sábado, 9 de março de 2013

(Resenha) A Escolha - Nicholas Sparks


Sinopse: Travis Parker possui tudo o que um homem poderia ter: a profissão que desejava, amigos leais, e uma linda casa beira-mar na pequena cidade de Beaufort, Carolina do Norte. Com uma vida boa, seus relacionamentos amorosos são apenas passageiros e para ele, isso é o suficiente. Até o dia em que sua nova vizinha, Gabby, aparece na porta. Apesar de suas tentativas de ser gentil, a ruiva atraente parece ter raiva dele. Ainda sim, Travis não consegue evitar se engraçar com Gabby e seus esforços persistentes o levam a uma jornada que ninguém poderia prever. Abrangendo os anos agitados do primeiro amor, casamento e família, A Escolha nos faz confrontar a questão mais cruel de todas: Até onde você iria manter o amor de sua vida?

Resenha:

Nicholas Sparks é conhecido por ter tido quase todos os livros adaptados para o cinema. E acreditem, até hoje só assisti dois filmes e até a semana passada não tinha lido nenhum de seus livros.


Quando contei a minha sobrinha que iria ler “A Escolha”, ela me disse “Cuidado! De acordo com o povo ou você ama ou odeia os livros dele”. Depois contei para uma amiga e ela me disse “Vixi! Do jeito que você é sensível, vai se acabar em lágrimas”. Agora que li posso dizer: Gostei e chorei pra caramba.


É a clássica história: Garota conhece garoto e se apaixonam. Mas nem por isso o livro deixa de ser agradável. Quando você pega um livro com uma trama bem feita, nem importa se o tema é batido. Afinal, uma história da amor também pode ser legal.


Em “A Escolha” conhecemos Gabby e Travis. Dois vizinhos que não se dão muito bem. A maneira como os dois interagem um com o outro na primeira vez que são apresentados é hilário. Nunca vi um romance começar daquele jeito. Ponto para o autor, que saiu um pouco da mesmice.


Gabby é uma mulher séria, dedicada ao trabalho e que tem graves problemas de relacionamento com a mãe, que tenta ditar suas escolhas.


Travis é animado, extrovertido e que vive a vida ao máximo. Viajando, praticando esportes radicais e que sempre dá festas em sua casa na companhia de seus amigos. Já deu pra ver que os dois são que nem água e óleo. Não se misturam.


Alguns dias após a primeira apresentação, Gabby e Travis dão uma segunda chance. O relacionamento entre eles é engraçado, principalmente com a ajuda da irmã de Travis – Stephanie, uma garota muito da doida.


A história traz o famoso triângulo amoroso, mas o interessante foi ver a maneira como o autor aborda o tema. Depois desse livro, acho que prefiro um homem descrevendo uma personagem feminina do que uma mulher. Parece que as mulheres gostam de retratar suas protagonistas como um bando de mulheres indecisas e bestas. Foi legal ver a protagonista como uma mulher decidida, que sabe o que quer e que sabe que seu relacionamento atual não está indo para lugar nenhum, e que é hora de mudar.


Como falei no começo da resenha, o livro me fez chorar. Cheguei a mais da metade do livro, quando ocorreu um acidente de carro e um dos personagens fica na UTI por mais de um mês. Não foi fácil ler isso. Afinal, meu pai faleceu faz pouco tempo e ele também ficou na UTI por mais de um mês.


Teve uma hora que cogitei abandonar o livro, mesmo estando legal. Apesar de algumas tristezas o livro é muito bom. Não fala só do amor entre homem e mulher, mas do amor em geral.



2 comentários:

  1. Oxe! O primeiro livro que li dele foi demais e posso dizer que amei. Adorei a resenha e louca para ler mais um dos livros dele. Amei!

    ResponderExcluir
  2. Que bom que você gostou. Leia os outros pois são todos maravilhosos. O meu preferido é A ultima musica

    http://blogprefacio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir