terça-feira, 3 de julho de 2012

(Resenha) A Senhora das Montanhas - Josiane Veiga

Sinopse: Ela não acreditava no amor... A Guardiã de Aquário volta para a Índia após mais de dez anos da luta contra os Youkais. Nas montanhas, ela se depara com outra batalha: a guerra contra a desigualdade social. Mas diante de tanta tristeza, é recompensada com a paixão de um homem sedutor... E muito misterioso. Ele não se importava com o amor... Nicolas Velaz buscou as montanhas indianas com um único objetivo: encontrar a paz que tanto almejava. Todavia, o sossego tão desejado veio em forma de um furacão chamado Live Kamadeva, uma mulher de castas, que não se importava a mínima com regras sociais, e que parecia mexer com cada célula do seu corpo.  


Resenha: 



Sabe aquele ditado “Juntou a fome com a vontade de comer”. Bem, foi isso que eu fiz enquanto lia “A Senhora das Montanhas”.

No ano passado eu conheci o trabalho de duas autoras incríveis: Josiane Veiga e depois (Por influência da própria) Luciane Rangel.

Ambas amam o universo japonês. Mas tem estilos diferentes. Josy gosta de um tema polêmico. Confesso que nunca gostei muito desse tipo de livro, mas depois de ler o que ela escreve, mudei de ideia. Luciane tem um dom para a aventura e comédia. E sua trilogia Guardians preencheu o vazio que Harry Potter deixou no meu coração (É! Eu sou uma Pottermaníaca, mas sou gente boa).

Então quando eu soube que a Josy faria um livro inspirado num dos personagens de Guardians (E não é qualquer um e sim, a Live que eu adoro) fiquei curiosa para ver o resultado.

E fico satisfeita em dizer que não me decepcionei. A Josy conseguiu colocar um pouco do estilo dela junto com o da Luciane. O livro ficou perfeito.

Até me surpreendi ao ler. Josy tem um lado romântico meloso. Acho que todo mundo tem um pouco de meloso. Até eu. Mas o mantenho escondido no armário e apenas em ocasiões especiais ele dá o ar da graça.

Vamos a trama:

Em “A Senhora das Montanhas” vemos a Live (Guardiã de Aquário) já uma mulher de 23 anos, que após se formar em Sociologia, decidi regressar a Índia na intenção de ajudar “Os Intocáveis”. É um grupo de pessoas marginalizado por não possuir “Castas”.

Se você não sabe o que “Castas” significa, tente lembrar da novela “Caminho das Índias”. Eles falavam direto sobre isso. Mas depois de ler o livro, percebi que houve alguns erros por parte da novela.

“Os Intocáveis” são a escória da população. Eles não têm direito a nada, muito menos aos estudos.

Então imaginem a encrenca que a Live arranja ao decidir criar um Centro Educacional só para essa classe. Mas como boa aquariana que é (Depois vou falar mais dos aquarianos) Live está pronta para a briga.

A única pessoa que ela não consegue enfrentar muito bem é um rapaz chamado Nicolas Velaz. Um cara que é o verdadeiro pedaço de mal caminho.

Live se apaixona perdidamente por ele. A paixão é tanta que ela nem consegue raciocinar direito.
Confesso que não gostei muito do Nicolas no início. Oh, carinha nojento! E eu adorei as porradas que ele leva do Maurício.
Aí está outra coisa curiosa do livro. Os aquarianos quase sempre são defendidos  pelos taurinos (E isso é verídico).

Para aqueles que estão com saudade de Guardians, “A Senhora das Montanhas” pode preencher o vazio. Ao menos o meu preencheu.








2 comentários:

  1. Ahhhhhhhhhhh que lindooooo
    De verdade, amo a criação da Lucy, e fico muito satisfeita de ter sido a primeira autora a homenagiar minha esposa com um livro.

    Espero que os demais fãs de Guardians também gostem da minha obra^^

    ResponderExcluir
  2. Estou louca para ler esse livro, mas muita calma nessa hora, pois preciso de verba. Adoro os livros de Josy e ainda vou compra-lo e conhecer mais a índia. Adoro!

    ResponderExcluir