quarta-feira, 29 de outubro de 2014

(Resenha) Julieta Imortal - Stacey Jay



Sinopse: Julieta Capuleto não tirou a própria vida. Ela foi assassinada pela pessoa em quem mais confiava, seu marido, Romeu Montecchio, que fez o sacrifício para segurar sua imortalidade. Mas Romeu não imaginou que Julieta também teria vida eterna e se tornaria uma agente dos Embaixadores da Luz.
Por setecentos anos, Julieta lutou para preservar o amor e as vidas de inocentes, enquanto Romeu tinha por fim destruir o coração humano.
Mas agora que Julieta encontrou seu amor proibido, Romeu fará tudo que estiver ao seu alcance para destruir a felicidade dela.

Resenha:

Como todos os livros que escolho. Primeiro, leio diversas resenhas para avaliar os prós e contras, e depois se fico interessada, compro o livro. Mas com Julieta Imortal foi o contrário. Não comprei o livro, e sim, fiz uma troca via Skoob.

A troca foi realizada há mais de um ano e só no mês passado pude lê-lo.

“Julieta Imortal”  primeiramente parece uma releitura, depois vemos que não é bem assim e depois de um dado momento, parece que a autora quis fazer uma piada com a famosa peça de Shakespeare.

Apesar dos pesares a trama traz muitos mistérios e uma briga entre dois grupos sobrenaturais Os mercenários e os embaixadores da luz.

No início eu pensei que se tratava de uma briga entre anjos e demônios, o que até chega a ser verdade. Os mercenários, são como demônios, que dão a imortalidade a quem deseja sacrifica sua alma gêmea. Já os embaixadores, protegem as almas gêmeas. Ajudando-as a se apaixonarem e permanecerem juntas.

Julieta, que após ser sacrificada por seu Romeu, vira uma embaixadora da luz e agora, sua alma encarna no corpo das pessoas e tenta consertar a vida dos apaixonados e da pessoa a quem ela está possuindo. Já Romeu, possui o cadáver mais próximo e tenta impedir Julieta. É uma coisa meio gato e rato.

Apesar do suspense, não posso negar que algumas coisas na trama são incoerentes.

Entendo que muitas pessoas acham a história de amor de Romeu e Julieta besta. Já que os dois se conhecem e em pouco tempo, já trocam juras de amor eternas, se casam, depois um é expulso, a outra se finge de morta e depois os dois tiram a vida para ficarem juntos para o todo sempre.

Hoje é claro um romance assim é idiota e besta. Porém, a autora faz mais ou menos a mesma coisa. Julieta durante sua missão acaba conhecendo um rapaz chamado Ben, por quem bate o olho e já fica com o coração disparado.

Depois tem um determinado momento no livro, em que ela diz ao Ben que não acredita em amor a primeira vista e que para amar alguém de verdade é preciso de três dias.

Eu fiquei olhando o livro, pensando “Como que é minha filha?”.

Não li a peça de Shakespeare, mas pelo que todo mundo diz, a história toda leva seis dias. Desde o momento em que os dois se conhecem até seu suicídio.

Então essa história de três dias para amar alguém de verdade, não colou muito comigo. Sei lá, ficou esquisito.
Mas apesar dessa escorregada, o livro termina com um ótimo gatilho para sua continuação Romeu Imortal. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário