sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

(Resenha) O Soldado da Luz


Sinopse:  Uma ficção fantástica em meio a bruxos, magos e criaturas inimagináveis criadas pelo autor. O Soldado da Luz irá levar o novo leitor a um mundo totalmente fantástico, onde os bruxos dividiam o controle da Terra com os homens.

Mais um livro para a minha coleção de favoritos.
Quem vê as minhas resenhas vai pensar que eu só elogio livros, que nunca desço o cacete (Desculpa!), mas o que eu posso fazer se eu só encontro livros incríveis.

Já  tinha visto outras resenhas para "O Soldado da Luz" e todos não pouparam elogios. Fiquei semanas me corroendo por dentro para ler o livro e agora que li... Meu Deus!

A história vai te envolvendo e quando você percebe... acaba. Tanto que li em uma hora. Oitenta páginas não deu nem para "encher as cáries".

Logo no início vemos o heroí, Elden retornando para casa, mal chega e descobre que sua amiga de infância foi condenada a fogueira por bruxaria.
Elden vai ao encontro de Estriges em sua cela. Ele não acredita que Estriges seja uma bruxa. Então, ele só tem a confirmação de que as acusações são verdadeiras, como também descobre que ele é um Soldado da Luz, designado a proteger Estriges e impedir a volta do líder dos bruxos das trevas, Esbat.

Durante todo o livro vemos Elden em uma peregrinação por várias cidades mágicas em busca de aliados para derrotar os bruxos das trevas. Em meio a essas viagens Elden passa por testes, que colocam em dúvida se ele realmente é o escolhido e também a lealdade daqueles que o seguem.

O livro tem um toque, ou melhor vários toques de J. R. R. Tolken, com criaturas mágicas, castelos, lutas e cavaleiros.

Apesar do livro ter poucas páginas, acho que o autor escreveu o suficiente.
Se eu tivesse que analisar o livro como leitora, provavelmente diria "Faz uma continuação" "Ficou faltando detalhes". Mas isso era antes. Hoje já não sou apenas leitora, também me arrisco como escritora.
E se o Thiago imaginou seu livro apenas com um volume, temos que nos conformar. Pois é mil vezes melhor ter um único volume do que uma sequência que detone o livro.

Enfim, recomendo, pois você gastará a melhor uma hora da sua vida.

Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/197704

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Fazendo Propaganda # 3

Mais livros de autores independentes.

O Segredo dos Colt - Kel Costa


Você Tem Meia Hora - Camila Nascimento Silva

Em breve mais fotos.

(Resenha) Guardians Vol. I


Sinopse: O mundo dos homens é protegido do mundo de malignas criaturas por uma barreira dimensional. Frágil e sob constante ameaça, ela é protegida por doze guerreiros sob os signos das estrelas: os Guardiões. A missão desses jovens, que contam com poderes sobre-humanos, é evitar que catástrofes tomem o mundo, fechando uma fenda na barreira e impedindo a passagem dos monstros. Porém, por mais que tenham incríveis poderes, as fraquezas inerentes aos humanos – o amor, o ódio, a vingança e a hesitação – continuam presentes, tornando a missão um pouco mais difícil do que parecia ser...

Conheci o trabalho da Luciane Rangel ao ver um vídeo feito pela autora Josiane Veiga no ano passado. No vídeo ela falava um pouco sobre Guardians e desde então fiquei com vontade de ler o livro.

Em Dezembro do ano passado a autora Luciane organizou um encontro Guardians aqui em São Paulo. Então vi a oportunidade de conseguir uma cópia do primeiro livro e de quebra conhecer a autora.
Tirei foto, peguei um autografo (É, 100% tietagem).

Comecei a ler o livro em Dezembro, mas devido a alguns problemas com horários só consegui terminá-lo agora.

