terça-feira, 18 de junho de 2013

As Manifestações Pelo País

Olá! Não costumo fazer posts relacionados à política, mas não posso deixar de fazer um, já que nos últimos dias minha caixa de mensagens no Facebook virou privada com tantos convites para as manifestações que andam ocorrendo pelo país.

Quero deixar bem claro que não sou contra. Quer protestar é um direito seu, só não pode quebrar o patrimônio alheio. Como por exemplo, o carro do meu amigo, que está com o vidro traseiro quebrado.O coitado mora perto da Avenida Paulista e quando voltava para casa teve o carro atingido por uma pedra.

Enfim... O motivo deste post é para deixar claro, que não sou contra, mas não quero e não vou apoiar as manifestações. Por isso parem de me marcar em coisas relacionadas no Facebook e parem de encher meu inbox.

Por que não apoio:

Simples... É o sujo falando do mal lavado. Não nego que no meio dos manifestantes há pessoas boas, que são bons estudantes e trabalhadores. Mas eu sei e posso afirmar, que no meio deles há aqueles que, não se importavam com a escola, tiram licença médica, mas nem procuram um médico para tratar seu problema e voltar ao trabalho. Como eu sei, vocês devem estar se perguntando. Fácil! Tenho dois amigos metidos até os calcanhares nos protestos. Vamos começar com o primeiro amigo. Vou chamá-lo de Sr. G.

O Sr. G estudou na faculdade de Jornalismo comigo há uns sete anos. Ele sempre foi um aluno "Cabeça" sempre falando na sala de aula, mostrando seu intelecto pra quem quisesse ver, sempre expondo seu ponto de vista sobre os mais diversos assuntos.

Então um belo dia, nosso professor de Psicologia da Comunicação passou um filme sobre como a mídia manipula a notícia e faz o mocinho virar o vilão da história.
O filme tinha duração de duas horas e meia, ao final nós, junto com o professor faríamos uma discussão sobre o que foi passado.

Mas advinha o que aconteceu? O filme acabou, mas não houve discussão. Por quê? Bem, porque meus colegas de classe achavam que a cerveja do bar da esquina era mais atraente do que uma aula, que com certeza iria contribuir para suas vidas como futuros Jornalistas.
Quer dizer, meus colegas gastavam 669 reais de mensalidade + condução, que aliás não era tão barata, para ir ao bar, ao invés de assistir a aula.
E adivinha quem é que estava no meio dos que largaram a aula? O Sr. G é claro.
E sabem onde ele anda nos últimos dias? Nas manifestações.

Então chega a ser meio estranho vê-lo brigando por uma tarifa de ônibus, sendo que ele, quando estudante não tinha dó de gastar e ficar bebendo no bar.

O outro caso de cidadão modelo vem de uma amiga minha. Vou chamá-lo de Srta. F.

A Srta. F estudou comigo no ensino médio. Hoje ela é professora estadual, concursada, ganha 1445 reais por mês. Ela dá aula de química.
Enfim... Há dois anos ela sofreu um acidente de carro e acabou lesionando a coluna. Por causa disso ela tirou licença médica para cuidar do problema. Só que tem um detalhe... Ela até hoje não procurou ajuda. E não é porque o SUS é uma porcaria, ela tem plano de saúde. O fato é que... Pra que procurar ajuda médica se ela pode continuar a tirar licença, ganhar o mesmo salário e ficar em casa (Com o perdão da palavra) coçando o dia inteiro.

E nesse meio tempo os alunos provavelmente estão sem professor de Química há pelo menos dois anos. O que aconteceu comigo quando estava no segundo ano. Fiquei o ano inteiro sem professor de Química, Biologia e Física. E o mais engraçado é que quando olham o meu histórico consta que eu tirei B em todas essas matérias, sendo que não tive uma aula ou prova.

E adivinha onde essa minha amiga está? Nas manifestações é claro. Pra isso a coluna dela não doí.

Então eu me pergunto... Como é que vamos mudar o país, se quem está lá protestando é tão corrupto e escroto quanto os que estão no poder?

E volto a dizer, não são todos que vão as manifestações que são como meus digníssimos amigos. Sei que há os corretos e que dão valor ao seu esfroço como estudantes e trabalhadores.

5 comentários:

  1. Melhor ter esses revolucionários de "meia-tigela" protestando do que não ter ninguém. Não dá pra continuar do jeito que tá, e é isso que esse pessoal tá querendo mostrar pro Brasil (por mais que alguns desses manifestantes sejam salafrários sem vergonha ou grande aproveitadores da situação).

    Por mais que tenhamos algumas frutas podres no cesto, esse pessoal tirou algumas horas de seu precioso tempo para ir lá e mostrar pro Brasil que o povo tem poder!
    Obs: lembrando que mais da metade daquelas pessoas vai ter que acordar cedo no dia seguinte ao protesto e ir trabalhar ou ir para a aula.

    Sua opinião é válida sim, mas não condiz muito com a "verdade verdadeira". Abraços, Matheus.

    ResponderExcluir
  2. Tem uma forma muito fácil de ajudar nesse protesto e acabar com o pouquinho de corrupção que tu citou em um desses casos: é só denunciar a tua professora (anonimamente) mostrando provas ao INSS de que ela estava na passeata. No momento em que receberem essas fotos, o benefício dela termina.

    Se cada um fizer a sua parte, esses exemplos serão minoria. O que não dá é para ficar calado diante disso.

    ResponderExcluir
  3. Mateus é por isso que o Brasil não vai pra frente. E é por isso que votamos nos Malufs da vida. São degenerados, mas é melhor com eles do que sem eles.

    E a mulher da manifestação, não é minha professora, é minha amiga.
    Já terminei o ensino médio faz tempo.
    Mas gostei da ideia.

    ResponderExcluir
  4. De que adianta fazer tanto auê agora se no fim das contas não vai adiantar de nada?E sabe porque não vai adiantar de nada?Porque o ser humano é corrupto e acomodado, e por natureza levado a euforias,uma revolução DE VERDADE não acontece da noite para o dia, é preciso anos para realizar uma mudança realmente significativa, mas diga-me, por favor, quem será a boa alma que irá, daqui á, sei lá, três gloriosos anos, continuar brigando pelos seus direitos com tanto fervor como está acontecendo agora?NINGUÉM ... e por favor, não vamos usar de utopia falando que a situação depois desse curto período de tempo estará muito diferente do que está agora ... A verdadeira mudança, o protesto realmente válido, não está em bater panelas e gritar nas ruas, e sim em cobranças, mas cobranças realizadas de uma maneira certa!
    Vamos acordar para a realidade, a causa é válida, realmente ... mas nós não "somos os filhos da revolução", somos a geração Dolinho, jogada a esmo em circunstâncias que não entendemos ... não somos "revolucionários de meia tigela" pois ou uma pessoa é revolucionária ou não é, é como ficar meio grávido, não dá para fazer isso, ou seja, não estamos fazendo o serviço direito ... Se é para protestar, proteste direito, não faça fumaça onde não há fogo ... use seu maior trunfo, use seu voto, e cobre quem você colocou lá em cima!E depois que tudo acabar, que essa euforia com a novidade acabar, não se esqueça do que realmente importa ... Mas agora, depois de tudo isso e de intelectuais me jurando de morte por tudo que escrevi, diga-me, daqui a dez anos, todos esses "revolucionários" ainda estarão atras de seus direitos, ainda irão dar sua cara a tapa, ou a fatiga irá ser muito grande na opinião dessas pessoas??
    A mudança está nas nossas mãos adoráveis, mas, olhe para o próprio umbigo e responda, está nas mãos e nas atitudes certas??

    ResponderExcluir
  5. Então, voltei. Essa palavras estavam presas na garganta à algum tempo, então decidi voltar antes que elas me sufocassem.

    1º - o Sr. G, assim como todos nós humanos, precisa de diversão. Se o cara frequentou centenas de aulas durante o ano eletivo e as entendeu, não tem porque ficar julgando ele por apenas um deslize. Vi essa frase no Facebook à alguns dias, e faço questão de colocar ela aqui: "Mil acertos, nenhum elogio. Um erro, mil condenações".

    2° - sim, tem gente "podre" nos protestos. Aproveitadores, assaltantes, marginais... Mas oque a senhora esperava do BRASIL, o 18° país mais violento do mundo??? Uma hora ou outra os leões na pele de cordeiro do país iriam aparecer, assim como no carnaval, São João ou qualquer aglomeração de pessoas no Brasil.

    Acho que é isso. Aconselho-te a ir à qualquer manifesto, seja em 2013 ou 2014 (porque, sem dúvidas, em 2014 VAI TER!). Não fica acanhada não, até minha avó já foi em um manifesto comigo (eu falo sério hahaha). Abraços :)

    ResponderExcluir