segunda-feira, 31 de agosto de 2015

(Resenha) Criança 44 + O Discurso Secreto


Sinopse – Criança 44: Tom Rob Smith leva o leitor à opressora Rússia de Stalin. Quando o corpo de um menino é encontrado sobre os trilhos de uma ferrovia, o agente Liev Demidov se surpreende ao saber que a família do garoto está convencida de que se trata de assassinato. Os superiores do oficial lhe dão ordens de ignorar o assunto, mas ele está determinado a encontrar a verdade por trás do terrível crime.

Sinopse – O Discurso Secreto: Na União Soviética pós Stálin, um discurso de seu sucessor Nikita Kruschov marca o período em que as brutalidades do regime stalinista começam a ser amplamente condenadas. Liev Demidov, ex-agente de segurança do Estado, vê-se confrontando pelos erros de seu passado. De suas próprias filhas adotivas, cujos pais biológicos foram mortos por ordem de Liev, à líder de gangue Fraera, cujo marido foi aprisionado em um gulag, personagens afetados por suas atividades profissionais vêm obrigá-lo a prestar contas sobre o seu envolvimento político.

Resenha:
Olá, povão! Depois de um mês de férias o blog vai voltar a ativa. E para comemorar uma resenha dupla... “Criança 44” e “O Discurso Secreto” do autor Tom Rob Smith.
Os dois livros estavam abandonados na minha pilha de livros. Diversas vezes ficava olhando e pensando se deveria ler, então, um dia criei coragem.
Logo no primeiro capítulo de “Criança 44” vemos uma cena forte. Daquela que abala o seu sistema nervoso. Apenas com tal cena vi que o autor pegaria pesado.
A trama se passa na URSS após o término da 2ª Guerra Mundial. Onde a lei é imposta a população de forma cruel. O livro todo é uma grande aula de História, o que deixa a leitura muito mais rica.
Em Criança 44 nos deparamos com Liev, um investigador da MGB, que defende o sistema com unhas e dentes. Para ele os fins justificam os meios até que após a perseguição e captura de um fugitivo, Liev começa a questionar se tudo é o que parece ser. E por essa razão ele decide investigar uma série de assassinatos suspeitos. O que não será fácil, já que o sistema camufla tais crimes. O sistema comunista é “perfeito” e admitir que existem assassinatos pode significar o fim.
Antes de começar a ler os livros li diversas resenhas, e quase todas reclamam que a trama é muito parada. Confesso que os livros são cheios de detalhes e que a trama é complexa. A sinopse é um pouco engana trouxa, o que dificulta um pouco. Mas conforme você vai avançando na leitura percebe que a sinopse não é tão ruim assim. O problema, creio eu, é que quando as pessoas leem o livro esperam uma trama com um quê de Hollywood. Ação desde o início, e não é o que acontece.
O personagem principal passa por diversas mudanças em sua vida, profissional e pessoal. Existe o desejo de investigar os crimes, mas o sistema sempre fica em seu caminho. O que torna tudo um pouco mais lento. Mas nem por isso os livros deixam a desejar.
“O Discurso Secreto” a continuação, já parte para o lado negro do passado de Liev, e de todos que trabalharam para a MGB. O país está sofrendo mudanças. Uma parte do governo quer consertar os erros e admitir que o sistema exagerou, mas há os que se opõem e que não querem que a população fique sabendo. E para isso, são capazes até de se unirem a criminosos.
O segundo livro é tão bom quanto o primeiro. É claro que alguns personagens chegam a irritar. Sim, estou falando de Zoia. Não consegui admirá-la. Eu sei que a menina passou maus bocados e está sendo criada por um dos homens que mataram seus pais. Porém, suas decisões são de uma menina egoísta, que não se importa com a irmã.
A trama é novamente recheada de detalhes históricos, o que adoro.
Para quem procura uma boa trama de ação, suspense, intrigas políticas e que mostra o lado podre da humanidade... “Criança 44” e “O Discurso Secreto” são uma boa pedida.
Ah! E ainda volto nesta semana com mais resenhas e novidades. Fui!

SKOOB - Criança 44

SKOOB - O Discurso Secreto

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Férias e Outras Coisas


Olá! Depois de quase um mês dou as caras por aqui. Gostaria de dizer que o blog está de volta, mas infelizmente ele ainda vai ficar parado por mais um tempo. Sinto muito =(

Mas tenho um bom motivo para tal abandono, estou revisando os três livros da Série Lua Escarlate (Primeira série que escrevi) mais um livro extra vinculado a série, Anjo da Guarda. E pretendo relançar a série, mais o livro extra em outubro. Outro motivo que me trouxe aqui é para dar uma explicação sobre o que aconteceu com o meu perfil pessoal no facebook. 

Ainda tenho um perfil pessoal (Novo. Criado em junho deste ano), mas ele é apenas para família e amigos mais próximos. O antigo que criei em 2010 foi desativado. O motivo é simples... Cansei de mimimi. 