Apesar da demora, eu amei o livro. Ele tem tudo que amo aventura, ação, comédia e mistério.
Eu amo literatura fantástica. Amo outros estilos, mas universos fantásticos tem um lugar especial no meu coração, pois foi graças ao estilo que aprendi a apreciar os livros. E depois de um tempo, o desejo de me tornar escritora.

Acho que há mais ou menos duas semanas a autora Luciane estava triste, pois seu livro recebeu duas estrelas no Skoob. O que foi um espanto para ela, já que o livro sempre recebe elogios. E eu vou dizer uma coisa. Quem deu duas estrelas não sabe avaliar um livro.

Guardians não é um livro previsível e hoje em dia as pessoas têm preguiça de colocar o cérebro pra funcionar. Querem tudo mastigado e cuspido.

Agora vamos aos personagens - É, eu sempre falo um pouco  de cada um nas minhas resenhas.

Anne Soares (Guardiã de Câncer) - Anne vive no Brasil cercada de luxo. Filha de um empresário, ela não tem namorado, amigos e nem mesmo o carinho do pai. Até que no dia de seu aniversário ela conhece os guardiões de Touro e Leão, que contam a ela sobre sua origem. ela é uma guardiã e precisa ir com eles até o Japão para fechar a barreira mágica, que separa nosso mundo dos Youkai (Demônios que sugam a energia das pessoas)
Anne concorda em ir com eles. O único problema dela, é que ela passa o livro todo choramingando e sendo maltratada pela treinadora dos guardiões - Sofie ( a inquisidora).

Sofie Gautier (Antiga guardiã de Áries) - Ela é responsável por treinar a nova geração de guardiões. Além de comandar com mãos de ferro, acho que ela guarda muitos segredos, alguns até negros.

Hikari (Guardiã de Áries) - ela é filha de Sofie e vive revoltada. Ela é uma típica adolescente. Está com raiva de tudo e pensa que todos estão contra ela.

Hayato (Guardião de Sagitário) - O confessor de Sofie e seu namorado.

Eric (Guardião de Peixes) - Um rapaz apaixonado e meio distraído.

Sniper ( Guardião de Escorpião) - Um cara meio convencido, ou muito, vária.

Maurício (Guardião de Touro) - Eu sempre digo que pareço mais com um homem do signo de touro, do que uma mulher. E agora tenho a prova. Nem preciso dizer que gostei dele.

Ryan (Guardião de Virgem) - Um dos poucos do grupo que tenta ajudar Anne.

Qiang Li (Guardão de Capricórnio) - O revoltado à procura de vingança.

Micaela (Guardiã de Gêmeos) - É engraçado, quando comprei o livro no encontro Guardians, uma moça me disse que eu ia amar a Mic. mas sabe de uma coisa, foi a personagem que menos gostei. Ela é apaixonada pela Maire, mas tenta empurrá-la para outro. Sei lá, achei egoísmo, coisa que não suporto.

Maire (Guardiã de Libra) - Ela é a personagem que mais parece com o signo. Minha irmã é de libra e é um amor de pessoa, como a Maire.

Live (Guardiã de Aquário) - A mais jovem do grupo. Não sei por que, mas ela me lembrou a minha sobrinha com seu jeito cheguei, chegando.

Shermmie (Guardiã de Leão) - A senhorita "educação". Nunca vi uma personagem tão pavio curto. Mas gostei dela.

Em resumo, amei, amei, amei Guardians. Agora vou juntar dinheiro, pois quero comprar os outros dois volumes juntos. Não quero comprar só um e depois de acabar, ficar com vontade de arrancar os cabelos, dizendo "Por que não comprei os outros?, Burra!"

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

(Resenha) Para Sempre Ana


Sinopse: Na mística Três Luzes, o leitor percorre inicialmente três momentos afastados no tempo, onde três homens, de três gerações da família Rigotti, experimentam situações-limite pela influência de uma mesma mulher: Ana. A partir daí, a narrativa o leva a uma instigante viagem, nem sempre linear, entre meados do século XX e o início do XXI, na qual os dramas, o passado, o verdadeiro caráter e os segredos de cada personagem são pouco a pouco desnudados. A trama é conduzida pela busca de Ana e pela busca por Ana, forasteira misteriosa que abala os triluzianos e cuja trajetória se funde à dos demais em uma história carregada de luzes e sombras. A busca de Ana arrebata as emoções; a busca por Ana arrebata os sentidos. E ambas surpreendem. Sempre que tudo parece esclarecido, detalhes antes considerados sem importância provocam uma reviravolta geral na história. Até o último capítulo. Descubra se os mais atordoantes segredos de Três Luzes estão mesmo nos céus ou no fundo da alma de seus moradores.

Só a sinopse mostra que o livro é complexo, mas para mim "Para Sempre Ana" foi muito mais que isso.
Essa é a segunda resenha mais difícil que faço. Para explicar o que senti lendo o livro devo voltar aos meus anos escolares.

Todo mundo na infância e adolescência já foi obrigado a ler algum livro para fazer uma prova ou redação.
Antigamente eu não apreciava leitura. não era algo prazeroso, mas também não era uma tortura. Eu sempre encarei a leitura como uma obrigação para tirar notas e nunca como entreterimento. Mas comecei a odiar livros no colegial. Pois aos 15 anos conheci meus dois maiores carrascos: Minha professora de literatura e Machado de Assis.

Eu sei que tem gente que idolatra Machado de Assis, dizendo "Ele foi um ótimo romancista" "Criou a Academia Brasileira de Letras" Mas eu não vejo graça nas obras dele.
No início do meu ano letivo (1995) a professora passou uma lista com 5 livros que iríamos ler naquele ano:
Dom Casmurro, A  Luneta Mágica, Iaiá Garcia, Inocência e Contos de Machado de Assis.
Comecei a ler Dom Casmurro e não passei do capítulo dois. Não me perguntem o por quê não gosto? Simplesmente as histórias dele não prendem minha atenção.
Como não conseguia ler, decidi abandonar o livro. E esse foi o início de um trauma, que durou 16 anos.

No dia da prova oral a professora perguntou Por que não li? E eu fui sincera, disse que não achei graça no livro. Então a professora me passou o maior sermão. Para meu azar ela era fã doente. A mulher até me chamou de ignorante.

A partir dai, ela começou a me dar notas baixas em todos os trabalhos. Cheguei até a pensar que repetiria de ano. O bullying foi tanto que passei a odiar literatura.
Esse ódio me acompanhou até os 25 anos, quando encontrei a autora, que me libertou parcilamente - J. K. Rowling. Depois de ler Harry Potter meus olhos se abriram para os livros. Mas apenas para os estrangeiros. Quando alguém indicava um autor nacional só faltava eu mandar o coitado para aquele lugar.

Não lia livros nacionais, porque eu achava que iria encontrar Machado de Assis nas páginas, ou pior a voz da minha professora.
As coisas começaram a mudar quando decidi me tornar escritora. Em 2009 publiquei meu 1º livro e então comecei a procurar autores nacionais, e não foi fácil.

Eu ia as livrarias, mas não encontrava autores nacionais nas prateleiras, sempre os autores estrangeiros, ou os livros de auto-ajuda do Augusto Cury (Outro autor que não aguento).
Já que nas livrarias não dava em nada, decidi procurar no Clube de Autores. Mas para meu azar, comecei a ter problemas financeiros, que duraram 2 anos. Apenas no ano passado voltei a ter grana e comecei a  comprar e logo de cara já tinha um livro em mente "A Rosa entre Espinho" de Josiane Veiga. Li o livro e amei, mas apesar da autora ser brasileira, a história não se passava no Brasil, então eu "tecnicamente" li um livro estrangeiro.
Li outros livros, mas as histórias não se passavam aqui, ou o local não era mencionado. Mas com "Para Sempre Ana" seria diferente. Era um livro nacional, de um autor nacional, a história se passa no Brasil e os personagens são brasileiros.

Confesso que li as primeiras 28 páginas com receio. Aquele trauma rondando minha cabeça. Mas algo mágico aconteceu, as páginas foram passando, os capítulos também, e quando dei por mim, estava envolvida com a história. Uma história digna de detetives, quando você pensa que descobriu a verdade, aparece outra revelação. A trama faz o leitor pensar e ler com atenção.

No começo eu pensava que Carlos era o canalha e Ana a coitadinha. Depois comecei a cogitar que Ana poderia estar de complô com uma ex-namorada do pai de Carlos, e que tudo era um plano de vingança. Então a mesa vira e Ana vira a vilã, a golpista, amante do pai de Carlos e ele o coitado.
Você fica o tempo todo assim, como cego em tiroteio. Só esperando o que vai acontecer.

Agora vamos aos personagens:

Embora Ana tenha uma história triste, não consegui sentir simpatia por ela. Eu a achei meio doida. Ela é obcecada em ter uma família e nem percebe que está destruindo uma. Minha antipatia por ela deve-se ao fato, de que eu não consigo entender o que leva uma mulher a se envolver com um homem casado. Por mais que o cara seja infeliz com a atual esposa, nunca vai abandoná-la pela outra. E quando abandona, logo faz o mesmo com a ex-amante. Pois a amante de hoje será a mulher traída de amanhã. E isso é fato.
Mas existe um lado positivo em Ana. Ela pelo menos tenta reparar seus erros. O que o faz até o fim.

Carlos é o azarado, quando as coisas parecem melhorar algo aparece.

Cris, só tenho uma coisa a dizer bobeou, dançou.

Cláudia - Minha favorita - Eu também desconfio de tudo e de todos.

Márcia, não sei bem o que dizer dela. Uma hora gostei, outra odiei, e no final fiquei em dúvida.

Caio, esse foi persistente.

Outro detalhe interessante (Para mim) é o quanto os personagens me lembraram de coisas que aconteceram com a minha família. principalmente Marília, ela me lembrou um pouco minha mãe, pois ela tinha um relacionamento difícil com a minha avó (Uma mulher casca grossa).
Enfim, eu poderia escrever e escrever e nunca acabaria. Afinal o livro me encantou.

Agora posso dizer que estou curada do meu trauma. Depois de 16 anos fiz as pazes com os livros nacionais.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

(Resenha) Enigmas Urbanos


Sinopse: "O porão estava repleto de corpos esmagados e massacrados, corpos que sofreram com a dor da tortura e se transformaram em fantoches pavorosos para a diversão de um homem frio e doente. Eles não nos interessavam. Aqueles cadáveres só serviam para revelar do que ele era capaz."

Um thriller de linguagem objetiva e repleto de místério, aventura e MEDO.

Resenha:

Sabe aquele ditado "Os melhores perfumes vem nos menores frascos". Eu concordo e altero o ditado "Os melhores livros vem com menos páginas."

Já li dois livros finos "Escapismo" e "O Diário de Emily Christine" e ambos foram incríveis. Agora acrescento mais um a lista "Enigmas Urbanos" da autora Ana Lemos.
Com apenas 82 páginas o livro prende a sua atenção do começo ao fim.
Com três contos o livro te leva a um universo cheio de suspense.

No primeiro conto "O Enigma de Green Camp" amigos de faculdade saem para acampar num parque e encontram um psicopata, que coleciona partes dos corpos de suas vítimas. Ele transforma o porão de sua cabana numa vitrine macabra.

No segundo conto "O Enigma da Sinagoga Low" o assassinato de um adolescente acaba com a paz numa cidade pacata. Ao decorrer do conto suspeitos vão aparecendo, mais uma morte e uma seita sinistra completam a trama.

