domingo, 7 de julho de 2013

(Resenha) Crazy Mary - Thiago Assoni

 Página do livro no SKOOB


Sinopse: Descaradamente inspirados em obras de Joe Hill e Stephen King (filho e pai) e livremente inspirado na música que dá nome ao livro (originalmente cantada por Victória Williams, regravada e mais conhecida na voz de Eddie Veder do Pearl Jam), Crazy Mary mergulha na mente doentia de uma pessoa capaz de matar só para tirar um problema do caminho. Mas, quem seria essa pessoa? Todos podem ter um bom motivo para matar. Ou não. Tudo acontece numa pequena cidade Serrana, envolto em um clima meio morto, onde é possível encontrar um mercadinho bem aconchegante e uma lanchonete que serve panquecas americanas. Ruas cheias de árvores e caminhos de terra dentre a mata, cheio de suspense e com um “Q” de grunge, um rio calmo que corta a cidade, lá nos fundos da Serra. E é nesse clima que se desenrola o primeiro romance de terror psicológico do jovem paulista Thiago Assoni.


Resenha:

Abismada, surpresa, alucinada e com uma pitada de "What a Hell?", começo essa resenha.

Sou fã de Joe Hill e quando li a sinopse de Crazy Mary fiquei morrendo de vontade de ler.
Não sou do tipo de leitora, que deseja queimar na fogueira da inquisição, o autor que decide se inspirar no trabalho de outro. Acho incrível.

E posso dizer... Thiago Assoni não só conseguiu copiar Joe Hill, como ele levou o tema loucura e terror para outro nível.
Pensei que o livro falaria de um assassinato e depois haveria uma investigação, e magicamente, o culpado seria preso.

Mas conforme passamos os capítulos, vamos mergulhando na loucura dos personagens, seus fantasmas e traumas.
Houve um momento (Lá pelo capítulo 26), que comecei a duvidar da minha própria sanidade.
Eu pensava "Será que eu estou lendo, o que estou lendo?"

Não estou dizendo que o livro é confuso, pelo contrário, ele faz você parar para pensar. E o que parece louco e confuso, no final não é.

Gostaria de falar dos personagens, mas não sei como fazer isso sem soltar um spoiler. E se eu fizer isso... Devo ser morta, pois é um crime.

PS: A partir de agora vou tomar cuidado ao me comunicar com meu EU interior. Fico me perguntando... Que aparência ele tem? Do jeito que eu sou, é capaz dele ser um esquilo.


Blog do livro: http://cmcrazymary.blogspot.com.br/


Book Trailer 

2 comentários:

  1. Não gostei, muitos erros de concordância, uso abusivo do pronome "lhe" onde era totalmente desnecessário. A história seria melhor se não "americanizada" e tupiniquim ao mesmo tempo. O Livro tem capítulos excelentes, com narrativa envolvente, mas os personagens não convencem. Talvez pelo fato do Autor estar nitidamente copiando um estilo que não é o seu. Então, parece que estamos lendo um livro escrito de maneira intercalada por dois ou mais autores. Acho que faltou ao livro uma boa revisão. Isso não é uma crítica destrutiva; o autor tem talento e poderia ter escrito um excelente livro. Mas revise o texto antes de publicar e sugiro que peça a outra pessoa ler o texto antes.

    ResponderExcluir
  2. Sempre recebo críticas como dica. Muito obrigado!

    ResponderExcluir