segunda-feira, 28 de setembro de 2015

(Resenha) Cabra Cega - Sheila Ribeiro Mendonça


 
Sinopse: Clara e Gustavo se conhecem em um clube de Curitiba quando ela estava pensando em viajar, antes de começar a faculdade, então se apaixonam e casam. Assim, a vida de Clara muda rapidamente. A mudança é radical, pois Gustavo se revela um homem agressivo, ciumento, possessivo, violento, ardiloso e perspicaz, com isso transformando a vida dela numa constante surpresa e esconde-esconde. Não somente de comportamentos, como também de cidades. Com o intuito de não criar laços com ninguém e, principalmente, de não deixar a família de Clara saiba onde ela está, você vai acompanhar Cabra Cega sem ter certeza de até quando aquela cidade fará parte dos planos de Gustavo. Em Cabra Cega acompanhamos os escondidos.  
Resenha:
Finalmente comecei a minha leva de livros via kindle. Baixei diversos livros pela amazon, mas devido a falta de tempo e minha enorme pilha de livros, os e-books acabaram ficando encostados. Porém, no início deste mês decidi que era hora de começar a lê-los e para dar início escolhi o livro “Cabra Cega” da autora Sheila Mendonça. E povão, o livro é incrível. Apesar da linguagem simples e sem diálogos a trama foi bem desenvolvida.

A autora conseguiu passar com extrema realidade o que acontece com as mulheres vítimas de violência doméstica. E talvez seja por essa razão, que os personagens me irritaram ao extremo.

Não quero que a autora pense que não amei o livro. Adorei, de verdade. Porém, a trama nos apresenta a realidade sem frescura... Nua e crua.

Todos os personagens representam a realidade, desde a passividade e submissão da vítima, a crueldade do marido violento e a falta de atitude dos pais da vítima. Em diversos momentos fiquei na dúvida em quem deveria odiar mais... O marido, a esposa ou os pais, que são inúteis.

Tem uma cena que a personagem Clara é arrastada pelo marido diante dos pais, que ficam apenas olhando. Não sei se isso é o meu sangue paraguaio com boliviano falando mais alto, mas se eu visse algo do tipo acontecendo a minha irmã ou filha, daria um monte de porrada no sujeito, com infarto e tudo. Chamaria a polícia, sei lá, faria alguma coisa. Parada é o que eu não ia ficar.

O único personagem que tem atitude é o marido. Pelo menos o cara se mexe para conseguir alcançar seus objetivos, mesmo sendo ruins.

Clara é irritante ao extremo, lerda e besta. Sinto muito, mas sou incapaz de sentir empatia por mulheres que apanham. Não estou dizendo que mulher merece apanhar, não, longe disso, mas como a própria trama mostra. Clara recebeu diversos alertas dos seus pais de que Gustavo era obsessivo, ciumento, controlador e frio, mas não deu ouvidos. E essa é a realidade de muitas mulheres.

No livro a autora deixa a entender que Clara era muito apaixonada para ver a verdadeira face do marido. O que até certo ponto condiz com a realidade. Porém, não posso deixar de dizer que muitas mulheres apostam no cavalo errado pelo puro e simples prazer de “desafiar” a opinião dos pais e amigos. Isso quando os próprios amigos a aconselham a namorar o sujeito porque o mesmo possui um carro do ano, uma boa profissão. E ela precisa casar com o sujeito porque não vai encontrar algo melhor e que é muito triste uma mulher sozinha.

Enfim, se você está à procura de um bom livro nacional, com uma temática polêmica, Cabra Cega é uma boa pedida. 

SKOOB 

Um comentário:

  1. Minha querida, que delícia saber a sua opinião sobre o meu trabalho, gostei muito da forma que você abordou os pontos e deu a sua opinião. Fez uma autora feliz. Obrigada!
    Beijo, beijo! :)

    ResponderExcluir