domingo, 27 de abril de 2014

(Resenha) Filme - Capitão América: O Soldado Invernal



Título Original: Captain America: The Winter Soldier
Elenco: Chris Evans, Scarlett Johansson, Sebastian Stan, Anthony Mackie, Cobie Smulders, Frank Grillo, Emily VanCamp, Robert Redford e Samuel L. Jackson.
Diretor: Anthony e Joe Russo
Ano: 2014

Resenha:

Este mês de Abril foi o verdadeiro “Um bando de filmes legais, mas cadê o dinheiro para assistir a todos?”.
Gostaria de ter visto Noé e Divergente, mas a grana é pouca e infelizmente tive que tirar no palitinho o que eu iria assistir.

Acabei optando por Capitão América. Estou acompanhando a série de tv Marvel’s Agents of S.H.I.E.L.D e como num dos episódios rolou alguns “Spoilers”  do filme, a curiosidade apareceu e não tive como resistir.

Logo no início do filme vemos o Capitão Steve trabalhando para a S.H.I.E.L.D. ou como ele mesmo diz, limpando sua sujeira. Também vemos que a S.H.I.E.L.D continua guardando segredos, assim como no filme Os Vingadores.

Mas o pior é que o segredo é muito mais cabeludo e podre. Nem todos da S.H.I.E.L.D são os mocinhos e velhos inimigos, ou organizações terroristas já extintas, não estão tão extintas assim. Apenas estão esperando a oportunidade para sair do armário.

E quando isso acontece, o Capitão Steve vira inimigo e começa a ser perseguido. E o pior é que ele precisa tomar cuidado em quem deve depositar sua confiança.
Como todos os filme da Marvel, você vai ver ação, explosões e cenas engraçadas.

Vale a pena frisar que há as famosas cenas adicionais durante os créditos, e acreditem, vocês não vão querer perder. Por isso fique até o fim dos créditos, mesmo que o rapaz do cinema apareça para pegar os seus óculos em 3D.

PS: Estou me remoendo para ver Os Vingadores: A Era de Ultron.

Trailer


(Resenha) Cidade das Cinzas - Cassandra Clare



Sinopse: No mundo dos Caçadores de Sombras, ninguém está seguro. E agora que Clary descobriu fazer parte do perigoso Submundo, sua vida nunca mais será a mesma. Jace, seu recém-descoberto irmão, está cada vez mais impossível, e não parece medir esforços para enfurecer a todos. E sua atitude bad boy não ajuda em nada quando, após o roubo do segundo dos Instrumentos Mortais, a Inquisidora aparece no Instituto para interroga-lo... Agora Jace é suspeito de ajudar o pai, o perverso Valentim, num plano que vai colocar em risco não só Idris ou o Submundo, mas toda a cidade de Nova York. E Clary não pode deixar de se perguntar: Será que as ironias de Jace são só uma forma de chamar atenção, ou também pode haver uma traição por trás de tanto mistério?


Resenha:

Antes de começar quero dizer que gosto muito, muito da série. Por isso não pensem besteira. Vamos lá...

Comecei a acompanhar a Série Os Instrumentos Mortais no ano passado e devo dizer que adoro a maneira como a autora misturou vários elementos e deu uma cara interessante, e até original para a trama. Mas não dá pra negar que quando o assunto é a construção dos personagens, a autora dá uma leve escorregada na jaca. Já vou explicar.

Cidade das Cinzas começa logo com Valentim libertando um demônio mega, hiper poderoso para ajudá-lo em seu plano, que é invadir Idris e tocar o terror. Dessa vez ele quer deixar a Conclave em ruínas.

Do outro lado nós temos Jace, que no final do primeiro livro descobriu que Valentim é seu pai e que a garota por quem ele estava se apaixonando era na verdade, sua irmã. Um detalhe meio Star Wars.

Agora que todos sabem da verdadeira identidade de Jace, o rapaz começa a ser visto como um suposto espião a mando de Valentim. Todos suspeitam até mesmo a mãe de seus melhores amigos Alec e Isabelle. Pra quem já leu o primeiro livro, sabe que ficar de boca calada e acatar ordens não é o forte de Jace. Então, o que vemos ao longo do livro é um festival de confusões. Jace está fora de si. O que num determinado momento no livro encheu o meu saco. Já não morro de amores pelo personagem, e ele ainda fica chilicando, aí lascou.

Esse é um lado, agora vamos ao outro... Clary, a garota que foi criada como uma mundana, mas que na verdade é filha de caçadores de sombras, filha de Valentim e irmã do Jace. Neste segundo livro, Clary tenta colocar juízo na cabeça do irmão e tenta ajudá-lo a se livrar da Inquisidora, uma espécie de polícia dos caçadores de sombras, que é chamada para investigar as atitudes suspeitas de Jace.

Até aí tudo bem, sem problemas. O que mata na verdade é que Clary continua sem receber treinamento. No primeiro livro ainda dá pra entender, a garota acabou de descobrir a verdade sobre si, a mãe desapareceu, tem gente estranha atrás dela. Mas e agora, por que ela ainda não foi treinada? E criar, poderes raros para a moça não ajuda em nada. Ela mais atrapalha do que ajuda.

É estranho, mas achei os personagens mais chiliquentos. Os únicos que se salvam é Luke, Valentim e Magnus. Porque o resto, credo.

Daí vocês devem estar se perguntando... Mas você avaliou o livro com cinco estrelas lá no skoob? Sim, é verdade, mas é porque o livro tem mistério, aventura e o Magnus, é claro!!
Gosto tanto da trama, que até já comprei a sequência Cidade de Vidro.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Filmes, Filmes e... Um Livro

Olá!!

Ando um pouco enrolada com as minhas postagens (Como sempre), mas um dia vou colocá-las todas em ordem.

Tenho duas resenhas de livros para serem feitas e também quero fazer postagens falando sobre outros temas. Eles só precisam ser lapidados.

Todos sabem que sou viciada em livros, mas neste ano decidi dar uma maneirada. Agora estou comprando apenas livros que eu realmente quero ler. Aqueles que estão na minha lista faz meses. 
Meu problema é que além de ser viciada em livros, adoro um filme.

Neste mês comprei um DVD na Saraiva (Tinha um cupom de desconto e usei) o problema é que o DVD virou uma verdadeira odisseia. O entregador não encontrava minha casa. Depois de dar um chilique com a moça do SAC, meu DVD foi entregue. Não satisfeita com isso, na semana passada fui ao centro da minha cidade e comprei mais três. É, sou exagerada!

E aqui estão eles: 



 Cavalo de Guerra  - Já assisti o filme na Tv a cabo e agora vou chorar a hora que eu quiser.

 Robin Hood - Na hora que vi esse filme, lembrei da minha infância.

 Anjos da Noite - O Despertar - Agora tenho a coleção completa.

The Avengers (Os Vingadores) - Este foi o DVD odisseia. 


E pra terminar, um livro (Sim, eu não resisto, hahaha!)


Tenshi - Um Anjo Sem Asas - Luciane Rangel e Ana Claudia Coelho.

E com direito a dedicatória, Eba!!



terça-feira, 1 de abril de 2014

(Resenha) O Pilar - Josiane Veiga



Sinopse: Brasil, 1953. Emma Trentino é estudante de um internato localizado em um pequeno município do Rio Grande do Sul.
Sem contato com o mundo exterior, ela descobre nos livros a fuga para a vida enfadonha entre as muralhas de pedras do colégio Católico.
O que a garota não esperava era que as páginas tomassem vida e dentro de uma velho exemplar de mitologia grega, a jovem fosse levada até os braços de um guerreiro vivaz e muito apaixonado.



Resenha:

Vou começar minha resenha falando de algo que não tem nada a ver, ou tem, quem sabe?
Outro dia vi num site sobre signos, na verdade a piada era para mim, já que minha amiga de infância disse que encontrou uma definição perfeita para o meu signo touro, que era “Teimoso cagão”. É claro que o site tinha outras coisas legais, além da definição, e foi assim que encontrei algo interessante sobre o signo de aquário. Onde dizia que os aquarianos são excelentes atores ou escritores. E tenho que concordar 100% com a afirmação.