No terceiro conto "Crônica de um Monstro", não tem nada de assustador e sim, engraçado (Ao menos eu achei). Conta a história de uma garota e seu monstro do armário, que todas as noites se esconde embaixo da cama.
A rotina dos dois é interrompida com a visita da amiga da garota. Após assistirem a um filme, as duas meninas vão dormir e então o monstro aparece, mas por causa da intrusa, ele se assusta. E é aí que vem a parte engraçada. A garota se aproxima do monstro e o consola.
Ao terminar de ler o conto eu rolava de rir, pois lembrei quando um rato entrou na minha casa e assim que eu o vi, gritei. O rato se escondeu embaixo da cômoda e também gritou. Digo "gritou", porque ele fez um som estranho.

Outro fato interessante é que os contos são narrados em 1ª pessoa, mas o narrador não diz seu nome. Achei diferente. E o que é diferente sempre me agrada.
Recomendo o livro.

Onde Comprar: http://www.clubedeautores.com.br/book/11686--Enigmas_Urbanos

O que é Saga?


Saga: História ou narrativa rica em incidentes.

Decidi escrever esse desabafo, reclamação ou falta de algo mais interessante para fazer, porque nos últimos dias a palavra "Saga" andou me "assombrando".
De tempos em tempos recebo emails ou recados via Clube de Autores e Bookess com elogios ao meu trabalho. Como autora amadora fico muito feliz com os recadinhos. Eles me incentivam a continuar escrevendo e melhorando como autora.
Na sexta-feira decidi responder os recados. Eram três e todos diziam quase a mesma coisa: "Adorei o seu livro. Quero ler mais da Saga Lua Escarlate" "Gostei da Saga que você escreveu" "Tem planos em continuar a Saga".
Antes de mais nada, obrigada. E agora vamos a rabugice.

Não suporto quando chamam Lua Escarlate de Saga. Não acho que meus livros têm conteúdo de saga, no máximo série ou trilogia. Ou melhor ainda, um livro de alguém muito doido. É! Tenho muito amor pelo meu trabalho.
Respondi os recados e achei que a palavra não iria mais aparecer. Até que na manhã de sábado dois livros que comprei do Clube de Autores chegaram. Tirei eles da embalagem e comecei a ler a contra capa e orelhas. Então, novamente vi num dos livro a palavra. O livro em questão é sobre vampiros. Ainda não li, então não posso dizer se ele merece ou não o título.

O motivo de escrever este texto, é que hoje em dia as pessoas deturbam o significado da palavra Saga.
Saga, ao meu ver é uma história rica em detathes, com personagens complexos, surpresas de deixar o leitor/telespectador de queixo caído. Como por exemplo: Senhor dos Anéis. Não li os livros, apenas vi os filmes, mas o universo que Tolkin criou é incrível. Meu sonho é ir para a Terra Média e viver no Condado.

Outro que se encaixa no título saga é 1ª trilogia de Star Wars. Meus irmãos mais velhos eram loucos por Star Wars, e nunca vou esquecer o dia, que eu, com 7 anos e minha irmã assitíamos "O Império Contra-Ataca". Eu sentada no sofá e minha irmã no chão, e ambas com os olhos grudados na Tv assistindo a luta entre Darth Vader e Luke Skywalker. E então vem o melhor momento, quando Vader solta aquela frase clássica "Luke, eu sou o seu pai". O queixo da minha irmã e o meu caiu a metros de distancia.

É essa a sensação que uma saga provoca.

Outra série que tem todo o jeito é a Série Game of Thrones. Ela é baseada nos livros do autor George R. R. Martin (Como alguns o chamam, o Tolkin americano). Todo mundo diz que a série de Tv é 90% fiel ao livro. Se isso é verdade, Uau!
Se você é fã de fantasia tem que dar uma olhada em Game of Thrones. Vale muito, muito a pena.