Quando criei o perfil em 2010 apenas tinha familiares e amigos mais próximos, porém no ano de 2011 comecei a aceitar convite de amizades de outros escritores. No começo achei que seria legal, uma forma de trocar ideias e acompanhar o trabalho dos outros colegas. Porém, desde o ano passado meu convívio com os escritores se tornou insuportável. É um se achando mais que o outro. É uma coisa meio... Meu taco é maior que o seu. 

Uma coisa que notei é que os escritores em geral são extremamente intolerantes. O que chega ser bizarro. O trabalho de um escritor se assemelha muito ao de um jornalista. Você leva a informação ao leitor, mesmo que seja através de uma leitura leve ou engraçada. Você compartilha conhecimento com o leitor e por essa razão precisa ser mais flexível e menos preto no branco. Nem tudo que acontece na nossa sociedade é preto ou branco, também há cinza. Sua realidade nem sempre é igual a de fulano e vice-versa. É claro que existem situações em que não há cinza, e para isso é preciso usar o bom senso, a voz interior e a educação. Algo que falta em alguns escritores. 

E para que vocês tenham uma ideia, vou dizer mais ou menos o que andava acontecendo.

O facebook de uns tempos para cá virou uma grande arena, às vezes até parece que você está num ringue de MMA, onde as diversas "tribos" brigam entre si para manifestar sua opinião sobre o assunto "Polêmico" da semana. 

Não sei em que mês isso aconteceu, mas acho que todo mundo deve se lembrar de uma treta que ocorreu entre os deputados Bolsonaro e Maria do Rosário. O facebook virou um verdadeiro inferno. Era gente xingando pra cá, gente apoiando pra lá. E eu só observava, aliás, é o que sempre faço. Observo. Normalmente pego a treta no meio do caminho e por essa razão prefiro não me manifestar. É melhor ficar de boca fechada a falar merda. Enfim, enquanto todo mundo estava se matando por Bolsonaro e Maria do Rosário. Eu estava, como sempre, postando fotos engraçadas. E esse foi meu erro. No dia que a treta estava rolando, compartilhei uma foto zoando o Leonardo DiCaprio. O problema foi que uma feminazi que estava na minha lista de amigos do Facebook deu um verdadeiro ataque de pelanca por causa da foto. A mulher defendeu a honra do Leonardo DiCaprio como se ele fosse um parente. Na hora que vi o ataque de pelanca, fiquei confusa. Não entendi o porquê, então bisbilhotei a linha do tempo da bendita e descobri o seguinte: Ninguém estava curtindo, comentando ou compartilhando suas opiniões sobre a treta dos deputados. Pelo pouco que entendi, ela era  Team Maria do Rosário. E estava desesperada para ter algum tipo de apoio. E o meu erro foi estar online e compartilhando bobagens, e isso não pode. É proibido. Como assim, ela se mata mostrando sua opinião e eu não dou a mínima. 

E acreditem, não foi só a feminazi que fez isso. Se eu estava online, compartilhando coisas engraçadas e no momento estava rolando alguma treta polêmica, aparecia um abençoado comentando de forma agressiva algo que eu compartilhava. A coisa começou a ficar tão feia que até ficava dias sem postar nada, e se postava saía imediatamente e quando me logava novamente nem olhava minhas notificações. 

Mas o pior caso rolou há uns dois meses. Era um domingo e tinha mais de trinta mensagens vindas das minhas páginas. Eram todas mensagens de leitores, como sou notificada por e-mail, me conectei e comecei a respondê-las. Naquele dia não iria compartilhar nada na minha linha do tempo. 

Terminei de responder as mensagens, cliquei em página inicial e voltei a minha linha do tempo. Assim que botei os olhos vi uma foto muito engraçada sobre gatos. Tenho dois amigos que adoram gatos e por essa razão compartilhei a foto e os marquei. O problema é que naquele maldito domingo estava rolando uma nova treta e foi só eu compartilhar a foto para receber uma indireta.

Não sei se a indireta foi para mim, mas pelo seu conteúdo e pelo fato de ter sido postada 52 segundos após eu compartilhar a foto dos gatos, acredito que tenha sido direcionada a mim. O que mais me doeu foi que a indireta veio de alguém que eu nunca imaginava. As palavras escritas no post ficaram na minha memória e não vão sair tão cedo. 

E por causa de todas essas coisas decidi que era hora de desativar a conta antiga e criar uma nova e nunca mais adicionar escritores. Mas isso não quer dizer que estou com raiva dos escritores, ainda apoio a literatura nacional, e continuo a ler livros nacionais. E desejo todo o sucesso aos escritores, apenas acho que é melhor acompanhar seus trabalhos através de suas fanpages ao invés de ter um contato mais pessoal. 

É isso aí! Beijos e até mais =)