Ao ler O Pilar, descobri que quem tem o dom para coisa, pode escrever um livro fofo e mesmo assim não perder o rebolado.
Quem conhece o trabalho da Josy, sabe que a moça gosta de um tema polêmico e de cenas que são tão surpreendentes, que ficam na sua cabeça durante anos. Sim, eu ainda não esqueci da cena do Alexei jogando óleo quente no... de um cara.

O Pilar, como a própria autora diz no livro, foi escrito há quinze anos, numa época diferente de sua vida e quando sua escrita era mais imatura e inocente.
Devo admitir, o livro me surpreendeu pelo detalhe romântico e fofo, mas nem por isso deixou de me encantar.

Na trama vemos Emma, uma adolescente que vive num internato e que não é muito chegada num livro. Só com esse detalhe já me identifiquei com a personagem. Eu também odiava livros na minha adolescência.

Agora pegue uma garota que não curte livros e que é magicamente teletransportada para dentro de um livro de mitologia grega. E mais, ela se torna a heroína do livro. Louco, não?

O Pilar tem poucas páginas, mas você passa a melhor uma hora e quinze minutos da sua vida.


Onde Comprar:

(Resenha) Versos Sombrios - Bianca Carvalho



Sinopse: A segunda carta de Lolla Dewitt é revelada, com seu último desejo para Cailey Dewitt.
Cailey tem o dom das palavras. Ela é capaz de se conectar com histórias de pessoas e transformá-las em poesias. Porém, seu dom pode se tornar um pouco mais obscuro que isso.
Sua avó, Lolla, pede que ela envie uma de suas belas poesias a Jayce Hermandez, um detetive amargurado, que perdeu a mulher amada e se afundou em escuridão.
E Jayce logo tem a oportunidade de retribuir, pois Cailey se vê perseguida por um assassino, obcecado por suas poesias, e que a leva a se envolver em uma trama de segredos que podem mudar sua vida definitivamente.


Resenha:

Aguardei com ansiedade este livro. No ano passado li o 1º volume da Trilogia das Cartas – Jardim de Escuridão, e passei ótimas horas de romance com toques de suspense.
E com Versos Sombrios não foi diferente. Achei a trama mais obscura. O que foi bacana. Adoro ver um autor amadurecendo sua escrita e levando seus personagens a outro nível.

Versos Sombrios começa com o momento mais esperado por Cailey, a carta de sua avó Lolla, com instruções que podem levá-la a um “final feliz”. Mas sendo chata e imatura como é, Cailey não fica feliz com a carta. As instruções de Lolla são para que a neta use seu dom da poesia e envie uma para Jayce, um policial que perdeu a namorada recentemente, e que culpa a irmã de Cailey pelo ocorrido, já que no primeiro volume Faith prevê a morte da moça.

Mesmo a contra gosto, Cailey envia a poesia, que ajuda Jayce a sair da depressão e retorne seu trabalho.
Jayce fica tão agradecido pela ajuda, que promete proteger Cailey. E como num passe de mágica ou uma coincidência sinistra, Jayce tem a oportunidade de cumprir com sua promessa.

Tanto ele quanto Cailey acabam se envolvendo no mesmo caso “O poeta sombrio”. Um cara doido que comprou um buquê de flores da irmã de Cailey e junto com o buquê recebeu uma poesia que deveria ajudá-lo a esquecer um amor não correspondido, mas que causa o efeito contrário. O cara decide matar a mulher que amava e passa a perseguir Cailey, pois a considera sua alma gêmea, já que ambos possuem o dom de tocar as pessoas com suas poesias.

Como disse no início da resenha, o livro tem muito mais suspense e cenas mais sombrias. Dessa vez tive que quebrar mais a cachola para descobrir quem era o assassino.