Bem isso são Sagas, embora os fãs não se referem a elas dessa maneira. Mas infelizmente hoje em dia, Saga é a história de um vampiro bonitão com carrão, uma menina songa-monga, chata e egoísta e um lobisomem musculoso e gostosão.

Bem, quem leu os meus livros vai achar que eu sou louca, já que roubei alguns detalhes de Crepúsculo, mas os detalhes que roubei foram para fazer piadas.
Crepúsculo não é saga. A série tem imagem, sim, imagem. Milhares de fãs, filas quilométricas para ver o filme, várias revistas falando sobre os atores, bonecos, vários livros vendidos. Agora se pegarmos o conteúdo dos livros, não temos muita coisa. A história é muito previsível, está na cara o que vai acontecer.

O único lado positivo da febre Crepúsculo, foi que hoje quando você vai a uma livraria atrás de um livro sobre vampiros, você tem uma enorme variedade. E isso para quem é louco por vampiros - Como eu por exemplo, é um prato cheio. E eu gosto de histórias de vampiros desde os 8 anos. Tudo começou quando assisti o filme Garotos Perdidos.

Então fica o aviso. A história precisa ter muito, mas muito conteúdo para merecer o título - Saga
E por favor, não rotulem Lua Escarlate como uma. Eu ainda preciso de muito arroz com feijão para escrever algo que mereça esse título.




quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

(Resenha) A Rosa entre Espinhos

Sinopse: Na maldade da vida, ela aprendeu a viver...


Mairi amou Ian McGreggor no mesmo instante em que o viu. No entanto, a moça de olhos claros não imaginava que sua paixão pelo duque de York estava seriamente corrompida por uma maldição....E que o amor de seus sonhos se tornaria um pesadelo.

Violada, grávida, destruída, ela se vê obrigada a viver ao lado de um homem que não mais conhece. O antigo amor tornou-se repulsa, e as crenças tão firmemente enraizadas em seu ser começam a tornar-se dúvidas. Nesse mar de sentimentos e incertezas, enfim, ela precisa saber se está pronta para perdoar.


Nos braços de uma mulher, ele aprendeu a crescer...


Ian McGreggor viu, sua vida virar do avesso. Acusado de assassinato, com a loucura da mãe, e fantasmas pelo castelo, o rapaz se vê tomado de ódio pela única mulher que amou. Sem escrúpulos, fere-a sem piedade, para mais tarde entender que o sofrimento dela não lhe causava nenhum alento.
Como recuperar o amor de alguém que não o suporta? E como provar sua inocência duvidando de si mesmo?

Essa foi a primeira resenha que eu fiz, ela ficou meio incompleta, mas fazer o quê. A primeira vez é sempre mais difícil, hahaha! A original se encontra no Skoob.

Resenha:

Acabei conhecendo o trabalho da Josiane por acaso.

Um dia durante minha hora de almoço, fui ao laboratório de informática verificar meus e-mails. Quando abri minha caixa de mensagens, encontrei 178 e-mails (É! eu decorei a quantidade), todas elas vinham de um mesmo lugar, de uma comunidade no Clube de Autores - Queremos Preços mais Baixos.

O número de mensagens me assustou, tanto que decidi dar uma olhada. Todos os membros estavam atacando uma autora, Josiane. Até um dos ilustres membros entrou na comunidade dedicada a autora para prejudicar seu trabalho, pedindo para as pessoas não comprarem seus livros, porque ela comete erros de português.

Fiquei com tanta raiva do abençoado, que mandei um recado bem delicado e como birra, decidi conhecer o trabalho da Josiane.

Há mais ou menos uma semana tive um pouco de grana e comprei o livro A Rosa Entre Espinhos. Comecei a lê-lo e em uma hora a história me conquistou.

Devo confessar que não gostei do Ian, mas no final eu o perdoei, um pouco.
Agora Mairi e Allan me conquistaram. Eles sofrem... Sofrem... E sofrem mais um pouco, mas continuam de cabeça erguida.

Para quem ainda não leu ou não quer comprar por causa do preço, vou dizer uma coisa: O livro vale cada centavo gasto e a cada página que você vira vai se apaixomando pela trama e pelos personagens.

Onde Comprar: http://www.clubedeautores.com.br/book/43068--A_Rosa_entre_Espinhos
Blog da Autora: http://www.fic-lovers.blogspot.com/
Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/161671-a-rosa-entre-espinhos

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

(Resenha) Nas Trevas e na Luz - Vol. I


Sinopse: O que você faria se descobrisse ser capaz de decidir o futuro de toda humanidade? Teria coragem de enfrentar as consequências de suas decisões ou tentaria fugir de seu destino? Sara percebeu estar nesse dilema quando tirou de seu repouso uma bela e misteriosa espada. Uma benção de luz e uma passagem para as trevas.

Resenha:
Em comemoração a 2012, vamos a resenha de um livro apocalíptico: Nas Trevas e na Luz da autora Gisele Carmona.
Nas Trevas e na Luz conta a história de Sara, uma garota de 16 anos, que acaba provocando o fim do mundo.
A história começa com a protagonista presa em recordações, quando o mundo era cheio de luz e alegria, antes da Transição.
O livro é dividido em duas partes: Transição e Amor e Ódio.
Na primeira parte (Transição) vemos Sara e seus amigos visitando uma praia deserta e misteriosa. Sara é atraída por uma voz. ela a segue até cair num buraco feito na areia. Lá ela encontra uma espada cravada numa pedra. Como Pandora, Sara não resiste a tentação de retirar a espada de seu lugar, e assim que o faz, ela liberta uma criatura maligna.
Confesso que a primeira parte do livro foi a que menos gostei. Não é que a trama seja ruim, ou as cenas de ação não sejam legais, pelo contrário, eu adorei. O problema foi a protagonista. Ela só fica choramingando e esperando que um milagre caia do céu. Bem pelo menos na segunda parte ela cresce pra vida e fica menos chata.

Na segunda parte (Amor e Ódio) vemos Sara dez anos mais velha e a heroína dos sobreviventes. Sara constroí fortalezas para abrigá-los e protegê-los. Ela viaja de fortaleza a fortaleza para verificar como estão os sobreviventes. E é durante uma dessas viagens que ela encontra uma garota chamada Fell (Uma fugitiva da OGA) Não vou falar muito sobre a organização, pois não quero estragar a surpresa. Eu gostei da organização, me lembrou um pouco religiosos radicais.
A segunda parte é a minha favorita tem muito mais ação e mistério. Com cenas dignas de filmes apocalípticos.
Outro ponto positivo do livro é que ele acaba do jeito que um livro com sequência deve acabar... deixando um suspense no ar. Com a pergunta: O que vai acontecer?
Agora vou comprar o segundo livro.

Blog da autora: http://giselecarmona.blogspot.com
Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/193633-nas-trevas-e-na-luz

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Ano Novo, Livro Novo

Para acalmar os corações de três leitoras: Alana, Camila e Luana. Publíco mais um livro: Relíquia de Sangue.
Ele contará um pouco da história de Violet - Vampira responsável por criar Grace.
Relíquia de Sangue é primeiro livro de cinco, que contarão um pouco da história de alguns personagens secundários da Série Lua Escarlate.

Os próximos livros são:

Anjo da Guarda - Sobre o personagem Viktor
Conselho de Essen - Sobre o Personagem Vincent
Minha Adorada - Sobre o Personagem Peter - O título ainda é provisório
Juntos Sempre - Sobre a Família Rizzo. É a família de vampiros brasileiros que aparecem no último livro de Lua Escarlate.



Link do livro no Clube de Autores:
http://www.clubedeautores.com.br/book/120548--Reliquia_de_Sangue