sábado, 9 de fevereiro de 2013

(Resenha) Kaori - Perfume de Vampira - Giulia Moon


Sinopse: Século XV: Kaori, uma bela garota com o perfume da sedução, trilha caminhos perigosos entre samurais, senhores feudais, prostitutas e criaturas mágicas do folclore japonês. No seu caminho, surge José Calixto, um artista sensível e apaixonado, capaz de tudo para dar vida a uma obra imortal.

Século XXI: na fervilhante Avenida Paulista, coração de São Paulo, Samuel Jouza tem uma profissão peculiar. Ele observa vampiros para um misterioso instituto de pesquisas. Mas o olheiro percebe que a sua profissão é muito mais perigosa do que imaginava, ao salvar um menino das garras dos sanguessugas.

De um lado, a magia das sagas heróicas de samurais, o mistério das antigas lendas do Japão. Do outro, uma aventura ágil e atual, que tem como cenário o Brasil. Dois universos se entrelaçam e se cruzam neste novo romance de vampiros escrita por Giulia Moon.

Resenha:

A primeira vez que vi esse livro foi em 2009. tinha acabado de chegar em casa depois de ter pego um transito dos infernos. Liguei a Tv e comecei a passar pelos canais à procura de algo. Então ao passar pela Gazeta parei. Não sou fã do programa mulheres, mas vi uma moça sendo entrevistada e curiosamente ela parecia muito com uma moça que fez faculdade comigo.
Fiquei olhando para a tela dizendo “Essa moça parece a Agatha... Não! Pera aí... É a Agatha!”.

O tema do programa era vampiros. Foi bem naquela época que Crepúsculo estava no auge. Além de Lady Agatha Daae, estava uma escritora chamada Giulia Moon falando um pouco sobre seu livro que tinha acabado de ser lançado... Kaori.
Quando ela disse que na trama tinha uma vampira japonesa, minha curiosidade aguçou. Afinal, é raro encontrar na literatura vampiros da Terra do Sol Nascente.

Levei três anos para adquirir o livro e depois o coitado ainda ficou na minha pilha interminável de livro para ler. Mas no final de janeiro comecei a lê-lo. E que livro!!

Com uma narração hora no passado, hora no presente (E são coisas assim que me deixam sem fôlego enquanto leio) Kaori prende a sua atenção e aguça a sua curiosidade por mais. Diversas vezes me peguei xingando por ter que largar o livro seja para dormir, comer ou trabalhar.

O livro conta a história de Kaori, uma jovem transformada em vampira no Japão Feudal. Com um passado cheio de dor, vingança, desejo e paixão.
Além da vampira com perfume inebriante, temos Samuel Jouza, um vampwatcher que trabalha para o IBEFF (Instituto Brasileiro de Estudo de Fenômenos Fantásticos). Uma instituição responsável em catalogar os vampiros e as criaturas que fazem parte de sua cadeia alimentar.
Samuel transita pelas ruas de São Paulo observando vampiros e reportando ao instituto. Confesso que seu local de observação me deixou feliz e com medo, pois passo com frequência pela Avenida Paulista, principalmente pelas estações Brigadeiro ou Trianon. (Só espero nunca encontrar um Karl da vida).

Numa dessas suas observações, Samuel acaba atrapalhando a caçada de um vampiro. E a partir daí ele passa a ser perseguido.

 Giulia Moon nos apresenta uma sociedade vampírica não muito diferente da humana. Com vampiros bons, maus, mais ou menos e aqueles que estão sedentos por poder e é claro, sangue. Afinal, ninguém é de ferro.

O livro me agradou 100%. ele é bem escrito e deu para ver que a autora teve um cuidado todo especial com sua pesquisa, e isso faz toda a diferença. E mais Kaori é a prova do que sempre digo... Você pode fazer um vampiro beber sangue animal, fabricado, basta dar uma explicação plausível e não ficar dizendo que ele não bebe  sangue humano por dozinha. É como diz Takezo “Os vampiros estão consumindo meu produto não por princípios morais ou religiosos, mas porque é mais prático. O sabor e as propriedades terapêuticas do sangue humano são inigualáveis. Todo o vampiro prefere sugar o autêntico sangue de um mortal, mas deixa para ocasiões especiais. No Natal, no aniversário...”

Se você procura um bom livro nacional e com o tema “Presas”. Kaori é magnífico!

Site da autora: www.giuliamoon.com.br




Nenhum comentário:

Postar um comentário