sexta-feira, 27 de setembro de 2013

(Resenha) Nevermore - Kelly Creagh


Sinopse: A líder de torcida Isobel Lanley fica horrorizada quando descobre que seu parceiro para o projeto de inglês é Varen Nethers e que o projeto deve ser entregue – Tão injusto – no dia do jogo contra o rival do colégio. Frio e indiferente, cínico e com a língua afiada, Varen deixa claro que ele também preferia não ter de estudar com ela. Porém quando Isobel descobre um texto estranho escrito no diário de Varen, passa a ver com outros olhos esse enigmático garoto de olhar expressivo.
Logo Isobel começa a inventar desculpas para poder encontrar Varen. Afastando-se cada vez mais de seus amigos e do namorado possessivo. Isobel entra mais fundo no mundo de sonhos que Varen criou nas páginas de seu diário, um mundo onde as aterradoras histórias de Edgar Allan Poe ganham vida.
Enquanto seu mundo começa a desmoronar ao seu redor, Isobel descobre que os sonhos, assim como as palavras têm mais poder do que ela imaginava, e que as realidades mais assustadoras são aquelas criadas pela mente. Agora ela precisa encontrar uma maneira de chegar a Varen antes que ele seja consumido pelas sombras de seus próprios pesadelos. A vida dele depende disso.

Resenha:

Estava dando umas voltas no centro da minha cidade, quando entrei numa livraria (O paraíso para bookaholics como eu). Dei uma olhada em alguns livros, até que um de capa vinho e com um corvo chamou minha atenção. Peguei o livro, li a sinopse e antes que a vendedora aparecesse com a famosa frase “Posso ajudar?”, já tinha lido o prólogo e a pulguinha ficou alvoroçada. Resultado? Comprei o livro.

Depois de comprá-lo entrei no Skoob para dar uma olhada nas resenhas e fiquei com medo. Um bando de gente dizia que o livro era chato, estranho e que a autora não soube executar a trama. Agora que li posso dizer... Beberam?

É claro que a principal reclamação é que a autora diz se basear em Edgar Allan Poe, mas que no fundo a trama não tem nada de Poe. Desculpa reclamões de plantão, mas acredito que a ideia da autora não era se basear nas obras e sim, no mistério que cerca a morte do escritor.

Nevermore” conta à história de Isobel, garota popular, loira, líder de torcida, que tem os amigos mais descolados e o namorado perfeito. Mas tudo muda quando ela é obrigada a fazer o trabalho de literatura com o cara mais esquisito da escola. Um gótico chamado Varen.

Vi muitas resenhas dizendo que Isobel é chata e insuportável. O engraçado é que eu gostei dela. Não consigo entender onde a garota é chata. Acho que isso é preconceito com personagens loiras e populares. Isobel é popular, mas quando precisa se impor diante de algo errado, a garota parte para a briga.
Por outro lado Varen sempre é elogiado nas resenhas. Não é pra menos. Ele é irônico, sarcástico e divertido. Mesmo com seu visual incomum.

O motivo do livro receber muitas resenhas negativas (Creio eu). Deve-se ao fato da trama ser complexa demais e que apenas um outro escritor pode entender. Vou explicar:

Varen tem dificuldades, coisas que o deixam bem deprê e como uma forma de fuga, ele mergulha nas páginas das obras de Poe. E é aí que vem a premissa do livro (Que é genial). De acordo com a autora, Poe foi sugado por sua imaginação para o mundo dos sonhos, que é comandado por um demônio. E quando Varen mergulha nas páginas dos livros, também é sugado para esse mundo.

A autora soube misturar ficção com fatos reais. Depois que acabei de ler o livro fiz uma pequena pesquisa sobre a morte de Edgar Allan Poe e... Bem, acho que vou ficar com medo dos meus sonhos por um tempo.

Não é só de pontos positivos que vive o livro. O detalhe que me deixou um pouco decepcionada foi que imaginei (Por causa da sinopse) que Isobel inventaria mais mentiras para despistar os amigos, mas não é o que acontece.

Fora isso, o livro é muito bom. Só que é preciso usar a cabeça para entender a trama. Afinal, a autora não entrega o ouro no primeiro capítulo.




Um comentário:

  1. Nunca li nenhuma resenha desse livro, então nem sabia que o pessoal não gostava. Mas me interessei e vou procurar para ler. Amei a capa.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir