas acreditam em anjos? Eles estão em todas as religiões, são seres iluminados e não levam em conta os registros de nossos atos negativos, portanto não perdoam, já que não cabe a eles julgar. Anjos eles realmente existem. Não apenas em produções do cinema mundial ou em historias em quadrinho ou nos animes (desenhos) japoneses. Ou em nossas mentes, em nossos mitos, ou nossos símbolos, ou nossa cultura em geral. Eles são tão reais quanto seu cachorro que não para de lati no quintal enquanto você brinca com ele, ou sua irmã sapeca que não para de te pentelhar, ou a eletricidade que necessitamos para quase tudo no mundo de hoje. Eles estão presentes, bem aqui, agora, bem perto de você, lendo estas palavras com você. Eles não são bonitos, fofos, confortáveis, íntimos, ou "maneiros". Eles são temíveis e formidáveis. Eles são enormes. Eles são guerreiros. Eles são assassinos do reino celestial.


Resenha: 

Sou fã assumida de literatura fantástica, embora leia mais sobre vampiros, bruxos, elfos, dragões e fantasmas, também gosto de Anjos.

Mas até poucos dias atrás nenhum livro sobre o tema tinha me agradado.
Li "Fallen" (Lauren Kate) e "Hush, Hush" (Becca Fitzpatrick). Ambos são bons, legais, mas não conseguiram me cativar.

Na minha mente doentia Anjos são muito mais do que seres perfeitos por quem garotas bobinhas se apaixonam.
Sempre procurei algum livro sobre o tema ao estilo dos filmes: "Anjos Rebeldes" , "Constantine" e "Legião".

Então quando li "O Anjo Poeta" minhas preces foram atendidas. O livro nos mostra seres encantadores, mas ao mesmo tempo ferozes.
Com quatro contos, quinze poesias e uma mini enciclopédia sobre o tema, Eddy Khaos nos presenteia com um livrão, embora ele só tenha 114 páginas. Essa é a maior prova de que o autor não precisa de muitas páginas para contar algo com conteúdo.

Agora vou falar um pouquinho sobre cada conto:

"Selva de Concreto, Prisão Humana" vemos um homem vivendo em condições desumanas, que tem como sua maior companheira uma garrafa de cachaça. E entre um gole e outro ele se pergunta por que Deus foi tão cruel com ele.

No segundo conto "O Apocalipse Angelical" vemos a humanidade lutando para sobreviver ao ataque de anjos. Esse conto é mais ou menos como um "The Walking Dead" angelical. E o meu favorito.

No terceiro conto "Detetive das Sombras" conhecemos Eddy - Um caçador de vampiros que possui poderes angelicais. Dos quatro contos este é o mais romântico. Isso é a prova de que homens também amam, Ohhhhhh!!

No quarto e último conto "O Anjo Poeta" vemos o anjo da guarda Azariel, que após várias tragédias em sua vida decidi ir para o lado sombrio.

Quanto as poesias, as que mais gostei foram: Anjo Caído, Oceano de Lágrimas e O Anjo e a Sereia.

Agora um ponto negativo - Quer dizer para os outros, não pra mim.
Foi a maneira como o autor decidiu descrever Deus. Ele nos apresenta um Deus feroz e nem um pouco bonzinho.
Arriscado da parte dele, mas eu dou os parabéns.


Voltei de Verdade

Olá, Povão!!

Hoje re-abro meu blog para 100% de suas atividades.

Como todos sabem fiquei afastada por problemas de saúde na família e infelizmente sofri mais uma perda.
Mas não quero ficar chorando. Quero tocar a vida assim como já fiz há dez anos.
Tem muitas coisas pela frente: Lançamento de Lua Escarlate, histórias novas, resenhas e outros projetos.

A Editora já enviou meus livros de cortesia e a partir de Janeiro vamos começar a tratar do Lançamento/ Tarde - Noite de autógrafos.

Para quem ainda não viu, olha os livros aí:





E agora eu com cara de doida, mas isso eu já sou naturalmente. Para ser escritor, tem que ser um pouco doido, senão não tem graça.

Agora só falta me entregarem os buttons. Já era para eles terem chegado há uma semana e nada. Affff!


quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Lua Escarlate Já Se Encontra À Venda

Olá!

Algumas novidades sobre o meu primogênito:

Lua Escarlate - Livro I - Água e Vinho já está à venda no site da APED Editora.
Sei que isso pode parecer confuso já que eu ainda não fiz o lançamento do livro.
Mas como alguns de vocês sabem, este mês de novembro foi e tem sido um verdadeiro inferno. Meu pai está internado na UTI. O estado dele é estável, mas ele ainda respira com a ajuda de aparelhos.
Então por isso não fiz o lançamento, mas pretendo fazer em Janeiro /2013. Lá para o final do mês.

Aproveito o post para lembrá-los que está rolando a promoção de 100 curtidas na Fanpage.
Então se você já curtiu e quer ganhar um Exemplar + Marcador + Buttom - Visite a Fanpage e deixe um comentário no banner da promoção ou no mural com a frase "Eu quero!". E pronto já está concorrendo.

E se você ainda não curtiu, vai lá, curta, deixe seu comentário (Se quiser concorrer é claro) e deixe uma autora feliz!
Banner da Promoção



Sinopse: Lua Escarlate é uma série de três livros, que conta a história da Família Saint-Claire (Uma família de ex-vampiros), que foge da Grécia e se muda para a cidade de St. Helens, no estado do Oregon.
Os Saint-Claire desejam um novo recomeço, mas eles sempre são perseguidos pelo seu passado, que está à espreita pronto para atacá-los.
Grace Saint-Claire e sua família acabam de se mudar para uma nova casa, na esperança de esquecer o passado. Juntamente com sua família, devem se adaptar a uma nova vida, ou melhor, “tratamento”, que devolveu a eles a possibilidade de envelhecer.
Mas existe um problema: antes de abandonarem seu antigo lar, os Saint-Claire desobedeceram a lei, pois eles se tornaram a água. E a água jamais deve saber da existência do vinho.

Autor: Maria Catalina Terrassa
Gênero: Ficção
Páginas: 240
Preço: R$ 38,00
Promoção: R$ 23,00
Editora: APED Editora
 ISBN: 978-85-98792-93-4


quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Publica Caramba!

Mais um post. Hoje estou animada!




Ontem vi no blog da autora Nicole F. Weiss - Livros e Séries  uma campanha para a publicação do livro "Quando a Humanidade Prevalece" da autora Marcia Rubim. Ele é a continuação do livro "Adeus à Humanidade", que foi publicado pela Editora Novo Século, mas ao que tudo indica não tem interesse em publicar a continuação.

Ainda não li "Adeus a Humanidade", mas já comprei o meu exemplar e no momento espero a boa vontade dos correios de entregá-lo na minha humilde residência, hahaha!!

Já que eu apoio a literatura nacional, eu apoio a companha.
Editoras... Publica Caramba!!





Entrevistei... Aldemir Alves

Olá! Sim o blog continua paradão, mas em breve volto a ativa.

Para dar uma reavivada hoje teremos a entrevista com o autor Aldemir Alves.

Vamos conhecer um pouco sobre ele?



Dados da "vítima":

Nome: Aldemir Alves da Silva
Idade: 30 anos
Time do Coração: Santossss!!!
Signo: Peixes
Profissão: Micro empresário na área de papelaria e jogos eletrônicos.

 Perguntas sérias:

1 – Qual seu estilo literário?
Fantasia, romance, ficção.

2 – Quando decidiu embarcar nessa loucura chamada Escrever?
Resolvi me aventurar na escrita em 2010. Sempre gostei de ler, desde a época da editora Ática, criadora da série vaga - lume.

3 – Qual foi o primeiro conto\livro que escreveu?
O primeiro livro da minha vida foi: As crônicas de Fedors, volume 1, publiquei no Club de Autores e aprendi muitas coisas sobre edição de livros e divulgação.

4 – Você tem algum ritual antes de escrever?
Não! Procuro escrever nas horas calmas, talvez o meu ritual seja tomar muito café, RS.

5 – Fale um pouco das suas obras publicadas?


Publicada eu tenho somente o primeiro capitulo da série Esteros, o primeiro livro é focado todo no nascimento do vilão e sua trajetória rumo à tirania de seu mundo. Nesse primeiro livro, já publicado eu optei por um inicio impactante, com a criação de reinos, raças, Deuses, crenças e etc.

Nos demais livros, eu pretendo apresentar os personagens principais em destaque. Andor, o herói da trama terá um grande destaque no segundo capitulo, o livro é praticamente todo focado nele. No terceiro, Angel o par romântico de Andor ganhará destaque, e isso ocorrerá até o final, onde o destaque é para Fedors. 

Todos os livros de Esteros terão em média 200 páginas, e, a ação será desenfreada. Odeio livros empacados, então, meus livros são recheados de ação.

6 – Essa pergunta é meio batida... Mas qual foi sua maior dificuldade no mundo literário?

Tive algumas, a primeira foi achar um jeito de publicar, pesquisei muito, fui recusado por muitas editoras, achei o club de autores e consegui mostrar o meu trabalho, para os meus primeiros leitores. Mas nunca desisti de publicar por uma editora... O club é uma boa para autores iniciantes, mas depois de um tempo, a gente precisa aumentar o publico.

7 – Alguma vez já teve vontade de chutar o pau da barraca e largar essa vida de escritor?

Já sim, ainda mais no Brasil onde pessoas são cheias de preconceito. Dão valor em qualquer porcaria que vem lá do exterior, mas os nacionais são considerados como á rapa da panela, quando leram tudo procuram o nosso livro. Outro problema é os blogueiros, a maioria é leitor - robô, sem sentimentos, RS, eles querem livros para ler e avaliar, mas cadê o amor pela leitura, a entrega a história? Isso esta desaparecendo! Duvido que leiam por prazer, a maioria quer é colecionar livros e depois deixar pegando poeira na estante.

Outra coisa, alguns blogueiros mal agradecidos enchem a paciência para ler os livros da gente, quando finalmente resolvemos enviar, fazem pouco causo: “uma vez, quando eu tava começando”, um blogueiro até conhecido na globo – esfera, me pediu o meu livro para ler, eu estava até passando por um período financeiro ruim, mas mandei pra ele. Acreditam que o fulano me mandou um e-mail dizendo que não ia ler o meu livro, porque a mãe dele disse que era do demônio, e não era leitura recomendada pra ele? – Kkkkkkkkkkk putz! Eu fiquei puto! Ai quando a gente começa a ignorar certas pessoas, ficamos com fama de “arrogantes”.

8 – Ultimamente muitos autores andam reclamando das propagandas de outros colegas pelas redes sociais. Você é contra as propagandas? Ou os colegas estão com frescura?

Uma frescurona!!!!!!! Isso é uma coisa que me deixa nervoso, essa rixa de autores é uma babaquice, eu sinto isso comigo também, tem uns autores desacreditados que ficam soltando piadinhas e querendo dar lição de moral nos outros, os mais dissimulados, são alguns donos de grupos no Facebook, eu dou risada desse povo. Então não podemos divulgar a nossa obra porque fere os outros autores? Nada haver, se quer ganhar dinheiro e crescer profissionalmente arrume um emprego! Escrever não é profissão é Hobby, e esses lobos vestidos de carneiros estão no lugar errado. A internet é livre e qualquer um pode postar o que quiser, e outra, eu fico feliz quando um autor nacional se destaca: se ocorreu com ele, pode ocorrer comigo, ou com outros.

Confronto de Personagens:

Numa batalha entre Vamcast e Jadis (Majestade Imperial Jadis; Rainha de Nárnia). Quem ganharia? (Espero ter escrito o nome da Feiticeira Branca corretamente. Ainda não tive a oportunidade de ler As Crônicas de Nárnia)

Poxa! Daria uma batalha muito sangrenta kkkk, você acertou o nome dela: “Sua Majestade Imperial Jadis”, mas ela tem muitos nomes.

Bem, seria difícil dizer quem ganharia, mas eu apostaria no Vamcast, na sua forma final, hehehe... Quem leu o primeiro capitulo de Esteros, conhece um Vamcast em evolução, você vai ver ele depois do terceiro capitulo. Quem prestou bastante atenção na história, percebeu que um vulto veio sobre ele no momento em praticou o seu primeiro assassinato e a partir daquele momento, ele foi possuído por um Asmectro, uma criatura de nome Surrubios. Pois bem, essa criatura, esta crescendo no corpo dele e no final da história se desenvolverá por completo. Vamcast se tornará extremamente poderoso e nenhum leitor tem noção de como esse final será espetacular!

Agora é a vez das perguntas loucas:

Comida favorita?
Costela bem gordurosa com mandioca, LoL muito bom!

Fico P*** da vida, quando...
Descubro que tenho um amigo falso ao meu lado.

Se você pudesse, qual celebridade ou personagem de livro você mataria?
A bela do crepúsculo, ela é muita chata!

Meu bicho favorito é...
Cachorro.

Meu livro favorito é...
As crônicas de Nárnia.

Meu autor favorito é...
C.S. Lewis.

E para terminar:

Quem é você de verdade?

Um trabalhador que se preocupa em acordar todos os dias bem cedo e lutar para dar uma vida melhor aos meus dois filhos, David esta com 5 anos e Willian com 9. Sou um cara que acredita que sonhos se realizam, sim, mas tudo precisa de entrega e muita dedicação, e nunca desisto dos meus objetivos!





quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Apresento... Ivi Campos

Para dar uma animada e também para esquecer um pouco dos meus problemas... Um pequeno post.

Um novo segmento no blog:
Além do Fazendo Propaganda, Resenhas e Entrevistei, agora o blog tem... Apresento.

Em "Apresento", o leitor vai conhecer um pouco do autor: Com biografia, obras publicadas, onde comprar e informações extras (Twitter, Facebook, Fanpage, Blog e Skoob).
E aproveito para fazer o convite a outros autores.
Se quiserem que eu faça uma pequena apresentação/divulgação, é só mandar um e-mail para: catalinabmx@gmail.com. Com as seguintes informações:

Assunto: Divulgação
Conteúdo da mensagem: Sinopse das obras publicadas, biografia, endereços para contato como: Twitter, Facebook, Blog, Site, Skoob, onde comprar e e-mail.
E anexar os seguintes arquivos: Uma foto sua (Se quiser) e capas dos livros.

E por favor, não sejam tímidos.
Embora eu escreva livros de vampiros, eu não mordo... Só arranco um pedaço, hahaha!!!

Agora chega de enrolação e vamos a primeira apresentação.

Ivi Campos


Formada em Engenharia Civil, nasceu em 18 de maio de 1976 em Canela – RS. Mora em Santo André – SP, com o filho André. Ívi Campos é uma pessoa que se encontra nas palavras e frases. Alguém que decidiu desabafar com o papel e a caneta e hoje, depois de tantas coisas registradas em cadernos e diários, quer de alguma maneira se conectar com o mundo. Sentenças que se transformaram em parágrafos. Parágrafos que acabaram compondo contos. Contos que fizeram nascer o primeiro livro. NAS ASAS DA BORBOLETA é o seu primeiro filho de papel e ela o entrega ao mundo, com carinho e desejo que de alguma forma, em algum lugar, possa agregar coisas boas à todos aqueles que lhe abrirem as portas.

Sua obra



Sinopse:  O Livro conta a história de Natália, uma mulher de origem humilde e família fora dos padrões estabelecidos, que se torna uma mulher independente e bem sucedida na profissão que escolheu para si. Porém, apesar destas conquistas significarem muito para a mulher no novo século, tudo o que ela mais deseja é se casar e ter filhos. Amar e ser amada. Ter sua família e a oportunidade de dar aos filhos o que ela não teve com seus pais: Amizade, cumplicidade, presença. O livro começa no dia do casamento de Natália, dia em que ela acredita ser o mais especial de toda a sua vida, porque afinal ela está apaixonada e acredita  que é correspondida pelo noivo. Mas o desenrolar da história nos faz entender que não basta amor para sustentar um casamento e que nem todos os objetivos podem ser alcançados e sim, ás vezes, os sonhos mais importantes, aqueles que seriam a prioridade de toda nossa existência, podem perder o valor quando a vida nos coloca contra a parede. Um livro que fala sobre família, amizade, relacionamentos e busca por essa tão falada felicidade.

sábado, 27 de outubro de 2012

Meta de Leitura - Novembro

O mês de outubro está acabando e mais uma vez completei minha meta de leitura.
Um viva pra mim!

E agora deem uma olhada para a meta do mês que vem.

O Anjo Poeta - Eddy Khaos 

90 Anos Antes - Série Renascer - Márcia Abreu

A Mão Esquerda de Deus - Paul Hoffman

O Beijo das Sombras - Richelle Mead 


Como sempre dois livros de autores nacionais, um estrangeiro e agora uma novidade... Uma releitura.

Já li o livro "O Beijo das Sombras" há mais de dois anos, mas decidi lê-lo novamente e fazer uma resenha, já que alguns leitores pediram.

Dedos cruzados. Vamos ver se eu consigo mais uma vez.


sexta-feira, 26 de outubro de 2012

(Resenha) Luminoso - Alyson Noel


Sinopse: Após ter completado sua tarefa com o Garoto Radiante, Riley desfruta férias ao lado de Buttercup e Bodhi. Quando um cão infernal atravessa seu caminho, a menina decide ir atrás dele – apesar da relutância de seu professor. Durante a busca, ela encontra uma jovem fantasma chamada Rebecca. Apesar do jeito doce de Rebecca, Riley logo descobre que nem tudo é o que parece. Filha de um fazendeiro, e furiosa por ter sido assassinada durante uma revolta de escravos em 1773, ela mantém a alma dos que morreram presa em suas piores memórias. Será que Riley conseguirá ajudá-la sem se perder nas próprias lembranças dolorosas?

Resenha: 

Agora sim a história ganhou um ar de livro com fantasmas.
O primeiro livro da Série Riley Bloom "Radiante" é legal, mas eu o achei incompleto. Pareceu que a autora teve medo de ousar, só porque sua protagonista é uma fantasminha de 12 anos.

No segundo livro, vemos Riley e seus amigos tirando férias numa praia, quando um cão infernal cruza seu caminho.
Curiosa e teimosa como é, Riley segue o cão, mesmo com os protestos de Bodhi (Seu mestre e guia). Mas esse ato reserva uma surpresa. Além de encontrar o cão, Riley se depara com uma garota fantasma chamada Rebecca. Uma fantasma que está cheia de ódio por causa de sua morte prematura. E como uma maneira de espalhar seu ódio, Rebecca aprisiona outras almas em suas piores lembranças. A garota se alimenta da dor alheia e logo que Riley a conhece tem uma mostra do que ela é capaz.

Apavorada, Riley tenta fugir, mas no momento em que ela escapa, encontra Bodhi e seu cão Buttercup e ambos são capturados pela maligna Rebecca.

Ao ver seus amigos aprisionados, Riley decidi mergulhar no inferno cheio de más lembranças.

"Luminoso" tem uma história mais sombria - e a psicopata aqui agradece - e conhecemos um pouco mais sobre Bodhi e seus demônios. Também conhecemos os demônios de Buttercup. Sim, um cão também tem lembranças ruins.

E o que mais gostei foi o gatilho deixado no final do livro, que será a base para o próximo livro da série - Terra dos Sonhos.

Se para "Radiante" dei apenas 3 estrela lá no Skoob. Luminoso ganhou uma a mais.
Agora é correr atrás do terceiro livro e descobrir o que vai acontecer.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Entrevistei... Josiane Veiga

Além de fazer resenhas para livros de autores nacionais, agora vou fazer entrevistas.

Mas entrevistas com a minha cara, engraçadas e com perguntas doidas.
Uma vez ao mês o blog trará um entrevistado. Então se preparem, logo, logo, sairei a caça de autores pelas redes sociais.

A primeira "vítima" foi a autora Josiane Veiga.



Questionário Legal
 
Dados da “ Vítima”:

Nome: Josiane Veiga
Idade:28.
Time do Coração: Grêmio
Signo: Aquário
Profissão: Securitária

Perguntas sérias:


1 – Qual seu estilo literário?
Minha linguagem é mais atual, tento ser o menos arcaica possível. Gosto que o leitor visualize a cena como um todo, como se estivesse assistindo a história na tela de um cinema. Já escrevi fantasia, mas minha preferencia é por temas realistas, polêmicos. 


2 – Quando decidiu embarcar nessa loucura chamada Escrever?
Nunca escolhi. Mas, escrever é algo mais forte do que eu. Quem está de fora muitas vezes não entende. Já ouvi coisas do tipo "perdendo tempo trancada no quarto" etc... mas sinto que se não colocar em linhas o que está na alma, serei uma morta-viva.


3 – Qual foi o primeiro conto\livro que escreveu?
O primeiro livro foi "A caminho do céu", com 12 anos, vencedor de um concurso escolar. 


4 – Você tem algum ritual antes de escrever?
Não necessariamente, mas gosto de estar sozinha e com uma xícara de café ao lado.


5 – Fale um pouco das suas obras publicadas?


A Saga Jishu (Rendição, Redenção e Remissão - o último ainda a lançar) conta a história de cinco amigos que se conhecem na infância e fazem parte de uma banda que alcança o sucesso. Porém, mesmo sendo tão desejados por mulheres, são gays. Narro o dia a dia, a máscara da heterossexualidade que representam, também lido com a manipulação da indústria do entretenimento, etc.
 

A Insígnia de Claymor narra a história de uma família marcada pela excentricidade e incesto. É um dos mais polêmicos dos meus romances, que se passa exatamente na inquisição.
 
A Rosa entre Espinhos é o clichê. Empregada que se apaixona pelo patrão. É mais imaturo, escrevi a muito tempo atrás e as vezes até me envergonho por ele..rsrss

 Traços é outro romance dedicado ao público gay. Tan é um jovem abusado pelo pai que foge para as montanhas e lá se apaixona por um elfo. Porém, o amor deles não é aceito.
 
A Senhora das Montanhas é uma homenagem a Luciane Rangel, e conta a história pós Guardians de Live, a guardiã de aquário. 


6 – Essa pergunta é meio batida... Mas qual foi sua maior dificuldade no mundo literário?
Até hoje luto para que meus livros sejam vistos como obras, não como materiais pornográficos. 


7 – Alguma vez já teve vontade de chutar o pau da barraca e largar essa vida de escritor?
Não. Eu não vivo disso, eu tenho um bom emprego, e se por acaso a partir de amanhã não vender mais nenhum livro, não terei nenhum problema. Escrever pra mim é apenas por diversão, então nada me estressa ao ponto de perder o sono, e tudo que ganho serve basicamente para repor as despesas com gastos dos próprios livros.
Porém, sei que aqueles que vivem da literatura hoje, a coisa não é tão simples. Ando lendo muitas reclamações de escritores ultimamente.


Agora é a vez das perguntas loucas:


Comida favorita? As da minha mãe.
Fico de TPM... Quando? Todo mês... e daí choro, brigo, faço escândalo.. kkk
Se você pudesse, qual celebridade ou personagem de livro você mataria? Algumas atrizes japoneses.
Meu bicho favorito é...gatos.
Meu livro favorito é... O senhor dos anéis.
Meu autor favorito é... Moacyr Scliar.


Confronto dos Personagens:


Em um duelo entre Alexei Claymor (A Insígnia de Claymor) e Legolas (O Senhor dos Anéis). Quem levar a melhor?
Amo Legolas. Na literatura, Legolas. Mas, na vida real, Alexei ganha. Ele é mau e joga sujo. Ele daria um jeito de vencer Legolas.


E para terminar:


Quem é você de verdade?
Josiane Veiga, louca, yaoista, arashiando e LoverOhmiya. Essa sou eu^^


Espero que tenham gostado de conhecer um pouco mais sobre a autora.
E até o mês que vem com mais uma entrevista.

Fui!!!



segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Promoção na Fan Page de Lua Escarlate



Novidades no ar!

De acordo com a editora, no mês que vem - Mais conhecido como Novembro - Lua Escarlate - Livro I Água e Vinho será lançado.

E para comemorar lancei a promoção na Fan Page do livro.
Assim que chegarmos as 100 curtidas vou sortear um kit com:

Livro + Marcador + Buttom.

Para concorrer é fácil. É só curtir a página e comentar a foto da promoção que já está no mural. Com a frase "Eu quero!"

Se por acaso chegarmos as 100 curtidas antes do lançamento do livro, não se preocupe. Farei o sorteio mesmo assim e deixarei o exemplar guardadinho.

domingo, 21 de outubro de 2012

(Resenha) O Morro dos Ventos Uivantes - Emily Brontë


Sinopse:  Na fazenda chamada Morro dos Ventos Uivantes nasce uma paixão devastadora entre Heathcliff e Catherine, amigos de infância e cruelmente separados pelo destino. Mas a união do casal é mais forte do que qualquer tormenta: um amor proibido que deixará rastros de ira e vingança. "Meu amor por Heathcliff é como uma rocha eterna. Eu sou Heathcliff", diz a apaixonada Cathy. O único romance escrito por Emily Brontë e uma das histórias de amor mais belas de todos os tempos, O morro dos ventos uivantes é um clássico da literatura inglesa e tornou-se o livro favorito de milhares de pessoas.


Resenha: 

Sim! Eu leio livros clássicos. Bem, li "O Morro dos Ventos Uivantes" há mais ou menos dois anos (E só agora você faz a resenha?!).
Sim! É que eu trabalho em passo de tartaruga (Brincadeira).
Decidi fazer a resenha só agora por causa de uma coisa que li no Facebook ontem (Vou falar sobre isso no final da resenha, com o título: Momento Chilique).

"O Morro dos Ventos Uivantes" conta a história de amor, ira, vingança e obsessão entre Heathcliff e Catherine.
Heathcliff é um garoto órfão "adotado" pelo Sr. Hareton Earnshaw dono da propriedade chamada "Morro dos Ventos Uivantes). O Sr. Earnshaw tem dois filhos, Hindley e Catherine.
Após uma viagem a Liverpool o Sr. Earnshaw retorna para casa com o pequeno Heathcliff, que passa a ser tratado com todo o amor, para o desespero do filho mais velho, que alimenta um ódio mortal pelo órfão.

Enquanto Heathcliff é odiado por Hindley, Catherine desenvolve uma grande amizade pelo rapaz.
Os dois se tornam inseparáveis e aprontam sem parar, para o desespero da governanta, a Sra. Dean.
A amizade deles sofre um abalo quando o Sr. Earnshaw morre e a propriedade passa para seu filho, que vê a oportunidade perfeita de colocar Heathcliff em seu devido lugar... Como um mero empregado.

Mesmo com a implicância do irmão, Catherine continua ao lado do amigo. Até o dia, durante uma brincadeira, Catherine se fere na propriedade vizinha (A Granja dos Tordos) propriedade dos Linton.
Com peso na consciência, os Linton decidem abrigar Catherine na Granja até seu restabelecimento. Mas quando ela retorna para casa é outra garota, muito mais refinada, educada e passa a conviver mais tempo com os filhos dos Linton (Edgar e Isabella) do que com seu amigo de infância.

Com o passar do tempo a amizade entre Catherine e Edgar aumenta, e ao que tudo indica, há grandes possibilidades da amizade evoluir para um noivado. Mas eis que aparece o dilema: Catherine gosta de Edgar. Ele tem nome, berço e com certeza sua família aceitará sem problema o noivado deles, por outro lado, ela não pode negar o amor que sente por Heathcliff, mas ele é pobre, não tem família e não tem bons modos. Em resumo o amor deles é inevitável.

Numa noite enquanto conversava com a governanta da casa, Catherine confessa suas angustias, mas Heathcliff escuta a conversa e a interpreta mal. revoltado como o possível noivado entre sua amada com Edgar, Heathcliff foge sem deixar explicações.

Três anos depois, quando Catherine já está casada, ele retorna. Mas Heathcliff já não é mais um garoto, agora ele é um homem forte e decidido a se vingar de todos que o humilharam no passado.

"O Morro dos Ventos Uivantes" é sempre classificado como uma história de amor, mas pra mim é sobre a vingança de um homem amargurado, que não mede esforços para conseguir o que quer.

O motivo que me faz gostar tanto desse livro e de outros clássicos escritos por mulheres, é devido ao fato que escritoras não podiam publicar suas obras com seus nomes verdadeiros. 
A própria Emily Brontë publicou seu trabalho usando o pseudônimo de Ellis Bell, já que tinha medo de não ser levada a sério por ser mulher. Tanto que quando descobriram que o autor de "O Morro dos Ventos Uivantes" era uma mulher, as pessoas ficaram escandalizadas, pois como uma mulher tinha a audácia de escrever um livro sobre um amor tão obsessivo e vingativo. Afinal, as escritoras do século XIX só podiam escrever sobre moças que procuravam um bom casamento e eram felizes para sempre.

Se depois dessa resenha você decidir ler o livro, um aviso:
A linguagem é clássica e é preciso ler com atenção, calma e sem pressa. E principalmente tenha paciência, pois o livro é um pouco parado, mas quando Heathcliff volta e começa sua vingança, a história ganha vida.

Skoob do livro: http://www.skoob.com.br/livro/110-o-morro-dos-ventos-uivantes


Momento Chilique:

Agora vou criticar uma coisa que li num grupo no Facebook (O motivo de eu fazer a resenha).

Vejo muitos colegas autores criticando o trabalho dos outros apenas por criticar.
Há uma semana fiz uma resenha para o livro "Ser Clara" da autora Janaína Rico. Quem quiser conferir clique  AQUI

Como uma forma de divulgar o trabalho de outros colegas autores, eu costumo compartilhar os links das resenhas em tudo quanto é buraco. Então divulguei num grupo do qual faço parte no Facebook.
E então surgiu o tema que hoje em dia os livros como o da Janaína e tantas outras, que escrevem para o publico feminino, tem uma trama vazia e de linguagem de fácil entendimento.

Eu fui uma pessoa que fugiu de livros até os 24 anos, até conhecer a Série Harry Potter. E agradeço do fundo do meu coração peludo ao meu ex-namorado por ter insistido.
Hoje eu leio de tudo: Do clássico ao Esdruxulo (Esdruxulo = Fics no Nyah que não dá pra saber quem está falando o quê).

Mas hoje eu só tenho SACO para isso, porque aprendi a ler com livros de trama "vazia" e de linguagem fácil.

Agora é o momento maldoso: Eu gosto de "O Morro dos Ventos Uivantes", mas se analisarmos de modo cruel. Emily Brontë usa elementos muito fáceis de encontrarmos nos livros chick-lit de hoje. Como por exemplo: Uma protagonista que não dá a mínima para os sentimentos alheios, tem um amor doentio, não tem amor próprio e fica deslumbrada com dinheiro.
Ela também usa o elemento triangulo amoroso. Um dos caras é o poderoso e outro o cachorrinho obediente.

Agora eu fico na dúvida "Será que livros como "O Morro dos Ventos Uivantes" só são idolatrados por que o autor morreu?
Confesso que tenho essa desconfiança. Porque eu percebo... O povo gosta de idolatrar um artista póstumo.
Quando o artista tá vivinho da silva, o povo tá cagando e andando, mas é só ele morrer que vira um gênio.

E quanto ao assunto da linguagem fácil... Gente, nós não estamos mais no século XIX. O nosso próprio idioma já sofreu várias alterações na escrita e gramática. E eu acho que alguns autores preferem escrever numa linguagem mais fácil, justamente para trazer os idiotas (Como eu fui) para o mundo dos livros.

E antes que haja confusão. O comentário não foi feito no grupo "Escritores Brasileiros", foi em outro grupo onde há um escritor que anda com raiva de tudo e todos, porque ele não vende nenhum livro.
E se o cidadão ler isso, um recado:

Eu leio de tudo, não sou uma retardada ou preconceituosa. Se você está frustrado não desconte em quem está quieto. Porque ninguém tem o direito de dizer que só faço resenhas de livros com tramas vazias, assim como meu blog.

Agora que já desabafei... Fui!!