sábado, 14 de setembro de 2013

(Resenha) A Culpa É das Estrelas - John Green




Sinopse: A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas.

Resenha:

Já faz tempo que vejo resenhas e um monte de gente elogiando esse livro. E há alguns dias fui atacada, por ter confessado que não estava nem aí para o livro. Minha caixa de e-mails ficou abarrotada de recados de vários leitores, dizendo o quanto o livro era tudo. Não sei se isso acontece com outras pessoas, mas quanto mais ouço e leio elogios para um livro, mais a pulguinha da curiosidade vai me corroendo (Não acredito que me apoderei dessa frase, hahahaha!).

Enfim, agora que descobri os prazeres do E-book e descobri que dá para baixar livros até de graça, pude ler, finalmente, “A Culpa É das Estrelas” do autor John Green.

No livro conhecemos Hazel e Augustus, dois jovens que lutam contra o câncer. Os dois se conhecem num grupo de apoio e começam um relacionamento. Não pensem que vão encontrar um romance cheio de promessas e palavras meladas. Não, o relacionamento dos dois mais parece uma grande amizade. E é como acho que deve ser. Não adianta você fazer declarações melosas, se no seu coração o sentimento não é sincero. Às vezes uma boa tirada de sarro, é dez vezes mais romântico do que um “Você é meu tudo”.

Além de partilharem o câncer, o amor, os dois se tornam loucos por um livro chamado Uma Aflição Imperial, cujo, o final é inexistente. O livro conta à história de uma menina que luta contra o câncer, mas de uma hora para outra a história acaba. E aí fica a grande questão que atormenta Hazel e Augustus... O que aconteceu com o resto dos personagens? Os dois ficam tão obcecados por informações, que chegam a escrever para o autor, na esperança de obter respostas. É claro que início eles não conseguem, já que o autor é um cara recluso e bizarro.

O que eu achei do livro? Bem... O livro é... Louco! É claro que o final é meio que previsível. Tipo, você sabe que alguém vai morrer, já que o livro fala de dois jovens apaixonados com câncer. A questão é... Qual dos dois vai bater as botas primeiro? E acho que é isso que o torna tão incrível. Não é o romance, mas a maneira sarcástica, mórbida, irônica e até engraçada, como os personagens lidam com a morte. Que é a única coisa certa nesta vida. (Depois dos impostos, é claro). – E eu roubei mais uma frase, agora do filme “Encontro Marcado”.

Agora estou satisfeita. Acalmei a pulguinha curiosa e não me dei mal. Afinal, o livro é tudo aquilo que os leitores falavam. E minha caixa de e-mails pode descansar em paz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário