Pular para o conteúdo principal

(Resenha) Os Dragões de Titânia - A Queda do César - Renato Rodrigues


Sinopse: Se impedir a morte do Imperador fosse o único problema dos Dragões de Titânia, até que não seria ruim. Elfos saqueadores, conspirações, vampiros, quimeras, armaduras amaldiçoadas, trolls e outras urucubacas permeiam esta história sobre um grupo de sócios que precisa aprender a viver como uma família... Ou morrer tentando! E as coisas ainda podem piorar, principalmente se depender de um rancoroso elfo. Lembre-se: não existe pior inimigo do que um ex-amigo. Os Dragões de Titânia estão de volta para enfrentar seu primeiro grande desafio: aprenderem a trabalhar juntos. Aí você junta um anão rabugento que precisa aprender a ser pai solteiro, um mago cheio de manias que vive com um olho no peixe e outro no gato, uma freira dedicada que só pensa em namorar, um ex-pugilista desnorteado, um guerreiro perseguido pelas próprias paranoias e um centurião chegado numa manguaça e apaixonado por uma feiticeira revolucionária. Estabelecidos agora como uma ordem militar, eles enfrentarão um ex-amigo em busca de vingança, enquanto desvendam uma conspiração contra o Imperador de Titânia. Se você tiver coragem de prosseguir, irá conhecer uma história de magia e heroísmo repleta de seres fantásticos e dragões. E é sobre dragões que eu gostaria de falar. Sobre dragões e sobre 12 Armas Mágicas criadas por eles para combater um inimigo de toda a criação. E também sobre uma família que se formou sem ter nada em comum. Igualzinha a sua!

Resenha:

Passei o dia todo pensando em como começar essa resenha sem soltar spoiler. Sim, porque infelizmente, vi algumas resenhas para o mesmo, no qual os resenhistas soltam detalhes que podem atrapalhar os que ainda não leram nenhum dos livros.

Nada contra os resenhistas. Cada um sabe o que faz, mas contar que o personagem X se transformou em W e virou a casaca é entregar um detalhe muito importante do 1º livro. 

Mas vamos a resenha que é o que interessa:

Sempre que vou ler livros em série fico com frio na barriga, afinal, já li séries que o primeiro livro foi um espetáculo e sua continuação foi lamentável. Por sorte, agora que acabei de ler o volume dois de "Os Dragões de Titânia" posso respirar aliviada. Tinha gostado pra caramba do primeiro livro, mas o segundo conseguiu se superar.

Temos muito mais ação, aventura, novas criaturas mágicas (Adorei os vampiros), mistério e é claro, sua maior marca registrada... O humor. 

Em "Os Dragões de Titânia - A Queda do César" nos encontramos novamente com o grupo mais inusitado de amigos. Cada um com sua esquisitice, mas que os tornam únicos.

Um ano após terem libertado a Ilha de Argos do tirano Barão, os Dragões de Titânia se reúnem para mais desafios, que incluem uma conspiração muito bem planejada (E bota planejada nisso) para invadir Titânia e matar o imperador.
Novamente o autor nos surpreende com sua criatividade e a habilidade em esconder o ouro do leitor e somente aos pouco vai revelando. E ao terminar o livro você fica querendo arrancar os cabelos para saber... E agora?

Se no primeiro livro o leitor precisa prestar atenção aos fatos, neste volume é preciso ter a atenção redobrada. Digo isso porque eu quase confundi um bate papo mágico com devaneios de um general louco por poder.

Sério! Pensei que o general tinha roubado a bebida do Alambique e estava vendo coisas. Só depois de alguns segundos percebi que ele estava conversando com alguém por meio de magia.

Se você gosta de literatura fantástica com uma pitada de humor. "Os Dragões de Titânia" vão atender a seus pedidos. E o melhor de tudo... É um livro nacional.

Onde Comprar: www.linhastortas.com


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha - Filme: Negação

Título: Negação (Denial)  Elenco: Rachel Weisz, Tom Wilkinson, Timothy Spall e Andrew Scott. Direção: Mick Jackson. Ano: 2016 Sinopse: Deborah Lipstadt é uma conceituada pesquisadora que em seu livro ataca veementemente o historiador David Irving, que prega que o holocausto não existiu e é uma invenção dos judeus para lucrar mais. Julgando-se prejudicado pelo que foi publicado, Irving entra com um processo por difamação contra Deborah. Só que, pelas leis britânicas, em casos do tipo é a ré quem precisa provar a veracidade da acusação. Logo ela se vê em uma disputa judicial que, mais do que envolver dois estudiosos da História, pode colocar em dúvida a morte de milhares de judeus durante a Segunda Guerra Mundial.  Resenha:   Antes de começar a resenha, gostaria de escrever um trecho do filme (Prometo que isso tem um propósito), vamos ao trecho. A Negação do holocausto repousa sobre 4 afirmações básicas. Nº 1 - Que nunca houve qualquer tentativa sistemát

(Resenha) Contando Estrelas - Luciane Rangel

  Título: Contando Estrelas. Autora: Luciane Rangel. Páginas: 264. Editora: Qualis. Sinopse: A ideia de um trabalho voluntário nunca passou pela cabeça de Elisa. Na verdade, era algo que ela jamais faria, não fosse essa uma exigência louca de uma das professoras da escola. O trabalho em dupla poderia ter sido com uma de suas amigas ou com o lindo do Miguel... Mas quis o destino, e o sorteio feito pelas mãos da professora, que o escolhido para ser seu par fosse o aluno novato da turma, um sujeito meio esquisito, calado, e que passava os intervalos das aulas no estranho hobby de dobrar estrelas de papel, como se elas tivessem algum significado. Mal sabia ela que o trabalho realizado em um hospital infantil, junto à companhia do “esquisitão”, fosse acrescentar muito mais à sua vida do que as aulas do colégio. Ele parecia enxergar nas pessoas muito além do que olhos comuns poderiam ver, e suas estrelas pareciam fazer parte de algo maior do que um simples hobby. Algum tipo de missão, um ta

(Resenha) Filme - Meu Nome é Ray

Título: Meu Nome é Ray. Elenco: Elle Fanning, Naomi Watts, Susan Sarandon, Sam Trammel e Linda Emond.  Direção: Gaby Dellal. Ano: 2015. Sinopse: Ray nasceu mulher, mas nunca se identificou com o gênero e se prepara para fazer a cirurgia de redesignação de gênero. Sua mãe Maggie, tenta encontrar a melhor forma de lidar com a questão, mas a avó homossexual de Ray, Dolly, recusa-se a aceitar a resolução e cria um conflito familiar. Resenha: Este é mais um filme que tenta falar sobre os transgêneros e infelizmente não cumpre com sua tarefa. A questão dos transgêneros, assim como de outras sexualidades ainda se mantém complexos e confusos para boa parte das pessoas. Transsexualidade só não é confuso para quem é. Assim como não é confuso para os pansexuais, assexuais, demisexuais, e tantos outros que não lembro agora.  Precisamos entender que durante muito tempo só existia na cabeça das pessoas, homossexuais, héteros e bissexuais, sendo que  o 3º sempre foi visto como conto da carochin